Cópia social

A União gastou, em 2005, R$ 88,6 milhões com xerox, quase o mesmo que investiu o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (R$ 87,4 milhões), de acordo com dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi). Cópias de papel estão entre os dez itens de custeio mais caros para governo federal.

Seis vezes
O governo Germano Rigotto comemora a criação de 50 mil postos de trabalho entre 2003 e 2005. “Isso é resultado da execução de 228 projetos que, somados a outros em fase de negociação, devem elevar para R$ 30 bilhões o valor dos investimentos atraídos para o Rio Grande do Sul”. Seu concorrente a candidato do PMDB para a Presidência da República, Anthony Garotinho, pode se gabar de números melhores: segundo dados da Ministério do Trabalho, foram criados 300 mil empregos com carteira assinada no Rio de Janeiro durante o governo de Rosinha Garotinho.

Rumo ao abismo
“Vivemos um clima de recessão no país, ao contrário do que insistem em afirmar vários integrantes desse governo. O Brasil não suporta mais juros reais tão altos. Para mim, a taxa básica de juros não poderia ser superior a 12%, o que equivaleria a um patamar de juro real na casa dos 7%, que, mesmo assim, ainda nos manteria como campeões mundiais”. O desabafo foi feito pelo consultor econômico do Sindicato das Financeiras do Rio de Janeiro (Secif-RJ), Istvan Kasznar, ao comentar a redução de apenas 0,75 ponto percentual na taxa Selic. Para Kasznar, a equipe econômica continuará em sua política ortodoxa: “Não tenho a expectativa de que os juros reais fechem o ano abaixo de 10%. E isso é insuportável para o setor produtivo do país”, lamenta.

Bilingue
Pesquisa com 100 gerentes de hotéis na cidade do Rio de Janeiro mostra que 86% falam inglês e 84% falam espanhol; apenas 20% não são brasileiros; 60% nasceram no Rio. A pesquisa, coordenada pelos professores Ana Claudia Paraense, Bayard Boiteux e Maurício Werner, mostra que 45% dos gerentes já estão na área entre seis e dez anos e 33% há mais de 11 anos.

Tudo pelo social
Já estão abertas as inscrições para o Prêmio Top Social 2006, promovido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB Rio). Podem concorrer pequenas, médias e grandes organizações, públicas ou privadas. O objetivo é estimular as ações sociais voltadas para a responsabilidade social, meio ambiente, cultura e recursos humanos. As inscrições podem ser feitas site www.advbrio.com.br

Carnaval solidário
Quem quiser sambar no bloco Spanta Neném e, ao mesmo tempo, apoiar uma boa causa, basta comprar uma camiseta do projeto Pró Criança Cardíaca no ensaio de sábado, na sede de remo do Flamengo, na Lagoa (Zona Sul do Rio).

Burocracia
A experiência mostra que, quando um governo não quer resolver nada, cria uma comissão. Lula foi radical: instituiu a Rede Nacional para Simplificação do Registro de Empresas (Redesim), para tornar a criação de empresas no país mais rápida. Os burocratas agradecem.

Artigo anteriorParcela apropriada
Próximo artigoPena de morte
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

A Disneylândia espacial dos trilionários

Jornada nas estrelas escancara a desigualdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Os ventos estão mudando

Por Afonso Costa.

Afeto e arte no Rio de Janeiro

Obrigado a todos que contribuíram para uma análise sensorial da vida pandêmica