Crise começa mais forte que a de 2008

Não é o ‘cisne negro’, estúpido (parafraseando James Carville).

Não precisou passar muito tempo para atribuírem a um efeito “cisne negro” o derretimento dos mercados neste início de ano, potencializado nesta segunda-feira. O termo “cisne negro” foi criado por Nassim Taleb, escritor e analista de riscos, para explicar um evento raro, imprevisível e de grandes proporções, cujas consequências são desconhecidas.

Imprevisível somente para quem limita suas leituras a comentaristas e economistas de mercado. Não foram poucos os analistas menos comprometidos – Nouriel Roubini o mais conhecido deles – que vêm, desde 2018, alertando para o risco de nova crise global, consequência da não solução dos problemas de 2008, agravada pelo excesso de liquidez nos mercados financeiros após maciças injeções feitas pelos bancos centrais dos EUA e Europa.

O coronavírus, e agora a exótica decisão da Arábia Saudita de aumentar a produção de petróleo em um mercado deprimido, podem ser catalisadores de uma crise prevista e cujos efeitos podem ser maiores que a de 2008. Na China, a queda do setor industrial foi mais rápida e tão forte quanto à registrada há 12 anos, com o crash iniciado nos EUA.

No setor de serviços, o impacto foi bem maior, passando de pouco acima de 50 pontos (acima de 50 significa expansão) para pouco mais de 25 um mês após a eclosão da atual crise (janeiro de 2020, cálculo do FMI com base em dados da Haver Analytics). Em 2008, assim como na epidemia do H1N1, o setor de serviços chinês pouco sofre, ficando acima de 50 pontos.

Nos mercados de ações, o efeito da crise atual é impressionante. Dados apurados dez dias úteis após a eclosão das crises (20 de fevereiro de 2020, no caso do coronavírus) mostram que o índice S&P500, das maiores empresas na bolsa norte-americana, caiu em torno de 10%, mais que após o 11 de Setembro, embora menos do que em 2008, quando perdeu mais de 25%. No caso das ações das companhias aéreas, a atual crise levou a um tombo não só maior do que há 12 anos, mas superior até ao 11 de Setembro, quando o uso de aviões de linha contra símbolos norte-americanos levou milhões a adiar voos.

Haverá disposição, desta vez, para efetuar a mudança de rumo que a economia mundial demanda?

 

Expurgo real

A ação da Arábia Saudita de aumentar a produção de petróleo, que levou a uma vertiginosa queda nos preços do produto, ocorreu três dias após novo expurgo na família real, com a prisão domiciliar dos príncipes Ahmed bin Abdelaziz al Saud e Mohamed bin Nayef, irmão e sobrinho do rei Salman, que é pai do príncipe herdeiro Mohamed bin Salman.

 

Rio de mochila

Os mochileiros estrangeiros que visitaram o Rio em fevereiro eram, na maioria, mochileiras. É o que mostra pesquisa feita pela Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e o Portal Consultoria em Turismo, entre 1º a 24 do mês passado, com 800 viajantes.

O levantamento mostra que 70% eram mulheres. No conjunto, jovens: também sete em cada dez tinham entre 18 e 25 anos. A procedência: 45% da Europa, 26% da América do Sul, 17% da América do Norte, 8% da Ásia e 4% da Oceania. Visitaram o Rio pela primeira vez 85% (12% segunda vez e 3% mais de duas vezes). O grau de satisfação é baixo: apenas 86% voltariam

Coordenada pelos professores Bayard Boiteux e Marcos Neves, a pesquisa teve apoio da Escola Técnica de Turismo Cieth, da Fundação Cesgranrio e da Sergio Castro Imóveis e foi feita em 11 bairros do Rio, com margem de erro de 2%.

 

Sai Darcy, entra PM

A Escola Municipal Darcy Ribeiro, na Praia do Hospício, em Araruama (RJ), vai virar colégio militarizado e ter seu nome alterado para Colégio Estadual Sgt. PM Antônio Carlos Oliveira de Moura. Significativo do que a educação representa para os governos federal e estadual do Rio.

 

Rápidas

Bancários da Caixa Econômica Federal se mobilizam nesta terça-feira contra os processos de privatização e reestruturação do banco *** O Bangu Shopping participa de campanha solidária para vítimas das chuvas no Rio de Janeiro. As doações podem ser entregues até 15 de março *** A lutadora Kyra Gracie será palestrante na SRE Trade Show – 32ª Super Rio Expofood, que ocorre de 16 a 18 de março, no Riocentro *** A Vitrine Uerj apresenta Alice Sales e o Papagaio Sabido, nesta terça, às 19h, no Teatro Noel Rosa (Campus Uerj Maracanã). Informações em facebook.com/events/189277692386184

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Últimas Notícias

Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A...

ABBC: Selic deve subir 1,50 ponto percentual

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne na próxima terça-feira (7) para decidir sobre a nova Selic, a taxa básica...

Ibovespa fecha a semana em alta

(alta de 0,013%). O volume representou uma extensão do movimento positivo registrado na quinta-feira (2), quando o índice fechou com forte alta de 3,66%,...

China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A...

Brasileiro teria renda 6 vezes maior com indústria forte

Entre 1950–70, PIB do País foi multiplicado por 10.