Desigualdade e violência que vêm do céu

Cerco aos refugiados, enquanto as causas da imigração seguem intocáveis.

Fatos e Comentários / 19:53 - 20 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Airbus e duas companhias israelenses ganharam um contrato de 100 milhões da União Europeia para operar drones não tripulados no Mediterrâneo. O objetivo é identificar embarcações com refugiados e imigrantes com destino à Europa. Em 2005, o orçamento da guarda costeira europeia se limitava a 6 milhões; pulou para 460 milhões este ano.

Tanto dinheiro para conter a imigração para a Europa. Quem são os alvos? Centenas de milhares de pessoas fugindo de guerras, conflitos étnicos e desastre econômico. Quase todos os problemas criados pelos europeus e norte-americanos, através da ação direta ou indiretamente. No ano passado, 110 mil imigrantes e refugiados chegaram à Europa pelo Mar Mediterrâneo. A estimativa da Organização Internacional para Migrações (OIM) é que 1 a cada 33 pessoas que tentaram cruzar a região central do mar que separa a Europa da África e da Ásia morreram na travessia.

Paralelo e indiferente a tudo isso, o capital financeiro atravessa fronteiras sem limites, com direito a paraísos fiscais e movimentação de lucros para pagar menos impostos.

 

Quem tem, tem

No dia em que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos entrou com uma ação antitruste contra o Google, a Amazon, outra gigante da internet investigada por práticas anticompetitivas, anunciou que doará milhões de itens e dinheiro através de entidades de caridade.

 

Lições da História

A sabedoria antiga ensina que a razão se perde quando as paredes do estômago se encontram. Mais vetusta ainda é a conclusão bimilenar do poeta latino Virgílio (70-19 a.C.): ‘A fome é má conselheira’.” A lembrança é de José de Paiva Netto, da LBV.

O jornalista e radialista continua: “Porém, tanto essa admoestação quanto a que foi feita por Cícero (106-43 a.C.) – outro erudito de Roma e contemporâneo do autor de Eneida – muita gente não aprendeu até agora. Dizia o eloquente cônsul: ‘A História é a mestra da Vida’. Esse é um dos motivos pelos quais, de vez em quando, pipocam pela existência dos povos menosprezados revoltas e sublevações, a exemplo da Revolução Francesa (1789) e da Revolução Russa (1917).”

 

Cidade Imperial

A cidade de Petrópolis, no Estado do Rio de Janeiro, será palco de um tour virtual gratuito, 27 de outubro, promovido pela Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e pelo Portal Consultoria em Turismo. Guiado pela professora de história Priscilla Monteiro, com duração de duas horas, levará o participante a conhecer a cultura, a história e os principais atrativos turísticos de uma das cidades mais visitadas no Rio. A atividade tem o apoio da Escola Técnica de Turismo Cieth, da Fundação Cesgranrio, da Nice Via Apia Turismo, do HCTUR e da Sérgio Castro Imóveis. Inscrições: conhecaorioape@gmail.com

 

Trocou de canal

Hoje tuíta “GloboLixo”, mas até ontem via o “Jornal Nacional” e lia o Merval. Tamos de olho.

 

Rápidas

O antropólogo Luiz Eduardo Soares será o palestrante do Foro Inteligência no próximo dia 28, às 19h, com o tema “Milícias e Captura Eleitoral”. Soares analisará a genealogia das milícias e os riscos envolvidos para o futuro do Estado democrático de direito *** A Korsa fortalece o seu setor comercial com a contratação de dois profissionais do mercado de logística, Emanuel Vergani e Sochenes Galindo, que cuidarão da região Sul do país, que representa 40% da receita da empresa *** O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) fará nesta quinta-feira, 17h, o lançamento virtual do livro Pareceres da Comissão Permanente de Direito Penal do IAB (abril de 2018 a março de 2020). Será pelo canal TVIAB no YouTube *** O Grupo de Competição e Estudos em Direito Tributário (GETri) da UFRJ promoverá live para debater a reforma tributária e a possível volta da CPMF, dia 26, 20h, no Facebook *** O Conselho Regional de Administração do Rio (CRA-RJ) ganhou parecer favorável do juiz federal Elmo Gomes de Souza contra um pedido de anulação do auto de infração movido por uma prestadora de serviços de consultoria e assessoria voltada para empresas. A sentença confirma a legitimidade do CRA-RJ em exigir o registro na instituição.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor