26.4 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, janeiro 18, 2021

Descontentes

O pré-candidato do PMDB à presidência da República Anthony Garotinho fará, nesta quinta-feira, palestra na abertura da reunião plenária da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), em São Paulo. “Garotinho, que tem criticado ferozmente a atual política econômica do governo, endossa o coro dos descontentes e deve apresentar seus planos para a economia brasileira na palestra”, sustenta a Abimaq.
Nesta terça-feira, a associação divulgou um balanço do desempenho do setor de máquinas em 2005 em que lamentou que o crescimento foi muito abaixo do desejado e pode chegar até o final de 2006 com queda de até 10% no faturamento. O balanço aponta como causas do mau desempenho a atual situação do câmbio, os juros altos e a concorrência com a China.

Vírus
Também pré-candidato do PMDB, o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, não nutre simpatias pelo software livre, que reduz os gastos públicos com programas de computador. O software de correio eletrônico Direto, desenvolvido pelo governo gaúcho durante a gestão petista de Olívio Dutra, deixou de ser distribuído gratuitamente à população; agora, só pagando.

Bom de copo
O consumo per capita de cerveja no Brasil encorpou dois litros ano passado, atingindo 48,6 litros, contra 46,6 litros, em 2004, segundo o Sindicato da Indústria da Cerveja (Sindicerv). Isso significa que, em 2005, foram consumidos 8,45 bilhões de litros, movimentando cerca de R$ 12,5 bilhões. No Rio de Janeiro, o consumo per capita foi quase o dobro do nacional: 90 litros/ano. As cidades do Rio e de São Paulo responderam juntas por 44% da produção brasileira.
Os maiores bebuns de cerveja, no entanto, estão na República Tcheca e na Alemanha que consomem, respectivamente, 161 e 123 litros por ano.

Câmbio borbulhante
Apesar do monopólio estabelecido no setor pelo surgimento da AmBev, o superintendente do Sindicerv, Marcos Mesquita, atribui o aumento do consumo à estabilidade do preço da cerveja, permitido, segundo ele, pela valorização do dólar frente ao real. Segundo Mesquista, 45% do custo da cerveja dependem da variação do dólar, devido à matéria-prima usada na fabricação. Em 2005, o preço da cerveja subiu 4,5%, em média. O consumo da cerveja foi favorecido ainda pelo aumento maior dos preços de bebidas concorrentes, como vinho, cachaça e refrigerantes.

Simples e barato
Telefonia pela Internet (VoIP) mais simples é o que promete a norte-americana Jajah Web. A empresa realiza conexões de telefone a telefone através da Internet para ligações baratas: a pessoa que faz a ligação digita o seu próprio número de telefone (convencional ou móvel) no site www.jajah.com e depois digita o número de destino. Os dois são conectados e a ligação, garante a Jajah, não é diferente de qualquer outra conversa telefônica normal – somente os preços, bem mais baixos.

Popular
Restaurante popular já é conhecido em vários estados; a Farmácia Popular é um sucesso no Rio. Que tal então a Papelaria Popular? Este é o projeto do deputado estadual fluminense Noel de Carvalho (PMDB), líder do governo na Alerj. O objetivo é fornecer material escolar, livros didáticos e jogos educativos, a preço de custo à população de baixa renda. O projeto prevê convênios com empresas privadas, que dariam os materiais em troca de divulgação da marca, tanto nos pontos de distribuição da Papelaria Popular, quanto nos materiais escolares.

Marcas
Alexandre Braga, VP gerente geral da McCann-Erickson Rio, fará palestra, em formato de talk show, sobre o tema “Como construir grandes marcas”. O evento marcará o lançamento do CBA em Marketing do Ibmec/RJ – pós-graduação lato sensu. Será em 14 de fevereiro, às 19h, no auditório da Firjan (Av. Graça Aranha, 1 / 2º andar – Centro). Informações e inscrições: (21) 3284-4000

Artigo anteriorInimigo meu
Próximo artigoMais de mil
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.