Dia das Crianças: shoppings estimam aumento de 18% em vendas

Expectativa é que tíquete médio dos consumidores em presentes e outros produtos seja de R$ 200 neste ano.

As vendas nos shoppings devem ter aumento médio de 18% no Dia das Crianças, em relação a 2020, de acordo com a pesquisa de expectativas realizada pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). O levantamento, feito entre os dias 23 de setembro e 4 de outubro, prevê que a data movimentará um montante de R$ 4,4 bilhões no setor. As expectativas dos shoppings em relação ao volume de vendas registrado em 2019 ainda são de queda, da ordem de 13%. No entanto, observa-se um otimismo maior em relação às datas comemorativas anteriores. Para o Dia das Mães, a expectativa era de uma redução da ordem de 19% sobre a base de 2019; para o dos Namorados, a queda esperada era de 23%; e para o Dia dos Pais, de 15%.

O avanço da vacinação contra a Covid-19 e, consequentemente, a melhoria do quadro pandêmico, devem estimular um aumento de 25% no fluxo de pessoas nos centros comerciais. Como efeito, os lojistas também esperam uma alta de 6,4% no tíquete médio gasto em compras, saltando de R$ 188, em 2020, para R$ 200 este ano.

Quanto aos canais de vendas, o marketplace/vendas online/vitrine virtual apareceu pela primeira vez como a opção mais citada desde o início da pandemia (61%), seguida de delivery (60%) que se manteve entre os canais mais citados. Observa-se ainda uma redução gradual do drive-thru – modalidade amplamente utilizada ao longo da pandemia.

O Dia das Crianças também marca o início do planejamento de muitos varejistas para a Black Friday e para as vendas de fim de ano. No levantamento da Abrasce, 36% deles esperam aumento na contratação de trabalhadores temporários, em relação a 2019, e 74% apostam na elevação sobre o contingente de 2020; além da admissão de 98 mil trabalhadores temporários, o que representa um acréscimo de 10% no quadro de funcionários do setor.

O Natal representará a maior parcela destas contratações, atingindo 60% do total. A Black Friday, por sua vez, será responsável por 40% das contratações de temporários previstas para o quarto trimestre de 2021.

Já a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), com o avanço da vacinação e o aumento da circulação de consumidores, acredita que as próximas datas comemorativas como Dia das Crianças, Black Friday e Natal irão elevar a oferta de vagas temporárias para o comércio em pelo menos 80 mil postos de trabalho entre os associados à entidade.

De acordo com uma projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a estimativa é que haja a contratação de 94,2 mil trabalhadores para atender ao aumento sazonal das vendas neste fim de ano. Destes, pouco mais de 2/3 estarão alocados em shoppings centers.

Sem mais restrições impostas pela pandemia, a Alshop registra que mesmo com a expectativa de contratações a pandemia resultou em 55 mil demissões só no estado de São Paulo e 10% das lojas fecharam as portas definitivamente.

Analisando a expectativa de contratações, o montante de 94,2 mil trabalhadores que serão admitidos estarão concentrados no Sudeste. A maior parte deles ficará empregada em São Paulo com 25,6 mil colaboradores, Minas Gerais com 10,6 mil, Rio de Janeiro com 7,6 mil e Paraná com 7,2 trabalhadores, correspondendo a 54% do total de vagas geradas.

Os setores de vestuário, acessórios e calçados serão os que mais vão contratar, respondendo por média de 57 mil contratações, e por categorias de trabalhadores, as vagas de vendedores e atendentes serão as mais buscadas para a recolocação. O salário médio inicial está em torno de R$ 1.608,00 e a taxa de efetivação dos temporários após o Natal deverá ser de 12,2%.

Leia também:

Brinquedos lideram vendas para Dia das Crianças

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.

Preços dos alimentos caem em julho mas ainda estão 13,1% acima de 2021

Óleos vegetais e cereais contribuíram para redução.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.