Democracia à Aécio

Os brasileiros curiosos com os princípios democráticos pregados pelo presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG) – um recorrente denunciador do que enxerga como autoritarismo petista – têm, durante os protestos que varrem o Brasil contra os extorsivos preços das passagens dos transportes, oportunidade singular para entendê-los. A pedido do governo tucano, a Justiça local concedeu liminar transformando o estado no único do Brasil no qual os insatisfeitos não podem protestar publicamente. Felizmente, a proibição foi revogada pelo tribunal das ruas.

Cadê os fiscalistas?
Uma dúvida assalta analistas que acompanham os protestos contra os escandalosos custos dos estádios para a Copa do Mundo: se PT, PSDB e imprensa conservadora são unânimes na defesa dos cortes dos gastos públicos – não financeiros, por óbvio – por que os mesmos setores apoiaram ou se omitiram diante da selvagem repressão da PM do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), à passeata de sexta-feira? Será o caso de se convocar os economistas ortodoxos para apoiar a garotada?

Afundando
Com a audiência em acelerado viés de baixa, que, em fevereiro, batia em 24,5 pontos, o Jornal Nacional não foi páreo para a guerrilha dos integrantes do Movimento Passe Livre (MPL) na internet. Um único vídeo que exibia um policial aparentemente quebrando o vidro da própria viatura obteve, em apenas dois dias, 250 mil acessos. É mais um alerta, inclusive, para as deprimentes vozes do dono escaladas para tentar desqualificar o movimento, de que a audiência da velha mídia derrete, não apenas por causa dos novos meios de comunicação, mas pelo crescente descolamento da audiência.

E o palhaço, quem é?
O tema do Prêmio Comunique-se 2013, que reconhece os jornalistas brasileiros, será “Circo! O maior espetáculo do jornalismo”. A escolha foi para mostrar um prêmio “divertido e dinâmico”. Mas o paralelo com as redações da grande imprensa vai além: tem o mágico (que faz desaparecer as informações contrárias à linha da editora), o ilusionista (que finge ser progressista, para passar mais facilmente idéias reacionárias) e o inocente equilibrista, que tenta manter a ética sem perder o ganha-pão.
A votação vai até 30 de junho. Os nomes dos finalistas serão divulgados em 21 de agosto; os dos premiados, em 24 de setembro.

Grave ameaça
Cada vez mais questionadas, muitas reservas indígenas reúnem mais estrangeiros e ONGs do que índios. “A problemática indígena. grave ameaça à soberania brasileira” é tema de debate que será realizado pelo Centro Brasileiro de Estudos Estratégicos, com o apoio dos clubes Naval, Militar e da Aeronáutica, num ciclo de palestras dias 9 e 10 de julho, das 9h às 17h20m, no auditório do Clube da Aeronáutica (Praça Marechal Âncora 15 – Centro do Rio da Janeiro.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGeraldo Haddad
Próximo artigoRevoga, Haddad!

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.

Evergrande, Fed e Copom

Bovespa encerrou o segundo dia de alta com +1,84% e índice em 112.282 pontos, mas na máxima chegou a atingir 113.321 pontos.