Decreto

“Não procede o argumento de que não se baixa juros por decreto. Todo dia o governo vai ao overnight e decreta a taxa de juros, o que, obviamente, não significa quebra de contrato.” A afirmação é do economista Lauro Vieira de Faria ao rebater o argumento dos que se opõem a baixar juros por decreto. Faria acrescenta que, devido às elevadas taxas do país, até o controle de capitais seria desnecessário para baixar juros: “A valorização do câmbio prova que os juros estão altos demais mesmo no mercado livre”, salientou.

Mau aluno
Ao afirmar que as condições da economia do Brasil melhoraram graças à negação do programa original do PT e à adoção do arrocho fiscal que tanto criticava, o presidente Lula contraria um dos seus principais ex-conselheiros. Autor de um informe diário distribuído apenas para o próprio Lula e um reduzido número de auxiliares da presidência, batizado de Cartas ácidas, mais tarde renomeado Cartas críticas, o professor Bernardo Kucinski considera que o êxito das exportações está mais ligado ao cenário internacional, não tendo qualquer relação com a política econômica.
“Nós fomos ousados em alguns campos sociais, na política externa, mas absolutamente conservadores, retrógrados e eu diria até burros na política econômica. Essa política é camuflada por um êxito nas exportações que não tinha nada a ver com a política econômica e muito mais com o cenário internacional. O discurso dominante acabou sendo esse, da continuidade, da estabilidade, e não o discurso da mudança. Nós enterramos o nosso próprio discurso da mudança”, afirmou, em entrevista publicada no início de 2006, no site do Núcleo Piratininga de Comunicação – www.piratininga.org.br/2006/81-kucinski.html. Kucinsk é uma das principais referências do pensamento crítico quando se trata do jornalismo econômico.

Última chance
O Hospital Pró-Cardíaco está com inscrições abertas, até esta quinta, para o programa de residência médica em medicina intensiva. O programa tem duração de dois anos. Mais informações: (21) 2131 1444/1470 ou www.procardiaco.com.br

Uma vez e meia
O Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou superfaturamento de mais de R$ 3 milhões nos serviços de construção da ponte sobre o Rio Acre, que liga os municípios Brasiléia (AC) e Cobija, em Pando, na Bolívia. O tribunal identificou ainda que o projeto executivo estava incompleto e inadequado, o que elevou os custos em mais de 150%. Os responsáveis pela obra e o Consórcio Pontes do Acre, contratado para execução, deverão apresentar justificativas ou devolver R$ 3.384.668,73. O auditor Marcos Bemquerer Costa foi o relator do processo.

Ligue e pague
A Sodexho Cheques e Cartões apresentou serviço que permite o pagamento de táxi via celular.

Há vagas
Moradores de rua do Estado do Rio receberão capacitação profissional para trabalhar em empresas prestadoras de serviços. A iniciativa é resultado de parceria entre o Governo do Estado e a Associação das Empresas Prestadoras de Serviços (Aeps). A entidade, constituída pelas empresas de limpeza, conservação, segurança e vigilância e responsável por cerca de 250 mil empregos diretos no Rio, se compromete a empregar os trabalhadores nas empresas associadas.

Rede Solidária
No próximo dia 4, a Legião da Boa Vontade realizará a 2ª Feira de Inovações Rede Sociedade Solidária, evento que conta com o suporte do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da Organização das Nações Unidas. O evento terá como tema “Conservação de recursos energéticos diante do aquecimento global” e acontecerá das 9 às 14 horas, no Centro Educacional, Cultural e Comunitário José de Paiva Netto, da LBV (Av. Dom Hélder Câmara, 3.059, Del Castilho – RJ). Mais informações em www.redesociedadesolidaria.org.br

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Artigo anteriorBola fora
Próximo artigoCusto Brasil
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Investimento chinês em pesquisa aumentará 7% ao ano até 2025

País divulga 14º Plano Quinquenal; desde 1953, PIB cresceu 1.232 vezes.

FMI: orçamento deve atender direitos das mulheres

No Egito, por exemplo, houve mais recursos para serviços públicos de creche.

Planos registram maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

Dados de janeiro foram divulgados hoje pela ANS e confirmam tendência de crescimento no país.

MP-RJ pede júri popular para Flordelis e mais oito réus

Deputada é acusada de mandar matar o marido; 11 réus respondem ao processo, mas o MP pediu para não se pronunciar sobre dois deles.

Payroll de fevereiro surpreendeu positivamente as expectativas

Soma-se às surpresas a revisão no número anterior de 49k para 166k e, principalmente, a criação de vagas no setor privado em 465k.