Crise ainda não afeta setor de motopeças

Empresas / 13:00 - 18 de ago de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Se o mercado de motocicletas 0km anda na contramão, com recuo no número de emplacamento de novas unidades verificado nos últimos meses, o mesmo não pode ser dito pelo segmento de motopeças. Isto acontece porque, quando o consumidor não está investindo em um veículo novo, a tendência é de que ele acabe usando mais recursos para a manutenção da sua motocicleta, e a consequência é impulsionar as vendas das empresas do setor.

A avaliação foi feita pelo presidente da Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças (Anfamoto), Orlando César Leone, durante a coletiva de imprensa realizada no primeiro dia do IX Salão Nacional e Internacional de Motopeças. O evento acontece até este sábado, no Expo Center Norte Pavilhão Amarelo, na capital paulista.

Não notamos diferença nos negócios do setor na comparação entre o ano passado e este. O mercado está sendo regular. Isto porque, como as pessoas não estão comprando motos novas, elas tendem a ter cuidado e manutenção maiores com os equipamentos que já possuem”, comentou o presidente da associação. “Por isto, a realização deste evento é tão importante, pois ele proporciona que os players do mercado possam fomentar negócios para a manutenção do setor”, complementa.

Segundo a Anfamoto, pelo histórico de edições anteriores, os expositores que participam do Salão costumam ter aumento de 25% no volume de vendas praticadas no mês da realização do evento. “Além disso, essas negociações geralmente se estendem até dezembro”, esclarece o presidente.

Leone informou que a entidade contratou a FGV para realizar uma pesquisa de mercado do setor de motopeças. Dados preliminares demonstram que, em 2013, o setor já era responsável por gerar quase 300 mil postos de trabalho. “Através também do levantamento preliminar, da parte do impacto direto da cadeia de motopeças já podemos anunciar que a participação do setor no PIB para o ano de 2013, é de 0,21%”, esclarece o presidente da Anfamoto. Dados de 2014 serão divulgadas ao final de setembro.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor