31.1 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, janeiro 20, 2021

Deflação

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) está revendo – para baixo – os custos das hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau, no Rio Madeira. O cálculo era de um gasto em torno de R$ 19 bilhões. Com juros durante os cinco anos de construção, a conta iria para salgadíssimos R$ 25 bilhões. As duas usinas somam 6.450 MW. Com um valor – alto – de US$ 1,2 mil por kW instalado, a obra deveria custar algo em torno de R$ 15 bilhões. Um valor mais justo – diminuindo o, digamos, BDI – ficaria na casa dos R$ 10 bilhões. No primeiro Governo Requião, o Paraná construiu hidrelétricas por US$ 750/kW.
Nas usinas do Rio Madeira, ainda vai pesar o custo da construção de linhas de transmissão – uma fatura de R$ 10 bilhões, também considerada cara por um experiente consultor do setor de energia.

Deseducação
A mercantilização da educação chegou a tal ponto que, em muitas universidade$ privada$, professores detentores do título de doutorado escondem essa condição dos seus empregadores. É que, como, por lei, essa titulação garante aumento de 5% nos salários, os professores-doutores encabeçam as listas de demitidos dessas universidades, grande parte das quais beneficiadas com isenção fiscal pelo ProUni, menina dos olhos do presidente Lula para a Educação.

Supermercados
Aliás, não por acaso, muitos educadores consideram o ProUni muito mais um Proer para universidades às voltas com salas ociosas devido às mensalidades salgadas do que uma forma adequada de formação universitária de alunos carentes. Para rebater essa crítica, o Ministério da Educação (MEC) comemorou o recente resultado do Provão, revelando que a nota média dos bolsistas foi superior à dos não-integrantes do ProUni.  Na verdade, como a nota mínima para ter direito à bolsa do programa é de apenas 4,5, a superioridade de universitários submetidos a tão baixo grau de exigência diz muito mais sobre o nível dos ingressos nessas universidade$ do que sobre as excelência do ProUni.

Mil
Um carro básico deprecia 12,71% após um ano de uso, enquanto que um modelo mais equipado perde 15,07%, revela estudo da AutoInforme/Molicar. A Honda é a marca que tem a menor desvalorização de modelos básicos. Na média, as versões de entrada do Civic e do Fit perdem apenas 9,91% do preço após um ano de uso.

Sem fadiga
A multinacional francesa Essilor investiu US$ 15 milhões no Brasil para aumentar sua produção de lentes anti-reflexo, mercado que cresce anualmente 15% a 20% desde 2003. A empresa apresentará na XVIII Ajorsul Fair Mercoóptica 2007 a Anti-Fatigue, lente oftálmica que corrige a fadiga ocular. Em 2006, a Essilor International obteve um crescimento de 11% nas vendas, com faturamento de 2,690 bilhões de euros e um aumento de 12,2% no lucro líquido. Este ano, a empresa espera incrementar o seu faturamento em 15%.

Colônia
A Essilor destina 5% do seu faturamento para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). O Brasil, porém, não vê a cor dessa bolada: os 450 pesquisadores estão distribuídos em três centros, localizados na França, Estados Unidos e Cingapura.

Mordomo
O aquecimento global está sendo responsabilizado pelo aumento do número de doenças tropicais. O que mostra que, apesar de a defesa do meio ambiente ser um ato nobre, a campanha midiática do aquecimento tem interesses inconfessáveis. As epidemias estão crescendo pelo desmonte dos controles sanitários, reflexo da política de Estado mínimo defendida pelos neoliberais. Prova disso são os aumentos dos casos de aftosa ou da doença da vaca louca em países desenvolvidos, e longe dos efeitos do suposto aquecimento.

Eficácia virtual
Noticiada na véspera por esta coluna, a manifestação virtual dos musicoterapeutas cobrando, através do envio de mensagens eletrônicas aos senadores, que a Comissão de Educação do Senado colocasse em votação a regulamentação da profissão surtiu efeito. A comissão, presidida pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF), já colocou a matéria na pauta. Precavida, a categoria, porém, vai continuar a bombardear os senadores com mensagens até a propostas ser votada.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportação de cachaça para mercado europeu cresceu em 2020

Investimentos será de R$ 3,4 milhões em promoção; no Brasil, já cerveja deve ficar entre 10 e 15% mais cara em 2021.

UE planeja iniciar gastos de grande fundo de recuperação em meses

Incerteza econômica na Alemanha continua em 2021; economista mantém previsão de crescimento do PIB do país em +3,5%.

Exterior abre positivo e Copom no radar interno

Na Ásia, Bolsas fecharam sem sinal único; Hong Kong registrou avanço de 1,08%.

Índice Ibovespa futuro opera entre perdas e ganhos

No momento, o futuro do índice Ibovespa está em alta de 0,03% e o futuro do dólar está em queda de -0,34%.

Comportamento indefinido

Ontem, logo cedo, Europa seguia a trilha de alta dos mercados da Ásia, o mesmo acontecendo com o mercado americano.