Delphos cria solução para a gestão de ações na Justiça

Ao longo da pandemia, aumentou muito a demanda das empresas, incluindo seguradoras, por um consistente apoio na gestão de ações judiciais. Nesse cenário, a Delphos desenvolveu e oferece ao mercado de seguros uma solução bem interessante. Trata-se do “BPO Processos Judiciais”. Ela inclui suporte total às seguradoras na gestão de ações judiciais de qualquer ramo de seguro de massa, além de acompanhamento dos processos e apoio administrativo aos escritórios técnicos contratados pelos clientes, desde a recepção das novas ações judiciais, até o seu encerramento efetivo.

Verônica Vaz Calbar, analista de Compliance, e Amanda Diniz Valamiel Moreira, coordenadora de Sinistros da Delphos, entendem que as empresas, devido à gama de diferentes assuntos jurídicos envolvendo seus negócios, possuem uma grande diversidade de prestadores.

“Este controle e acompanhamento torna-se dispendioso, lento e, devido à descentralização, mais suscetível a falhas. A Delphos está apta a fazer toda esta gestão administrativa. Ela faz a ponte entre todos os escritórios e prestadores e a empresa contratante, através do acompanhamento das ações judiciais, fornecimento de toda a logística administrativa envolvida, centralização do controle, elaboração de relatórios gerenciais e indicadores e uso de jurimetria para alcance dos objetivos, possibilitando aos jurídicos internos dos clientes concentrarem seus esforços na estratégia de defesa dos seus interesses”, explicam as especialistas.

 

Público-alvo

O público-alvo é o mercado segurador, porque a Delphos, na essência, nasceu prestando serviços para esse segmento. Contudo, o modelo de negócio está aberto a outros mercados e pode abrigar, sem dificuldade, contenciosos de massa de ações de outros ramos do Direito.

Verônica Calbar e Amanda Moreira frisam ainda que a Delphos atua não só com as atividades de Back Office, mas oferece também a solução e execução dessas atividades, que seria o próprio sistema de acompanhamento processual. “A nossa ferramenta pode ser utilizada por todos os atores dessa cadeia como, por exemplo, a própria seguradora, os escritórios de advocacia e prestadores de serviços”, acrescentam. Outra vantagem é que todo esse apoio na gestão pode ser feito também por meio remoto.

Acesso

As especialistas da Delphos explicam que todas as soluções oferecidas estão disponíveis em formato web e podem ser acessadas em qualquer lugar. “Com o modelo de teletrabalho se impondo no último ano, nossa operação não sofreu nenhuma alteração e o atendimento aos clientes e as atividades inerentes aos contratos não sofreram nenhum impacto. De qualquer forma, o judiciário já vem em um processo de automatização que, para as empresas e escritórios, foi um facilitador”, observam.

Econômico

Para os clientes, outra boa notícia é que o custo do serviço é bem acessível para seguradoras e demais empresas de diferentes portes, até porque, para os clientes, é mais seguro concentrar toda base de dados em um único banco, em uma única solução, tendo a tranquilidade de saber que toda informação está consolidada e é periodicamente saneada por uma equipe dedicada e capacitada. “Além de demandar menos recursos para executar o trabalho gerencial e de contato com os prestadores, para as empresas é interessante e mais estratégico ter uma solução que concentre todas as etapas do seu negócio”, pontuam Verônica e Amanda.

Sobre a economia obtida com a utilização desse serviço, elas revelam que é difícil mensurar o impacto para o segurado, uma vez que o jurídico é um custo indireto dentro dos budgets das seguradoras, e cada uma tem o seu critério de rateio para a distribuição desses custos, os quais precisam ser previstos nos racionais de custeio que irão impactar nos preços oferecidos aos segurados.

Contudo, ressalvam que as demandas judiciais são menores se os segurados estão satisfeitos com a prestação do serviço em si, e isso não tem a ver com a atuação judicial da seguradora. “O que ocorre é que, havendo demanda, o nosso processo representa economia para a seguradora, que, diminuindo os custos com o seu passivo, conseguirá competir com preços menores, e, aí sim, gerando economia para os segurados”, destacam.

Ressaltam que a Delphos não tem um indicador para medir se a demanda aumentou durante a pandemia, pois não se conhece o universo todo que envolve as demandas judiciais contra o mercado segurador, seja o anterior ou o que ocorre agora.  No entanto, há dados que apontam para um aumento considerável na quantidade de sinistros de pessoas (seguros de vida) em decorrência da Covid, avisados e tratados na esfera administrativa, e que isso gerou inclusive a contratação da Delphos por algumas seguradoras para tratamento de seus transbordos.

“Esse aumento não pode servir de balizador para aferirmos que o aumento das demandas judiciais se deu na mesma medida, mas é possível supor que, até mesmo pelo grande aumento da volumetria, o mercado tenha encontrado dificuldade para cumprimentos dos SLAs, o que, por consequência, pode ter levado ao aumento da judicialização”, concluem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Demanda por seguros de autos cresce 25,74% em julho

Neurotech: crescimento no RS, PR, MG, SP e RG

Previdência complementar pode entrar na lista de penhora

O texto altera o Código de Processo Civil

Delphos retoma atividades no CVG-SP

Reintegração ao quadro de beneméritas do CVG-SP após o retorno presencial ao trabalho na empresa, em abril de 2022

Últimas Notícias

Produtos verdes e inteligentes são destaques na Expo da Rota da Seda

Uma variedade de produtos verdes e produtos inteligentes estão em exibição na Sexta Exposição Internacional da Rota da Seda em Xi'an,na China.

Delta do Rio Yangtzé impulsiona integração por meio de digitalização

O Delta do Rio Yangtzé da China, um dos centros econômicos do país, está acelerando a sua transformação digital e fazendo novos progressos com base nas redes 5G.

Fux suspende decisão que tornava Eduardo Cunha elegível

Com isso, ex-presidente da Câmara não poderá se candidatar.

Em um ano, Brasil perdeu 1,2 milhão de empresas

Entre abril de 2021 e o de 2022, Ltdas. e S/As foram as que mais fecharam; MEIs, apesar da proliferação, caíram 7,2% no período.

Rio restabelece parte dos serviços hackeados

Sistemas fazendários continuam fora do ar.