Dia das Crianças: faturamento do varejo pode chegar a mais de R$ 10 bi

Depois de subir quase 8% em 2022, data terá preços mais estáveis neste ano, mostra Fecomércio-SP

126
Loja de brinquedos
Loja de brinquedos (foto de Fernando Frazão, ABr)

Os presentes geralmente mais procurados durante o Dia das Crianças devem ficar mais acessíveis em 2023. De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), os produtos buscados para a data subiram apenas, em geral, 0,91% em um intervalo de um ano, o que indica estabilidade. Para se ter uma ideia, essa taxa cresceu 7,84% no mesmo período do ano passado, entre 2021 e 2022.

O resultado disso é que, no Estado de São Paulo, a federação estima um crescimento de 17% de vendas nas lojas de vestuário, tecidos e calçados no mês, quando comparado a outubro do ano passado.

Por causa da valorização do real e das dinâmicas produtivas, alguns dos itens que registraram quedas mais significativas neste ano são os computadores (11,7%) e os videogames (10,7%), dois dos produtos mais adquiridos para presentear filhos, sobrinhos, netos e demais crianças das famílias. Além desses eletrônicos, a pesquisa ainda mostra uma retração de 4,3% no preço dos aparelhos celulares.

Mesmo os brinquedos – que tendem a ser os mais procurados a partir do início de outubro – caíram 4,3% em um ano. Entre 2021 e 2022, o preço desses itens havia subido 20,3%, tornando a data passada uma dos mais inflacionadas dos tempos recentes.

Espaço Publicitáriocnseg

Por outro lado, o livro não didático teve um aumento real de 13% no acumulado de um ano, representando o principal avanço registrado no estudo.

A estimativa de faturamento da indústria de brinquedos, na data deste ano, pode chegar a mais de R$ 10 bilhões. O E-commerce deve faturar R$ 5,95 bilhões, segundo Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, baseada na movimentação das duas semanas anteriores à comemoração. O mercado brasileiro de brinquedos deve crescer 7% e faturar R$ 9 bilhões em 2023, de acordo com as estimativas da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq).

“O e-commerce fornece uma grande praticidade para pais e avós no Dia das Crianças. O desafio é a comunicação direcionada para as crianças, que sofrem restrições por questões de proteção ao menor”, ressalta Marco Aurélio Sá Ribeiro, professor de Marketing de Varejo da Escola de Negócios da PUC-Rio.

As tendências de vendas podem variar de ano para ano e de região para região, dependendo de diversos fatores, incluindo a economia local, o comportamento do consumidor e as tendências de mercado. Mesmo assim, brinquedos têm sido, tradicionalmente, um dos produtos mais vendidos. “Roupas e calçados têm tido um desempenho cada vez maior na data, mas o Dia das Crianças sempre será sinônimo de brinquedo”, afirma o professor, que aponta o estado de São Paulo na liderança de vendas – em 2022, registrou movimentação financeira de R$ 2,68 bilhões.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui