Dia de IPC nos EUA, vendas do varejo e PEC de gastos

Bolsas europeias fecharam majoritariamente em queda. A alta nos yields dos treasuries americanos e o mau humor de Nova Iorque afetaram o desempenho das Bolsas europeias, embora os dados de varejo tenham sido positivos para a Zona do Euro. Londres e Madri tiveram quedas de 0,39%. Frankfurt e Paris tiveram perdas de 0,13% cada uma. Milão teve elevação de 0,11%.

A Bolsa brasileira teve desempenho diferente de seus pares. O Ibovespa fechou com alta de 0,97%, em 118.682,11 pontos. Os investidores ficaram de olho nas negociações entre Congresso e governo em relação ao Orçamento, com sinalização positiva do presidente Jair Bolsonaro, e a proposta de uma PEC proposta pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, quanto aos auxílios adicionais devido à segunda onda de Covid-19.

Nos EUA, as Bolsas fecharam em queda. Houve preocupação por parte dos agentes por conta da possibilidade de avanço na inflação no país. A fala do presidente do Fed, Jerome Powell, no programa 60 Minutes (da CBS), evidenciando expectativas de altas e contrações na economia do país, gerou temor adicional aos investidores. Para o lado positivo, o Congresso volta do recesso e o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, se mostra confiante quanto à negociação do pacote de estímulos de US$ 2 trilhões. O Dow Jones teve queda de 0,16%. O S&P 500 perdeu 0,02% e a Nasdaq teve retração de 0,36%.

Na Ásia, os mercados fecharam majoritariamente em alta, mas às vésperas dos indicadores de inflação nos EUA. Ademais, os rumores de aperto monetário continuam no radar. Animando os investidores, os dados comerciais da China agradaram, com aumento de 38,1% das importações e de 49% nas exportações na perspectiva anual para março. A tenção sino-americana teve um episódio de trégua pelo fato de a secretária do tesouro, Janet Yellen, se negar a considerar a China uma manipuladora de moedas em seu relatório. Na China continental, Xangai composto perdeu 0,89% e Shenzhen caiu 0,16%. Em Tóquio, o Nikkei teve valorização de 0,72%. Hong Kong subiu 0,15%. Seul se valorizou em 1,07% e Taiwan retrocedeu 0,21%.

Hoje, os futuros em Nova Iorque operam em queda, a evidenciar cautela em relação à divulgação do IPC (índice de preços ao consumidor). As Bolsas europeias operam mistas após dados de crescimento do Reino Unido e indicadores de expectativa para a Zona do Euro e a Alemanha.

No Brasil, há atenção especial em relação à divulgação dos dados de venda no varejo. As projeções indicam alta de 0,6% ao mês no varejo de fevereiro e, ao ano, queda de 3,9%.

Os investidores também ficarão atentos à PEC que pode possibilitar o aumento dos gastos enquanto o Orçamento ainda passa por negociações. Junto a isso, a base governista mina a CPI da Covid-19, além de estendê-la a governadores e prefeitos, se possível.

O Tesouro ofertará NTN-Bs para 2024, 2028 e 2040 e o BC ofertará 15 milcontratos de swap a partir das 11h30.

No Reino Unido, o PIB mensal registrou avanço de 0,4%, ante expectativa de 0,6%. Ao ano, houve retração de 7,8%, contra expectativa de queda de 7,3%. A produção industrial geral subiu 1% e o indicador excluindo serviços públicos e indústria extrativa avançou 1,3%. A balança comercial teve déficit de US$ 16,44 bilhões.

O índice ZEW de condições atuais da Alemanha teve -48,8 pontos, contra a expectativa de -53 pontos. A percepção econômica para o país foi de 70,7 pontos, quando era esperado 79. A percepção ZEW para a Zona do Euro saiu de 74 pontos para 66,3.

Nos EUA, o Bureau of Labor Statistics divulgará os números da inflação ao consumidor (IPC). A expectativa é de que o indicador amplo chegue em 0,5% ao mês e a 2,5% ao ano. O núcleo tem expectativa de elevação de 1,5% ao ano e de 0,5% ao mês. Além disso, os pronunciamentos de membros do Fomc também ficarão no radar dos investidores.

.

Matheus Jaconeli

Economista da Nova Futura Investimentos

Artigos Relacionados

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

Com medidas restritivas, produção industrial foi fraca no mês passado

Para os próximos meses, esperamos alguma recuperação com o auxílio emergencial e melhora gradativa das condições do mercado de trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

Quase 80% não trabalham totalmente remoto na pandemia

Segundo levantamento sobre adaptação ao modelo de teletrabalho, 49,7% dos entrevistados estiveram na empresa semanalmente.

Tunísia pretende exportar 80 mil toneladas de frutas

País produz pêssegos, nectarinas, damasco, ameixa e estima aumento de 7% na safra de frutas em 2021; grandes importadores são Líbia, França e Itália.

Rio acaba com toque de recolher

Novas medidas têm validade até o dia 20 de maio; medidas podem ser revistas.