Demanda por crédito cai 10% em julho

82
Salão de cabeleireiro (Foto: Fernando Frazão/ABr)
Salão de cabeleireiro (Foto: Fernando Frazão/ABr)

A demanda por crédito no Brasil registrou queda pelo sétimo mês consecutivo no ano. Em julho, a retração voltou a dois dígitos, atingindo -10% quando comparado com o mesmo mês de 2022. As perdas estão ligadas ao segmento de bancos e financeiras, que tiveram uma diminuição de 22% no mesmo período. Já o varejo e serviços reverteram a tendência negativa a partir de maio e mostram aumento da demanda pelo terceiro mês consecutivo em igual base de comparação, com alta de 24% e 19%, respectivamente. Os dados são do Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC), que mede mensalmente o número de solicitações de financiamentos nos segmentos de varejo, bancos e serviços.

“Por terem mais recursos e um arsenal de produtos maior para trabalhar a própria carteira de clientes que já tende a ser grande pela maior envergadura destas instituições, os bancos e financeiras têm se mantido mais reticentes na hora de ampliar a oferta de crédito ao público”, afirma Breno Costa, diretor da Neurotech e responsável pelo indicador.

Na comparação mensal, julho demonstra leve melhora, com alta de 1% na comparação com junho. Por segmento, a demanda por crédito ficou assim: bancos e financeiras (+4%); serviços (+11%) e varejo (-15%). Os dados estão em linha com o esperado, pois a cautela na concessão de crédito permanece. Desde o final do ano passado, o mercado demonstra queda mês a mês com alguns soluços de melhora, como ocorreu em março e maio e agora a leve melhora em julho.

No varejo, o ranking do INDC por segmento em relação a junho ficou assim. Destaque para o setor moveleiro, com alta de 15% e lojas de departamentos (+9%). No campo negativo ficaram Eletroeletrônicos e Vestuário, ambos com queda de 2% e os supermercados tiveram forte retração (-34%).

Leia também:

Desmatamento na Amazônia (Foto: ABr/arquivo)
Conjuntura | Matéria do Dia
Cresce a preocupação com clima e meio ambiente no Brasil

Segundo pesquisa, com enchentes no RS e queimadas no Pantanal, 57% acreditam que o país está no rumo errado e para 43%, no rumo certo

Espaço Publicitáriocnseg

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui