Desenvolvimento

Desemprego Zero é o site que está sendo lançado para reforçar a luta pela mudança da política macroeconômica brasileira em favor de uma política de promoção do pleno emprego. “Isto só se fará através da retomada do desenvolvimento – aumento do dispêndio público em serviços básicos e infra-estrutura via redução e eventual eliminação do superávit primário (R$ 70 bilhões só este ano) -, redução drástica da taxa de juros, controle de capitais e administração do câmbio favorável a exportações”, explica o economista e jornalista José Carlos de Assis. O endereço provisório é www.kke.org.br/desempregozero

Ônus anunciado
Caiu como um balde de água fria no Palácio do Planalto a última pesquisa CNI/Ibope. Na véspera da realização de pesquisa similar anterior, a organização de um esforço concentrado de exposição na mídia, incluindo entrevista estilo família no Fantástico, conseguira estancar a queda. Dessa vez, porém, a queda parece sinalizar a colheita que espera o governo na sua caminhada para manter e aprofundar a política econômica da herança maldita deixada pelo tucanato.

Nuestra América
Cresce a tensão na Bolívia. Desde semana passada, trabalhadores rurais e urbanos, estudantes, aposentados, comerciários e desempregados intensificaram as manifestações em defesa da nacionalização da indústria petroleira e do gás do país. Os sindicatos convocaram greve geral por tempo indeterminado contra a política econômica do presidente Gonzalo Sánchez de Lozada, que, segundo as últimas pesquisas, teria apenas 9% de apoio popular.
Os sindicalistas pedem a anulação do projeto de exportação de gás para os Estados Unidos através do consórcio da Pacific LNG, formado por Repsol-YPF, British Gas e Panamerican Gas (subsidiária da British Petroleum). Segundo a Central Obrera Boliviana (COB), do US$ 1,3 bilhão investido no setor, apenas US$ 30 milhões permanecem na Bolívia. A diferença, segundo o COB, se explica pelas condições da privatização da indústria petroleira, em 1997. Com a privatização, as multinacionais passaram a controlar 52 trilhões cúbicos de gás, a segunda maior extração da Amércia do Sul.

Consumo zero
“Já era esperada alta um pouco mais forte na inflação de setembro”, explica o economista do Banco BNL Everton Pinheiro de Souza Gonçalves, que atribui o repique à entressafra e ao reajuste de preços administrados. O economista explica que a alta do IGP-M (1,18% em setembro) não é reflexo de um aquecimento da economia. “Diante do quadro recessivo, vincular a inflação com demanda chega a ser temerário”, ensina.

Treinamento
A Philips e o Senac São Paulo criaram o Centro Philips de Capacitação, investimento de R$ 2 milhões feito pela multinacional que beneficiará o consumidor e também os profissionais de redes varejistas das áreas de atendimento e vendas. A iniciativa prevê cursos personalizados para esses profissionais.

Rio exporta
Para divulgar estatísticas e análises do comportamento da balança comercial do Rio de Janeiro, a Federação das Indústrias do Estado (Firjan) lança hoje, às 11h30, a publicação mensal Rio Exporta – Boletim de Comércio Exterior do Rio de Janeiro.

Correio da luz
Clientes da AES Eletropaulo serão avisados por carta sobre as interrupções programadas no fornecimento de energia na sua residência por conta de obras de manutenção da rede de distribuição. A iniciativa integra o projeto “Cliente em 1º Lugar” que a AES Eletropaulo implanta a partir deste mês.

Frascos
A Sinimplast, fabricante de embalagens plásticas sopradas, fechou um contrato de fornecimento para o laboratório Glaxo que deve chegar a 11 milhões de frascos por ano.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorClonagem
Próximo artigoDiplomado em “171”

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...