34.6 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

Dever de casa

O anúncio de que, sob os auspícios da Prefeitura da cidade, o governo federal inauguraria, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, a sexta unidade do tradicional Colégio Pedro II (CPII) é o tipo da boa notícia destinada a virar mais um factóide. É que, antes de tratar da expansão do colégio, o governo FH deveria garantir a contratação de professores para não deixar sem aulas os alunos das cinco unidades já existentes. Na unidade do Humaitá, por exemplo, a carência de professores é tal que tem mestre dando aula em mais de uma série ao mesmo tempo.

Fobia
Ainda não está claro se trata-se de mais uma demonstração de incompatibilidade entre o tucanato e vida inteligente ou de uma contribuição à obtenção do superávit primário (exclui gastos com juros) imposta pela cartilha do FMI, mas o fato é que, até a primeira quinzena do mês, os bolsistas da Capes não viram a cor do dinheiro normalmente liberado pelo Ministério da Educação a mestrandos e doutorandos até o quinto dia útil de cada mês.

Infértil
O ministro José Serra está de olho nos dados sobre a fecundidade no país. Por solicitação de Serra, pesquisadores do IBGE estão compilando, em caráter de urgência, dados sobre o tema. Não se sabe se o interesse pode ter como efeito colateral ajudar a compreender as razões do crescimento meramente vegetativo das intenções de voto no tucano registrado pelas pesquisas eleitorais.

Ilusões
Para quem acha que a escolha pela dupla Menem/Cavallo do 1º de abril para institucionalizar, em 1991, a fábula da paridade do peso com o dólar poderia ter algum significado irônico ou, dependendo do ponto de vista, patológico, a coluna esclarece que, diferentemente do Brasil, na Argentina aquela data não é dedicada ao Dia da Mentira. Lá, essa efeméride é comemorada em 28 de dezembro. Mas, pela performance das marionetes do neoliberalismo por aqui, na América Latina, todo dia é Dia da Mentira.

Terra arrasada
Apenas os talibãs do neoliberalismo do jornalismo econômico se surpreendem e sentem urticárias com a guinada contra esse credo na Argentina. Com o desmonte imposto ao país, até a Águas Argentina – a companhia de água e esgotos – deixou de ser argentina. Doada na bacia das almas por Menem, Cavalo e outros, a empresa passou a mãos de grupos de Bélgica, França e Espanha.

Debates
O Fórum Social Pan Amazônico, em Belém (PA), de 25 a 27 deste mês, contará com a presença de um dos mais importantes pensadores marxistas da atualidade, o egípcio Samir Amin, autor de numerosas e importantes obras, incluindo Spectres of Capitalism (New York: Monthly Review Press, 1998). Amin é professor e pesquisador da Universidade de Dacar (Senegal) e dirige o Fórum do Terceiro Mundo, também em Dacar, e o Fórum Mundial das Alternativas. Durante sua participação no Fórum Social Pan-Amazônico, Samir Amin apresentará a palestra “O capitalismo depois do 11 de setembro e a guerra do Afeganistão”.

Vento em popa
Os tempos de guerra impulsionaram as vendas de armas e equipamentos militares da Rosoboronexport, agência de exportação de armamentos da Rússia. A estatal aponta mais uma vantagem: pagamento adiantado. A Rosoboronexport forneceu armas a 45 países. China, Índia, Chipre, Argélia, Grécia, Egito e Kuwait são responsáveis por mais de 90% das vendas da companhia. Aeronaves (75%) foram o principal item de exportação;  embarcações representaram 12%, equipamentos para tropas terrestres 5%, armas para defesa aérea 3% e outras armas 5% das vendas. A participação de pequenos pedidos (no valor de menos de US$5 milhões) representaram 90% das vendas totais em 2001. A companhia tem acumulada uma carteira com pedidos no valor de cerca de US$ 13 bilhões até 2006.

Artigo anteriorFrankstein
Próximo artigoAC
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.