Crise de oferta faz mercado automotivo crescer apenas 1,21% em 2021

Caminhões e comerciais leves foram os responsáveis pelos melhores resultados do ano.

Com um dezembro mais próspero, todos os segmentos automotivos tiveram alta em relação ao mês anterior. No balanço do ano de 2021, contando com o mercado automotivo completo – automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos agrícolas – as vendas cresceram 10,57% sobre 2020. Os dados são da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

“Ainda vivemos uma crise global, de abastecimento de insumos e componentes na indústria, e novos desafios têm surgido para o setor, como os constantes aumentos nas taxas de juros, que vêm impactando nos financiamentos. Ainda assim, conseguimos fechar o ano de 2021 com o 12º melhor resultado, desde 1957”, avaliou José Maurício Andreta Júnior, presidente da Fenabrave, recém-eleito para o triênio 2022-2024.

 

Autoveículos ficaram estáveis

As vendas de autoveículos totalizaram 1.974.431 unidades. Esse volume não é tão empolgante porque representa um pequeno avanço de 1,21% sobre 2020, ano crítico de pandemia, com muitas fábricas fechadas e produções limitadas por quase todo o período.

A recuperação esperada para 2021, contudo, não aconteceu. Falta de componentes, como borracha, plásticos e, sobretudo, semicondutores, levaram a indústria a uma crise de oferta sem precedentes.

A estimativa é de que cerca de 500 mil carros deixaram de ser produzidos no Brasil por causa das paralisações das fábricas sem componentes. Só a planta de Gravataí (RS), da General Motors, que monta 1 Onix por minuto, ficou sem produzir o modelo até – então mais vendido do Brasil – de março a agosto.

 

Comerciais leves e caminhões são destaques

Em automóveis e comerciais leves, a alta de pouco mais de 1%. Mas olhando de perto, esse avanço foi puxado pelo segmento de picapes e furgões, que cresceu 24,24%, enquanto automóveis retraiu -3,56%.

O segmento de caminhões foi o que mais cresceu em relação a 2020: 42,82%, com a boa performance de modelos pesados. Do total de 127.357 das unidades vendidas em 2021, 64.753 (ou 50,84%) foram dos pesados, apoiados pelo crescimento dos setores de agronegócio, construção civil e mineração. Entre os pesados, o mais vendido foi o Volvo FH 540.

 

Crescimento de 2022 poderá ser menor

Diante deste cenário, a entidade que representa os distribuidores de veículos, faz uma projeção de alta de 5,2% para todo o setor este ano, ante 10,57% de 2021 sobre 2020.

“Nossos estudos apontam para o crescimento de todos os segmentos automotivos. Mas, é claro que situações conjunturais podem afetar essas estimativas, considerando que a indústria ainda sofre com a falta de insumos e componentes eletrônicos, que estamos diante de uma economia ainda turbulenta e iniciando um ano em que teremos eleições, que costumam criar um cenário de incertezas”, afirma Andreta Jr.

Jeep Compass (foto divulgação Stellantis)
Jeep Compass (foto divulgação Stellantis)

Strada é líder no Brasil. E no Rio, Compass é o campeão

O ano encerra com um comercial leve no topo das vendas. A Fiat Strada foi a líder isolada de emplacamentos no Brasil, seguida pelo Hyundai HB20 e Fiat Argo. Confira o ranking dos mais vendidos em 2021.

 

Top 10 dos mais vendidos em 2021 no Brasil

Modelo

Unidades

1º Fiat Strada

109.107

2º Hyundai HB20

86.455

3º Fiat Argo

84.644

4º Jeep Renegade

73.913

5º Chevrolet Onix

73.623

6º Jeep Compass

70.906

7º Fiat Toro

70.890

8º Volkswagen Gol

66.228

9º Fiat Mobi

65.847

10º Hyundai Creta

64.759

Fonte: Fenabrave

 

As vendas do Rio de Janeiro se diferenciam de boa parte do país. A Strada, líder no Brasil, não chega a estar entre os 10 mais vendidos no Estado. No Rio, os SUVs e compactos são realmente os preferidos dos consumidores. Confira.

 

Top 10 dos mais vendidos em 2021 no Rio de Janeiro

Modelo

Unidades

1º Jeep Compass

4.870

2º Jeep Renegade

4.799

3º Hyundai HB20

4.514

4º Fiat Argo

4.095

5º Hyundai Creta

4.079

6º Chevrolet Onix

3.670

7º Honda HR-V

3.590

8º Fiat Toro

3.551

9º Nissan Kicks

3.303

10º Renault Kwid

3.257

Fonte: Fenabrave

Lucia Camargo Nunes
Economista e jornalista especializada no setor automotivo. [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Anfavea espera que 2022 seja um ano de recuperação

Restrição na oferta de componentes deve ser menor este ano que no passado.

Governo sabota emprego doméstico

Desconto no Imposto de Renda, que acabou, incentivava a assinatura da carteira.

A ousadia da viúva Clicquot e a evolução do champanhe

Um dos seus empregados propôs um método que deu origem à rémuage, hoje integrada ao méthode champenoise.

Últimas Notícias

Empresa brasileira de produtos médico-hospitalares cresce 20% em 2021

Faturamento foi de R$ 28 milhões.

Brasileiro buscou mais crédito para compra de veículo

Veículos pesados e motos se destacam

Varejo, petrolíferas e bancos puxam Ibovespa

Siderúrgicas e Vale ficam na contramão do mercado

Uso de cheque cai ladeira abaixo

Avanço tecnológico mudou hábito arraigado da clientela

Covid-19 fecha 478 agências bancárias em SP

500 bancários foram confirmados com covid-19.