Destino melhor

O Unafisco Sindical (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais) lança hoje, às 16h, na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, campanha nacional para estimular o contribuinte a destinar parte do Imposto de Renda devido aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente municipais, estaduais e nacional. A campanha, intitulada “Tributo à Cidadania – Seu imposto pode melhorar a vida de crianças e adolescentes”, lembra que a legislação permite que as pessoas físicas e jurídicas destinem, respectivamente, 6% e 1% do IR devido para aqueles fundos. Para constar na declaração do IR 2000, os recursos devem ser destinados aos fundos até o dia 28 de dezembro. O Sindicato considera esta iniciativa uma forma de o contribuinte decidir, ao menos em parte, em que será aplicado seu imposto. “Garantir uma perspectiva de vida melhor a milhares de crianças e adolescentes carentes pode não custar nada”, afirma a diretora do Unafisco Ivana Paixão.

Virtual
Além de levar a entidade a pagar mais um “mico” internacional, a eleição virtual promovida pela Fifa serviu para alertar os crédulos renitentes sobre o valor de pesquisas pela Internet. Com amostragem deformada e falta de controle sobre o número de participações de cada entrevistado, as pesquisas via Internet cometem o pecado venial de generalizar as opiniões dos internautas mais mobilizados e informados sobre as enquetes como representantivas de universos mais amplos.
Virtual
Então, ficamos combinados: De acordo com a Fifa, Honduras foi a segunda melhor seleção do ano 2000. Falta avisar apenas aos hondurenhos, que devem ignorar o potencial do escrete local.

Isonomia
O Comitê em Defesa da Democracia vai, hoje, às 15h, ao Tribunal de Justiça de São Paulo entregar um manifesto ao presidente da instituição pedindo o julgamento imediato do recurso da defesa dos seis presos do MST encarcerados na Penitenciária de Itapetininga. Acusados de dano, roubo qualificado e incêndio doloso por destruírem cabines de pedágio no interior de São Paulo, os seis integrantes do MST, que o movimento considera presos políticos, foram condenados apenas pela quebra das cabines e sentenciados a seis meses de prisão.
Passados seis meses, os desembargadores sequer marcaram a data para apreciar o recurso dos presos, que ameaçam entrar em greve de fome. O MST cobra da Justiça a mesma agilidade exibida quando da soltura de Salvatore Cacciola.

Sem asas
Quem deseja viajar antes do Natal deve se apressar. A Central Única dos Trabalhadores – RJ (CUT-RJ) insiste que é iminente a deflagração de uma greve de aeronautas e aeroviários antes das festas natalinas. Segundo a CUT, o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea) não fez nova proposta na mesa de negociação. As empresas oferecem reajuste de 5%. Os trabalhadores reivindicam 20% de reajuste global. O Snea dá como remota a hipótese de uma greve. No dia 19, haverá nova negociação entre sindicatos dos trabalhadores e das companhias aéreas. À tarde, os empregados farão assembléias para avaliar a negociação.

Direitos no campo
Defensores da reforma agrária no Brasil prosseguem na busca por apoio internacional. O Grupo Parlamentar de Amizade França-Brasil ouviu denúncias de violação de direitos humanos no campo brasileiro, feitas por um representante do Movimento dos Sem-Terra (MST) e outro da Comissão Pastoral da Terra (CPT) na Europa. O presidente do grupo, o parlamentar Christian Bataille, recebeu um dossiê contendo denúncias sobre as violências da polícia e pistoleiros praticadas contra os sem-terra no Paraná. Segundo os dois brasileiros, o parlamentar afirmou que solicitará ao Ministério das Relações Exteriores da França para que interceda junto à Embaixada brasileira. O grupo parlamentar, com 120 deputados e representantes de todas as forças políticas, é um dos maiores grupos da Assembléia Nacional Francesa, segundo o MST. A delegação brasileira está em viagem pela Europa desde o dia 29 de novembro para denunciar a situação de violação de direitos humanos no campo brasileiro e ampliar iniciativas de solidariedade com o Brasil.

Fim de linha
A reestruturação da General Motors vai custar o emprego de 15 mil trabalhadores, ou 10% do total do seu quadro funcional. Dos futuros desempregados da GM, a maior parte, 2 mil funcionários, trabalha no Reino Unido. As mudanças na GM, a maior empresa do mundo, incluem o fim da fabricação do Oldsmobile, a mais antiga marca de automóvel dos Estados Unidos. Lançado em 1897 por Ransom Olds, a Oldsmobile foi incorporada pela GM em 1908. A marca, que chegou a ser a segunda principal da GM, com 1 milhão de unidades vendidas por ano, viu suas vendas desabarem 28% mês passado.

Amigos
O presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães, disse ontem, em um almoço com cerca de 40 jornalistas, que, na intimidade, o presidente Fernando Henrique Cardoso afirma que sabe que há amigos seus que não poderiam estar no governo por causa de envolvimento com corrupção. Apesar de mais esta estocada, ACM não admite que perturbem sua “amizade” com FH.

Artigo anteriorReforço de caixa
Próximo artigoFato novo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Desigualdade, Big Tech e EUA são maiores ameaças à democracia

7 em 10 chineses avaliam que seu país vai bem na questão.

O poder do monopólio em rebaixar os salários

Um tributo a Joan Robinson, ‘uma das economistas mais importantes do século 20’.

Ricos querem pagar só 10% do imposto de Biden

Elisão fiscal ameaça levar US$ 900 bi do pacote para as famílias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Em cinco anos, SP reduziu em 32%, mortes no trânsito

Só Região Metropolitana reduziu em 29%; queda nas fatalidades em nível nacional foi de 22%.

Mercado reage em dia pós-Copom

Destaque para os pedidos por seguro-desemprego nos EUA.

Boas expectativas para o dia

Hoje, mercados começando aparentemente com realizações de lucros recentes e aguardando a decisão do Banco Central inglês sobre política monetária.

Mesmo com perdas de 75%, empresas em favelas mantêm 80% dos empregos

São mais 289 mil comércios registrados nas cerca de 6 mil comunidades em todo o Brasil.

OMS pede redução de desigualdades no acesso à higiene das mãos

Organização destaca que pandemia mostrou dramaticamente a importância da prática na redução do risco de transmissão.