Democracia estraçalhada

A decisão do primeiro-ministro grego, George Papandreou, de substituir o referendo popular por um “acordão” com a mesma oposição de direita que levou o país à crise mostra que, de berço da democracia ocidental, a Grécia virou caso emblemático de falência da democracia representativa. Com a esmagadora maioria da população contrária à submissão do país às políticas recessivas do FMI, Papandreou e a Nova Democracia – equivalente grego da ditabranda da mídia tupiniquim – não têm a menor legitimidade para assinar qualquer termo de rendição com a União Européia (UE) que hipoteque o futuro do país.

Democracia cosmética
Mais do que autoritária, a decisão de Papandreou, em obediência aos desígnios dos tecnocratas da UE, do Banco Central Europeu e do FMI, expõe a incompatibilidade entre os desejos dos plutocratas globais e a democracia. Situação similar já se passara quando governos europeus, como o Reino Unido de Tony Blair, apoiaram a invasão do Iraque pelos Estados Unidos, em antagonismo com a vontade de seus concidadãos. Bombardeado nas ruas, seus substitutos do Partido Conservado e até do Partido Liberal – que se opusera à ação militar, com isso angariando forte prestígio popular – não apenas mantiveram a posição de linha auxiliar dos EUA no Iraque, como formaram a linha de frente dos bombardeios à Líbia. Com isso, tem-se o abastardamento do voto, com a ida às urnas sendo transformada em mera pantomina, para legitimar um sistema que não admite qualquer dissidência fora dos assuntos cosméticos.

Tragédia espanhola
Há quatro anos consecutivos amargando o fechamento de postos de trabalho, a Espanha parece longe de ter atingido o fundo do poço. Em outubro, mais 134.182 vagas foram cortadas. Com isso, a taxa de desemprego no país saltou para 21,5% da população economicamente ativa (PEA), a maior dos últimos 15 anos. No total, a Espanha já tem 4.360.926 de desempregados. Ao mesmo tempo, o número de inscritos na Seguridade Social diminuiu em 75.249 inscritos, recuando para 17.360.313 de pessoas. Não por acaso, o primeiro-ministro José Luis Zapatero e a UE sequer cogitam de submeter a referendo às medidas que têm levado a Espanha à deterioração social.

Democracia dos monopólios
Para cada três emissoras comerciais de rádio ou televisão, o Estado do Rio de Janeiro tem apenas uma rádio ou TV comunitária. Não por acaso, o estado é o oitavo no ranking de radiodifusão comercial, enquanto amarga o 14º posto na relação de rádio ou televisão comunitária. Os dados, do Sindicato do Jornalistas do Município do Rio de Janeiro, ajudam a entender por que, quando se fala em democratização da comunicação, os donos do poder estabelecido gastam tantas páginas e horas para defender “a liberdade de imprensa”.

Quase civilizados
A redução na taxa básica de juros (Selic) já repercute nos financiamentos entre empresas. A gigante de software Totvs – que tem 48,6% do mercado de programas empresariais e de gestão – passou a oferecer linha própria de financiamento com juros de 1% ao mês. Ainda que alto para padrões internacionais, e que via Cartão BNDES os empresários possam ter acesso a empréstimo com juros mais em conta e prazo mais longo, é uma sinalização da queda das taxas.

Sagrado&profano
De olho nas 500 mil pessoas que compareceram, este ano, à procissão em homenagem ao Padre Cícero, no Dia de Finados, o comércio que cerca a manifestação de fé dos romeiros, em Juazeiro do Norte (CE), recorreu à criatividade para elevar as vendas aos céus. Numa barraca, que atendia pelo peculiar nome de Barraca de Cheiro, a dona vendia, por R$ 1….calcinhas fio dental. Para justificar o nome do estabelecimento, ela perfumava o produto antes de entregar aos clientes: “Compre a calcinha e o Padre Cícero opera o milagre para te arranjar alguém”, recitava a vendedora.

MicaCícero
Diante da miríade de ofertas das barracas, algumas fiéis chegaram a batizar a romaria de “Micareta do Padre Cícero”. Apesar do caráter turístico, e até exótico, boa parte dos participantes, no entanto, faz do evento uma reafirmação da sua manifestação de fé no beato.

Artigo anteriorFuga do dragão
Próximo artigoLuxo no mar
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.