Dezessete mil armas foram desviadas em empresas de segurança em 10 anos

Rio de Janeiro / 20:59 - 20 de out de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Em dez anos, houve desvio de 17 mil armas de empresas privadas de segurança no Rio de Janeiro. A informação é da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa (Alerj) que investiga o desvio no estado, cujo relatório foi aprovado por unanimidade nesta quinta-feira. O texto segue para votação em plenário. “Não existe nenhum controle da Polícia Federal nessas empresas. Várias fecharam, e não sabemos a destinação dessas armas. No relatório, apontamos a necessidade de um controle do material bélico dessas firmas, já que geralmente essas armas vão para o crime organizado”, explicou o relator da CPI, deputado Luiz Martins (PDT), preocupado com os desvios nas empresas privadas. Segundo Luiz Martins, no mesmo período, de 2005 a 2015, na Polícia Civil houve desvio de quase 900 armas. Na Polícia Militar, o número não chega a 700. A recriação da Delegacia de Repressão à Armas e Explosivos (DRAE) e o aperfeiçoamento do controle da Polícia Federal no material bélico das companhias de segurança foram algumas das 47 propostas do relatório final da CPI. [caption id="attachment_557015" align="alignnone" width="300"]Martins: não há nenhum controle sobre as empresas de segurança Martins: não há nenhum controle sobre as empresas de segurança[/caption]

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor