Desemprego é recorde, mas empresas falam em dificuldade para contratar

Já o trabalho temporário alcançou mais de 2 milhões de vagas em 2020, alta de 34,8% ante 2019; indústria puxou 65% das contratações.

O país registrou no último ano o recorde de desemprego, cerca de 13 milhões de pessoas ficaram sem trabalho. O número representa 14,4% da nossa população, o maior recorde histórico divulgado pelo IBGE. Por outro lado, as empresas se queixam de dificuldades na contratação. A explicação lógica para esse fenômeno é a falta de candidatos qualificados para preencher as vagas existentes. “O maior problema não está na habilidade técnica do profissional, mas sim, na comportamental” explica a especialista em gestão de carreiras, Erika Linhares.

Pesquisa realizada pela startup Gama Academy revelou que para 52% das empresas, a falta de competência comportamental no mercado está entre as maiores dificuldades de contratação. “Essas habilidades não são mais um desejo, elas passaram a ser essenciais em um mundo novo, para o mercado novo, para o funcionário e a empresa prosperarem. O mundo dos negócios não é mais o mesmo e as exigências dos cargos do mercado também não”, reflete a executiva.

Se antes a principal preocupação era a capacitação técnica, hoje a comportamental anda de mãos dadas com tal quesito. “Temos que aprender e desaprender o tempo todo. As corporações já perceberam que um grande diferencial da economia do futuro é ter pessoas que fazem a diferença. E, para fazer essa diferença, precisamos desenvolver as habilidades comportamentais. São necessários profissionais que saibam resolver problemas com iniciativas criativas e que saibam trabalhar em equipe, por exemplo”.

Na mesma pesquisa, um levantamento aponta ainda que as cinco principais habilidades exigidas pelo mercado são: trabalho em equipe, capacidade de resolução de problemas, pensamento crítico, proatividade e criatividade. “Está aí a grande dificuldade, nada adianta ser fera em matemática, desenvolver um software ou falar vários idiomas, se o funcionário é incapaz de conversar. Pessoas continuam achando que essas habilidades comportamentais não podem ser desenvolvidas, mas isso é uma inverdade”.

Já o trabalho temporário alcançou mais de 2 milhões de vagas em 2020, segundo dados apresentados pela Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Assertem), representando um aumento de 34,8% com relação a 2019 quando foram geradas 1.485.877.  Puxado principalmente pelo setor da indústria – 65% das contratações temporárias foram dentro do setor – esse número revela uma demanda complementar de trabalho em segmentos como alimentos, farmacêutica, embalagens, metalúrgica, mineração, automobilística, agronegócio e óleo e gás. Já o setor de serviços foi responsável por 25% das vagas criadas, e o comércio, por 10%.

A taxa média de efetivação no ano passado foi de 20%. Nos anos anteriores, ela ficava em torno dos 15%, segundo a Asserttem.

As contratações por meio do trabalho temporário – que pode ser utilizado para substituição transitória e para demanda complementar de trabalho – devem seguir em alta em 2021, segundo a Asserttem.

Leia mais:

Medo do desemprego é crescente entre os brasileiros

Desemprego atinge 14,1 milhões no trimestre encerrado em outubro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Lucros das empresas subiram 55% no primeiro trimestre

Em abril, quase metade das categorias de trabalhadores não conseguiu repor inflação.

Queda na indústria atinge todos os grupos de intensidade tecnológica

Perdas no primeiro trimestre de 2022 vão de 2,3% a 8,7%.

Otimismo dos comerciantes melhora em maio

Segundo a CNC, é o maior nível desde dezembro de 2021.

Últimas Notícias

B 3 lança novos produtos para negociação de estratégias de juros

Operações são estruturadas de contratos futuros de DI, DAP e FRC

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

JBS tem governança fraca, mas perfil de negócio forte

Brasil corre risco de desabastecimento de diesel

Alerta foi feito inclusive pela direção da Petrobras

Lucros das empresas subiram 55% no primeiro trimestre

Em abril, quase metade das categorias de trabalhadores não conseguiu repor inflação.

PIB dos EUA cai mais que previsto, porém inflação perde ritmo

Recessão não está descartada, segundo analistas.