Dia das Crianças: vendas em shoppings cresceram 25,9%

Entidade do setor apontou tíquete médio de R$ 214, alta de 13,8% ante 2020; varejo paulistano cresceu 34% na primeira quinzena de outubro.

Impulsionado pelos presentes do Dia das Crianças e pelas vendas no comércio eletrônico, o varejo paulistano registrou alta de 33,8% na primeira quinzena de outubro sob o mesmo período de setembro. Os dados são do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), com base em amostra da Boa Vista SA.

O resultado, de acordo com o economista da ACSP, Marcel Solimeo, já era esperado e se consolida com a pesquisa de intenção de compras que apontou que 35,7% dos brasileiros pretendiam presentear os filhos no Dia das Crianças. As roupas, calçados e os acessórios representaram a maior parte da intenção dos consumidores. Entraram para a lista brinquedos como boneca, bola de futebol, bicicleta e carrinho.

“O indicador é sempre melhor em outubro porque há uma data comemorativa e, naturalmente, possibilita maior movimentação para o varejo”, explica o economista.

Comparado outubro do ano passado com outubro deste ano, os dados preliminares também apontam para alta de 17,6%. Em setembro deste ano com setembro de 2020, utilizando a mesma base de comparação, o dado foi positivo em 24,4%.

Solimeo analisa que os dados, apesar de positivos, não atingiram o mesmo patamar registrado em 2019, quando não havia o impacto da pandemia. “Com menos restrições e mais tempo para se programarem, os consumidores estão aos poucos indo às compras. Assim, estamos recuperando o patamar de vendas anterior, mas não as perdas ocorridas durante a pandemia”, frisa.

Ainda de acordo com o economista, o crescimento efetivo só deve ser registrado a partir de dezembro. Isso porque fatores como o ritmo da vacinação, a retomada da confiança do consumidor para compras, a continuidade do auxílio emergencial e a oferta de crédito disponível no mercado influenciarão no indicador.

“O auxílio emergencial tem ajudado até aqui os mais pobres e por isso é essencial que seja mantido. O fator negativo tem sido a inflação e o desemprego que continuam em patamares altos”, complementa.

As vendas no Dia das Crianças cresceram 25,9% nos shopping centers de todo o Brasil no período de 6 a 12 de outubro de 2021, em comparação com o mesmo período de 2020, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), divulgado pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). O resultado superou a expectativa inicial do setor, que previa um aumento de 18%. No período, o comércio nos shoppings movimentou R$ 3,9 bilhões, já descontada a inflação. Em relação ao período equivalente de 2019, a queda é de 14%.

O aumento não se limitou ao volume de vendas, já que o setor contabilizou um incremento no tíquete médio, que atingiu R$ 214 neste ano, superando em 13,8% os R$ 188 do ano passado e acima da expectativa de R$ 200 para a data comemorativa.

No varejo de rua, o valor médio gasto em compras foi de R$ 124, uma queda de 0,8% frente aos R$ 125 registrados em 2019. Por fim, ao comparar o tíquete médio das lojas de shoppings com as lojas de rua, a diferença foi de 72,6% em 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Alta dos juros já impacta concessão de crédito imobiliário

Em outubro, o volume de crédito imobiliário alcançou a marca de R$ 17,1 bi.

Preços ao consumidor continuam subindo e já acumulam alta de 9,89%

Passagem aérea subiu 8,87%.

Fome sobe 30% na AL e Caribe e atinge 59,7 milhões de pessoas

E a insegurança alimentar afeta 92,8 milhões .

Últimas Notícias

O leilão beneficente da Jaguar Parade

Fundos se destinam à conservação de onças-pintadas em seus habitats.

Venda de imóveis novos em SP mantém estabilidade em outubro

Em valores monetários, houve queda do Valor Global de Vendas em relação a outubro de 2020.

Nova energia, fabricação de equipamentos de tecnologia e PMEs em 2022

O mercado de ações A-Share da China parece positivo para o próximo ano. Novas energias, fabricação de equipamentos de alta tecnologia e pequenas e médias empresas (PMEs) são áreas com grande potencial de investimento, de acordo com uma pesquisa recente realizada com 109 especialistas de indústrias na gestão de ativos.

Mais de 100 milhões de macarrão “fedorento” chinês entregues em 2021

A Região Autônoma de Guangxi da Etnia Zhuang, no sul da China, entregou este ano mais de 100 milhões de pacotes de sua especialidade de macarrão de arroz, conhecida como "Luosifen" em chinês.

Escala da indústria de big data chinesa excederá 3 trilhões em 2025

A escala da indústria de big data da China tem a previsão de superar 3 trilhões de yuan pelo final do ano 2025, de acordo com o plano de desenvolvimento para a indústria de big data, durante o período do 14º Plano Quinquenal divulgado pelo Ministério da Indústria e Informatização (MIIT, sigla em inglês) nesta terça-feira.