David contra Golias

In America’s news headlines, Palestinians die mysterious deaths” (“Nas manchetes dos jornais norte-americanos, palestinos morrem misteriosamente”). Este é o título de artigo que Moustafa Bayoumi escreveu para o jornal britânico The Guardian, quarta-feira, lamentando a forma como o massacre palestino é tratado pela imprensa dos Estados Unidos – e não só. Na terça-feira, esta coluna mostrou o mesmo problema nos jornalões brasileiros. Nas manchetes do Estadão e da Folha, a morte dos palestinos é uma ação sem sujeito.

Bayoumi, autor do premiado livro How Does It Feel To Be a Problem?: Being Young and Arab in America (Como é a sensação de ser um problema?: Ser jovem e árabe na América, ainda sem edição em português), relata que as Forças Armadas israelenses mataram mais de 60 manifestantes em Gaza, na última segunda-feira. No Twitter do The New York Times, a notícia apareceu assim: “Dezenas de palestinos morreram em protestos enquanto os EUA se preparavam para abrir sua embaixada em Jerusalém.”

A voz passiva no tweet esconde quem fez a ação, que é exatamente o que as construções em voz passiva fazem”, analisa o professor de inglês no Brooklyn College, City University of New York. (Para ser justo, diz Bayoumi, a manchete na terça-feira na edição impressa do NYT era clara: “Israelenses matam dezenas em Gaza”)

Outros jornalões seguiram na linha fake news. O Washington Post deu em manchete: “Gaza enterra seus mortos enquanto o número de vítimas em protestos contra Israel aumenta para ao menos 60”. No Wall Street Journal, um vídeo no site tinha a chamada: “Confrontos devido a nova embaixada dos EUA em Jerusalém deixam dezenas de mortos”. Confrontos? Atiradores de pedra contra soldados fortemente armados e sem limites para disparar?

 

Lobby do lobby

A Câmara de Comércio Americana (Amcham Rio) nem esperou a votação do projeto que regulamenta o lobby no Brasil. Programou para junho, junto com o Instituto de Relações Governamentais (IrelGov), uma missão de “capacitação e networking de advocacy e lobby (ambos os termos referem-se à defesa legítima de interesses privados na criação de políticas públicas)”, em Washington DC.

A meta é “capacitar advogados, executivos e profissionais dos setores público e privado que atuam em relações governamentais e compliance, sobre melhores práticas de advocacy e proporcionar networking estratégico”. Acrescenta a coluna: as melhores práticas de acordo com os objetivos norte-americanos.

Durante os cinco dias da missão, a delegação fará um curso na George Washington University, “instituição referência na formação de lideranças políticas americanas e mundiais”. Há previsão de visita ao Congresso dos EUA.

Ao final do curso, os participantes passarão a ter acesso ao Advocacy Global Environment (AGE), rede estratégica internacional de contatos de lobistas.

 

Sem Carta

Gestão da economia não pode ser engessada pela Constituição”, dispara Persio Arida, coordenador do programa econômico do presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB). Tradução simples: os tecnocratas não querem saber destes penduricalhos democráticos atrapalhando seus planos.

 

Rápidas

A Fiesp realiza nesta sexta-feira seminário sobre operações de comércio exterior, com presença do secretário de Comércio Exterior do Mdic, Abrão Miguel Árabe Neto *** A FGV Eaesp faz seminário sobre como lucrar e criar valor no e-commerce, dia 23, a partir das 8h30, com a participação de executivos como Rafael Biselli, eCommerce & GTM Nesté Brasil, e Marcos Leite, vice-presidente Executivo da OLX *** Domingo, o Caxias Shopping (RJ) será sede da Feira de Produtos sem Agrotóxicos de produtores familiares rurais de Duque de Caxias *** Os presidentes das operadoras de telecomunicações participam do Painel Telebrasil 2018, que acontece de 22 a 24 de maio, em Brasília. Programação em www.paineltelebrasil.com.br *** No domingo, as rolhas de garrafa serão destaque da programação do EcoLab – Laboratório Ecológico, espaço recém-inaugurado do Shopping Grande Rio, em São João de Meriti. As rolhas serão transformadas em carimbos *** A Arezzo&CO anuncia a contratação do novo executivo para Operações Internacionais, Wayne Kulkin. Ele se integra na estratégia de expansão dos negócios da companhia no mercado externo, com abertura de novas lojas nos EUA e de showroom na Europa.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Campos marítimos do pós-sal estão em decadência

Os campos marítimos do pós-sal já produziram cerca de 16 bilhões de barris de óleo equivalente ao longo de sua história, ou seja, 63%...

Motoboys protestam em São Paulo

Entregadores tomaram ruas de São Paulo contra baixa remuneração e péssimas condições de trabalho

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.