‘Diáspora venezuelana’: como nasce uma ‘fake news’ – 2

Na coluna de ontem, vimos como um número tirado da cartola pelo economista Dany Bahar, da Brookings Institution, foi reciclado por um...

Na coluna de ontem, vimos como um número tirado da cartola pelo economista Dany Bahar, da Brookings Institution, foi reciclado por um jornalão (o Washington Post), que o transformou em dado de uma pesquisa inexistente e jogou na praça, sendo replicado por outros respeitados meios de comunicação. O que representa esta entidade? A Brookings Institution é um tradicional think tank norte-americano, presidida por John Rutherford Allen, general quatro estrelas da reserva, ex-comandante da Força Internacional de Assistência para a Segurança (Isaf) da Otan e das Forças Armadas dos Estados Unidos no Afeganistão. O vice-presidente executivo é Martin S. Indyk, ex-embaixador dos EUA em Israel, que passou por diversos cargos no Governo Clinton, inclusive no Conselho de Segurança Nacional. Entre os financiadores da Brookings Institution estão o JP Morgan e o Governo do Catar. Em 2014, a instituição recebeu US$ 250 mil do Departamento de Defesa norte-americano, conforme denúncia feita pela The Nation, revista semanal fundada em 1865.

O Washington Post insistiu no tema, um dia após ter publicado o artigo que falava no número fake de 4 milhões de venezuelanos “em fuga”. Agora, o total caiu para 1 milhão, em dois anos, com “uma explosão na segunda metade de 2017”, citando a Organização Internacional para as Migrações. Só que no site da agência da ONU não há qualquer registro deste número. Os dados oficiais da OIM, de 2015, mostram que apenas 606 mil venezuelanos viviam fora de seu país, número que subiu para 657.439 até a primeira metade do ano passado, de acordo com dados atualizados da ONU.

Na Wikipedia, a página Venezuelan Diaspora reforça os dados sem comprovação oficial. Cita que o Governo da Colômbia “acredita” que 100 mil habitantes do país vizinho migraram para lá na primeira metade de 2017. As fontes da página são meios de comunicação, como a rede norte-americana PBS ou o jornal online La Patilla, baseado fora da Venezuela e de propriedade de Alberto Federico Ravell, fundador da Globovisión. A rede venezuelana, que expulsou Ravell, foi acusada pelo falecido presidente venezuelano Hugo Chávez de apoiar o golpe de Estado de 2002 e de promover uma agenda desestabilizadora.

Mais comedido, o britânico The Guardian cita a agência da ONU para refugiados (UNHCR) para afirmar que há 300 mil venezuelanos na Colômbia, mas cita uma associação sediada neste país que fala em 1,2 milhão. Dados oficiais das Nações Unidas, porém, mostram que há apenas 49.829 pessoas nascidas na Venezuela que residem na nação vizinha.

 

Políticos na web

O que os políticos brasileiros, em ano de eleições, podem aprender com marcas globais como Heineken, Walmart e L’Oreal? As três são usuárias de uma plataforma britânica de acompanhamento em tempo real de opiniões manifestadas na web chamada Brandwatch.

Parceira no Brasil da Polis Consulting, a Brandwatch adaptou os preços à época de verbas mais curtas nas eleições. Políticos terão um pacote de atendimento preferencial cobrado em reais e por prazos curtos, começando por 90 dias.

 

À mesa

A presidente e alguns ex-presidentes da ACRJ, junto com beneméritos, tiveram nesta quinta um almoço reservado com o governador Luiz Fernando Pezão.

 

Rápidas

A Facha realiza, nesta segunda-feira, às 19h, a aula magna do curso de Direito no campus Botafogo (Rua Muniz Barreto, 51). A aula abordará o tema “A Inconstitucionalidade da EC 96/17: Tutela do Patrimônio Cultural vs. Proteção dos Animais” e será proferida por Daniel Braga Lourenço, um dos maiores especialistas na causa animal do país e coordenador do curso de pós-graduação em Direito dos Animais da instituição. Inscrições: http://pos.facha.edu.br/curso/direito-dos-animais *** Neste sábado, o Carioca Shopping realizará a primeira edição de 2018 de sua Feira Orgânica *** Com objetivo de capacitar profissionais a aplicarem corretamente a nova legislação do Regime Especial Repetro, a Abimaq fará, na próxima terça, no Rio de Janeiro, o treinamento “Repetro Sped para fornecedores nacionais”. Mais informações: https://goo.gl/JkUPRU *** O ministro do TCU Bruno Dantas tornou-se professor do mestrado em Direito da Regulação da FGV Direito Rio. Entre as suas atividades está a de coordenar um grupo de pesquisa sobre agências reguladoras e controle externo *** O deputado estadual fluminense Paulo Ramos retorna ao PDT.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Elevação na Selic deve repercutir no mercado

EUA: divulgação de PIB do terceiro trimestre e balanços de grandes empresas são o foco das atenções no cenário internacional.

TSE forma maioria contra cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

PT, PCdoB e PROS pedem cassação da chapa por cometimento de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

IGP-M acumula inflação de 21,73% em 12 meses

Alta da taxa de setembro para outubro foi puxada pelos preços no atacado.

Mirando agora na PEC dos Precatórios

Ultrapassada a decisão do Copom, investidores vão mirar na avaliação da PEC cheia de 'jabutis' que ainda não foram retirados.

Funcionalismo público: críticas e realidade da categoria

Por Relly Amaral Ribeiro.