Deseducação

Foi emblemático que a aprovação na Câmara de cotas raciais e sociais nas universidades públicas tenha coincidido com a divulgação do resultado do Enem, segundo o qual as notas das provas objetivas desabaram 20% em relação ao ano passado. Nada mais significativo do rebaixamento do papel da educação no país do que, diante do contínuo processo de desestruturação do ensino básico e médio, políticos, mais interessados em produzir estatísticas infladas do que na formação de profissionais com espírito crítico e capacitados, aprovem medidas que transformam o ensino universitário numa espécie de estuário de políticas sociais. Política social, perene, é garantir ensino de qualidade a todos brasileiros.

Longa marcha
O vice-presidente do Partido Comunista da China, Hu Yanxin, afirmou em, São Paulo, durante o 10º Encontro Internacional dos Partidos Comunistas, que o país “vai passar por um longo período da etapa primária do socialismo”. O dirigente chinês fez ressalvas ao modelo de desenvolvimento de seu país: “O Índice de Gini subiu rapidamente de 0,285 para 0,458. A diferença entre os habitantes urbanos e rurais é de até 3,28 para 1. A poluição ambiental está grave. Por isso, nesta circunstância, se a China seguir o modelo tradicional, os recursos não sustentam, o meio ambiente não atende às necessidades da população, a sociedade não aguenta, e o desenvolvimento não continua, o que faz com que nós precisemos mudar a visão, criar um novo estilo, resolver os problema e elevar a eficiência e qualidade do desenvolvimento”, afirmou Yanxin.

Fora da foto
O diretor geral da ANP, Haroldo Lima, desfilou pelo encontro dos partidos comunistas sem ser citado. É que a atuação, digamos, pouco soberana de um dirigente do PCdoB à frente do órgão pegaria mal para os “camaradas” de mais de 70 países.

Imperialismo
O presidente Lula enviou carta aos participantes do 10º Encontro Internacional dos Partidos Comunistas destacando a necessidade de “internacionalismo” nos nossos dias. Ao que um dos presentes perguntou: através da Odebrecht ou da Camargo Correia?

Homenagem
O Sindusfarma, que congrega 110 indústrias paulistas de produtos farmacêuticos, que empregam cerca de 50 mil pessoas, recebeu a Salva de Prata, durante Sessão Solene na Câmara Municipal de São Paulo. As empresas associadas foram responsáveis por cerca de 75% do faturamento da indústria farmacêutica em 2007.

Bug do milênio
A crise financeira provocará grande redução nos investimentos em tecnologia da informação (TI) no ano que vem, prevê a consultoria IDC, que reviu os números que havia anunciado em agosto. Nos Estados Unidos, a projeção é de 0,9% (ante 4,2%) e na América Latina, a queda é de 13,7% para 7,8%. Os segmentos mais afetados na AL deverão ser o de hardware de consumo, como PCs, impressoras e câmeras digitais, no quais os investimentos dependem diretamente dos gastos dos consumidores. Para o mercado de software na região, a expectativa é de crescimento de 9%; no de serviços, de 8,6%.

Ilha da fantasia
Longe de aproximar os mercados financeiros da realidade, a crise global aumentou a distância entre os dois mundos. No mesmo dia em que a Petrobras anunciou a descoberta de mais 2 bilhões de óleo leve – de maior valor agregado nos mercados internacionais – na camada de pré-sal, na Bacia do Espírito Santo, elevando as estimativas das reservas daquela bacia para 3,5 bilhões, as ações preferenciais nominativas da estatal (Petro PN) fecharam em queda de 8,7% para R$ 16,89.

Marte&Terra
O álibi para o derretimento do papéis da Petrobras continua a ser a queda do preço do petróleo nos mercados futuros. Noves fora a alegação desconsiderar a influência do aluguel de ações na volatilidade dos papéis da estatal, que, sexta-feira, registraram 40.179 negócios, já tem palpiteiro projetando que as cotações vão marchar para R$ 14. A situação provocou comentário irônico de um veterano integrante do mercado financeiro: “Antes, era viagem a Marte. Agora, virou viagem ao centro da Terra. Não existem mais analistas de verdade”, sentenciou.

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Artigo anteriorVirou “fashion”
Próximo artigoÀ européia
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Investimento chinês em pesquisa aumentará 7% ao ano até 2025

País divulga 14º Plano Quinquenal; desde 1953, PIB cresceu 1.232 vezes.

FMI: orçamento deve atender direitos das mulheres

No Egito, por exemplo, houve mais recursos para serviços públicos de creche.

Planos registram maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

Dados de janeiro foram divulgados hoje pela ANS e confirmam tendência de crescimento no país.

MP-RJ pede júri popular para Flordelis e mais oito réus

Deputada é acusada de mandar matar o marido; 11 réus respondem ao processo, mas o MP pediu para não se pronunciar sobre dois deles.

Payroll de fevereiro surpreendeu positivamente as expectativas

Soma-se às surpresas a revisão no número anterior de 49k para 166k e, principalmente, a criação de vagas no setor privado em 465k.