Alô, ministro Tarso Genro: a lei que obriga as empresas que possuem call centers a respeitarem seus clientes completou um mês, nessa quarta-feira, com a maioria das empresas, principalmente, as de telefonia celular e de TV a cabo, ignorando seu cumprimento. Vai ter multa ou vamos ficar no ora veja?


A título de comparação, há 15 anos, um grupo de brasileiros que visitava a Áustria foi informado por um guia local que uma empresa fora autuada porque, entre 200 empregados, cinco eram imigrantes albaneses que trabalhavam sem registro. Do flagrante, resultou multa correspondente a 1% do faturamento anual da companhia e a proibição de participar de licitações públicas por dois anos. Diante do espanto dos brasileiros pela assimetria entre a multa e a ilegalidade, o guia foi didático: “É desproporcional mesmo, para desestimular qualquer tentativa de burlar a lei.”

Factóide básico
Os responsáveis pelo marketing dos cem primeiros dias do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSDB), poderiam incluir entre as ações midiáticas de segundo grau, uma bastante simples: a volta dos guardas municipais aos sinais de trânsito. Desde que o então prefeito Cesar Maia (DEM) assumiu mediante convênio com o estado a função – que, nas mãos da PM, funcionava a contento – trafegar em certas áreas do Rio, como o Centro, virou um teste de paciência diante de engarrafamentos evitáveis pela simples presença de uma autoridade capaz de impedir, por exemplo, a ação de motoristas que fecham cruzamentos.

Dois anos depois…
Já que jornalistas com alguma memória identificaram que as primeiras ações midiáticas de Eduardo Paes remetem às perpetradas pelo governador do Rio e seu padrinho político, Sérgio Cabral (PMDB), no início do governo, fica faltando a segunda parte. Que tal voltar aos mesmos lugares visitados por Cabral, no início de 2007, como o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, no qual governador, indignado com a demora no atendimento a um paciente que aguardava num corredor da unidade de saúde, demitiu o então diretor, Sebastião Neves, que ficou apenas um dia no cargo. Não vale a pena contar ao leitor como andam as condições no Getúlio Vargas?

Maus samaritanos
Saiu a edição em português do livro Maus samaritanos. O mito do livre comércio e a história secreta do capitalismo (Editora Campus-Elsevier), do economista coreano Ha-Joon Chang, professor da Universidade de Cambridge. Chang afirma que países, junto com instituições internacionais como o FMI, a OMC e o Banco Mundial, criam empecilhos para que as nações em desenvolvimento atuem com mais competitividade no comércio internacional. “Os maus samaritanos impõem políticas macroeconômicas sobre os países em desenvolvimento que restringem seriamente sua habilidade de investir, crescer e criar empregos no longo prazo”, diz Chang, que menciona o Brasil algumas vezes no livro.

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOrkut
Próximo artigoSe eu fosse você

Artigos Relacionados

Commodities voltam a subir e ameaçam inflação

Brasil dependerá, mais que nunca, do comportamento do real frente ao dólar.

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Últimas Notícias

Valor da internet em Portugal está mais barato

Dados recentes do Eurostat, Serviço de Estatística da União Europeia, referentes a dezembro de 2021, mostra que Portugal lidera na descida de preços dos...

Modal finaliza aquisição da integralidade do banco digital LiveOn

O Modal, banco de investimento, fechou a aquisição de 100% da infratech LiveOn, operação divulgada em outubro de 2021, e só agora aprovada pelo...

Fitch afirma IDRs BB’ e rating nacional ‘AAA do Itaú Unibanco

A Fitch Ratings afirmou nesta segunda-feira os IDRs (Issuer Default Ratings - Ratings de Inadimplência do Emissor) de Longo Prazo em Moedas Estrangeira e...

Balança comercial registra déficit de US$ 117 milhões

A corrente de comércio (soma de exportações e importações) brasileira cresceu 28% e fechou a terceira semana de janeiro em US$ 28,91 bilhões. Os...

Subida de juros assusta investidores

A segunda-feira (24) foi marcada como um dia de aversão a risco com fortes quedas nas bolsas internacionais, observou Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial...