Dia dos Namorados com vendas 4% abaixo do nível de 2019

Dólar alto reduz intenção de presentear com aparelhos eletrônicos.

As vendas no dia dos Namorados devem crescer 29,4% em relação ao ano passado, quando boa parte do comércio estava fechada em junho. A expectativa da Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop) é que o movimento no comércio chegue a R$ 1,8 bilhão.

O valor ainda está 4% abaixo do patamar de 2019, regredindo pouco mais de dois anos em faturamento esperado nas lojas. O levantamento da Alshop foi realizado com dados fornecidos pela Confederação Nacional do Comércio (CNC).

“Após o ano de 2020, aprendemos muito com a pandemia e, mesmo neste cenário, vemos uma boa expectativa econômica com a sexta revisão de aumento do PIB para este ano e 1,2% de elevação no primeiro trimestre o que certamente é uma boa surpresa”, explica Nabil Sahyoun, presidente da entidade dos lojistas de shoppings.

Boa parte das lojas dos centros comerciais ainda estão abertas em horário reduzido e com capacidade limitada.

Segundo o levantamento, os itens mais procurados nesta data serão vestuário feminino e masculino, moda íntima, artigos para dormir, maquiagem e cosméticos, calçados e acessórios, chocolates e flores. Os itens eletrônicos, antes campeões de vendas, ficam em segundo plano, impactados pela alta do dólar.

Cerca de 50% dos consumidores pretendem comprar algum presente nesta data em todo o país. E, destes, 60% pretende gastar entre R$ 50 e R$ 200. Apenas 20% pretendem comprar mais do que R$ 200, e outro tanto gastará menos de R$ 50.

O levantamento mostra ainda que 60% dos lojistas afirmam que seus clientes usarão meios online como alternativa de compra. Como em algumas cidades do país o comércio físico como shoppings, restaurantes e lojas de rua ainda se mantém fechado por decretos municipais devido à sobrecarga no sistema de saúde, muitos lojistas investiram em soluções de e-commerce, canais próprios e marketplaces, que se adaptaram e evoluíram rapidamente no comércio eletrônico.

“A expectativa do setor subiu ainda mais quando começamos a ver um movimento para volta do funcionamento por 12 horas diárias. Independente disso, entendemos que os lojistas estão cautelosos com esse momento de reabertura enquanto avançamos lentamente com os números da pandemia, mas seguimos confiantes no processo de vacinação e aplicamos protocolos rígidos nas lojas de shopping que vem se destacando como ambientes seguros de compra e de serviços aos consumidores”, comenta Sahyoun.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Peso uruguaio fica até 65% mais caro no RJ com final da Libertadores

Cotação da moeda uruguaia tem variado entre R$ 0,154 e R$ 0,254 no Rio.

Campos Neto: BC vai rever para baixo crescimento do PIB para 2022

Última conta do BC era de alta de 2,1%.

Últimas Notícias

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...

STF desbloqueia bens de Lula

Por maioria de três votos a um, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta sexta-feira, desbloquear os bens do ex-presidente Lula...