Custos condominiais registram alta de 4,58% nos últimos 12 meses

Segundo levantamento do Secovi-SP, percentual está acima do IGP-M, que apresentou variação de 3,15% no mesmo período.

São Paulo / 11:07 - 5 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Conforme apurado pelo departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), o Índice de Custos Condominiais (Icon) na Região Metropolitana de São Paulo registrou aumento de 4,58% no acumulado dos últimos 12 meses (novembro de 2018 a setembro de 2019). O percentual superou o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas, que apresentou variação de 3,15% no mesmo período. Em outubro, a variação foi de 2,53%.

O item pessoal e encargos subiu 3,92% no mês e 4,32% em 12 meses. Já o item conservação e limpeza cresceu 0,59% no mês e 3,18% em 12 meses, enquanto os grupos manutenção de equipamentos e diversos apresentaram igualmente elevação de 0,68% no mês e 3,17% no acumulado de 12 meses. O grupo tarifas permaneceu estável no mês e registrou alta de 7,19% em 12 meses.

Parâmetro das variações dos custos dos condomínios residenciais, o Índice de Custos Condominiais (Icon) não deve ser utilizado como um índice de reajuste da taxa condominial, conforme alerta o vice-presidente de Administradora Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP, Hubert Gebara.

"O ideal é que o síndico consulte sua administradora, pois cada prédio tem características e estruturas próprias. É importante verificar qual foi o aumento real dos custos do condomínio, a fim de que, no futuro, não ocorra um desequilíbrio nas contas", afirma Gebara.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor