Dia carrega primeiro encontro do Copom e nova condição à CPMF

Mercado doméstico pode se consolidar na defensiva caso não haja grande euforia com o desenrolar dos acontecimentos.

Opinião do Analista / 11:19 - 4 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O dia de hoje começa com cautela moderada no cenário internacional. Desse modo, o mercado doméstico pode se consolidar na defensiva caso não haja grande euforia com o desenrolar dos acontecimentos. O primeiro dia da reunião do Copom - que se encerra no dia de amanhã, com novas decisões e rumos no que se refere à taxa básica de juros - ficará no radar dos investidores e dos agentes econômicos.

Dirigindo-se à reforma tributária, conforme matéria divulgada no dia de hoje pelo jornal "Estado de S. Paulo", o ministro da Economia, Paulo Guedes, apresentou ao presidente da República, Jair Bolsonaro, um plano para mitigar as resistências no Congresso Nacional para com a proposta de criação de um novo imposto sobre transações eletrônicas, nos moldes da antiga CPMF, todavia, com um alcance maior.

Desse modo, a ideia é reduzir de 20% para 10% o peso da contribuição à Previdência que as empresas têm perante os salários dos funcionários. Segundo cálculos oficiais do governo, a previsão de receita seria de R$ 125 bilhões com um novo tributo de alíquota 0,2% cobrada tanto no crédito quanto no débito.

.

Pedro Molizani

Trader Mesa de Câmbio

Travelex Bank

www.travelexbank.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor