Dólar ruma aos R$ 4, mas Temer nega risco de crise cambial

O dólar comercial fechou mais um pregão em alta nesta quinta-feira, com valorização de 2,3%, cotado a R$ 3,926. Trata-se...

Mercado Financeiro / 02:31 - 8 de jun de 2018

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O dólar comercial fechou mais um pregão em alta nesta quinta-feira, com valorização de 2,3%, cotado a R$ 3,926. Trata-se do maior valor desde o dia 1º de março de 2016, quando a moeda fechou o dia vendida a R$ 3,941. 
Em uma prévia durante o pregão, o dólar chegou a bater R$ 3,9684, recuando após intervenção do Banco Central com a negociação de mais de US$ 6,8 bilhões de contratos de swaps cambiais, equivalente à venda de dólar no mercado futuro. Desde fevereiro, o dólar acumula alta de 23,44%. 
Mais cedo, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse que existe uma tensão maior no mercado de câmbio no Brasil por causa das eleições deste ano. “Como sabemos, existe uma tendência global de valorização do dólar. E isso afeta a economia brasileira, como afeta outras economias, com maior intensidade as emergentes. Evidentemente tem as especificidades do caso brasileiro. Existe uma tensão maior dada pela transição política, em cenário das eleições. Tudo isso agrega volatilidade e incerteza aos mercados”, disse.
Apesar disso, o presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira, em entrevista exclusiva à jornalista Roseann Kennedy, no programa Nos Corredores do Poder, da TV Brasil, que o governo tem todas as condições para enfrentar a alta do dólar. “Não há risco de crise cambial no Brasil”, avaliou.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor