Demanda por crédito cresce 3% em setembro

Destaque para supermercados e serviços medido pelo INDC indica forte tendência de direcionamento do consumidor para gastos essenciais

Apesar de manter o interesse por crédito em alta, o consumidor brasileiro dá sinais de que vai privilegiar gastos em áreas essenciais enquanto aguarda que sejam resolvidas as recentes incertezas surgidas no cenário econômico. Essa é uma das principais constatações do Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC). A pesquisa registrou um crescimento de 3% no total da busca por financiamento em setembro, na comparação com agosto.

Entre as três categorias monitoradas mensalmente pelo estudo, o segmento de bancos e financeiras ficou praticamente estável, com uma alta de apenas 2%. Enquanto isso, o destaque positivo ficou por conta dos serviços, com acréscimo de 25%. Já o varejo foi o responsável pelo maior indício de mudança de comportamento das famílias, apresentando uma queda de 4% no volume de pedidos. “É preciso lembrar que setembro tem menos dias úteis que agosto”, afirma o diretor executivo da Neurotech, Breno Costa.

Ao analisar individualmente as subcategorias do setor varejista, a escolha das pessoas por fazerem gastos em áreas consideradas mais essenciais fica mais claramente demonstrada. Lojas de móveis e eletrodomésticos, por exemplo, registraram quedas de 70% e 32% respectivamente nas solicitações. Em contrapartida, os pedidos de empréstimos para compras em supermercados somaram o maior crescimento do ano, alcançando o patamar de 119% acima do acumulado em agosto.

Para Costa, esse é um movimento natural do consumidor. Segundo ele, nos meses anteriores o INDC registrou a recuperação do ritmo natural de demanda por crédito que havia antes da pandemia. “Agora que as necessidades mais urgentes represadas durante o período de confinamento já foram sanadas, é natural que haja um movimento na direção da neutralidade, com investimentos apenas em itens essenciais, enquanto as pessoas esperam sinais mais claros sobre os rumos da economia nos próximos meses ”, diz.

Numa análise anual, o mês de setembro de 2021 acumulou um volume 8% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Neste sentido, o setor de serviços aparece como o mais importante motivador de pedidos, tendo sido responsável por 42% a mais neste ano contra 2020. O segundo melhor desempenho foi o do varejo, com 11% superior. Já os empréstimos pedidos em bancos ou financeiras ficaram apenas 2% acima do montante acumulado 12 meses atrás.

Sobre o INDC
O Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC) abrange um universo de 94 empresas instituições financeiras e varejistas e mensura o apetite do brasileiro ao crédito. Nem todas as milhões de consultas mensais registradas se transformam em concessão de crédito, pois o processo depende de fatores como o perfil da pessoa que está fazendo a solicitação, o apetite ao risco da financeira e se há ou não indícios de fraude.

Leia também:

Mais de 62 milhões de brasileiros possuem compras parceladas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Atividade do comércio cai 1,2% em abril

Retração foi liderada pelo setor de Veículos, Motos e Peças, com baixa de 4,2%.

Gasolina registra terceira alta seguida e inicia maio a R$ 7,55

Etanol fecha o período a R$ 6,15, alta de 3,69% em relação a abril, e não registra recuo em nenhuma região do país.

Leme é o bairro com aluguel mais caro no Rio; em São Paulo, Itaim Bibi

Depois de quase dois anos, a taxa de imóveis vazios disponíveis para aluguel no Rio e à espera de um inquilino voltou ao patamar...

Últimas Notícias

Criação de mais um monopólio privado regional

Recurso de petroleiros contra decisão do Cade sobre venda da Reman

Restrição do Fed pode impulsionar a saída de capital dos países da AL

Sinalizou uma política monetária mais restritiva em meio às expectativas de inflações mais altas

Setores fortemente impactados com a pandemia reagem na Bolsa

Alta é influenciada pelo anúncio da reabertura gradual da China

China está confiante na recuperação econômica

Produção de carvão bruto, petróleo bruto e gás natural aumentou 10,7%, 4% e 4,7%, respectivamente, ano a ano

B3 lança fundo para investir em startups

Nova frente nasce com capital de R$ 600 milhões