Dia dos Pais confirma retomada gradativa nos shoppings de todo o país

De 3 a 9 de agosto, vendas tiveram queda de 28,4% em relação à semana equivalente pré-pandemia.

Conjuntura / 12:08 - 19 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

De acordo com a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), na semana do Dia dos Pais (03 a 09 de agosto) as vendas nos shopping centers apresentaram queda de 28,4% em relação ao período equivalente pré-pandemia, conforme Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), desenvolvido em parceria com a Cielo. O resultado representa uma recuperação significativa em relação à semana anterior (de 27 de julho a 2 de agosto), quando as perdas foram de 44,8%, além de ter sido o melhor resultado ao longo de todo o período analisado, com início em 2 de março. Levando-se em consideração apenas as lojas de shopping que comercializam produtos tipicamente de presentes, a queda foi de 32,5% na semana do Dia dos Pais em relação a data comemorativa do ano passado. O índice mede as vendas do "varejo total", com quebra por lojas de shopping center e rua.

O tíquete médio de presentes nas lojas de shopping durante a semana do Dia dos Pais foi de R$ 172, aumento de 3,1% em relação a 2019. O valor também foi 2,7 vezes maior do que o registrado nas lojas de rua, com tíquete de R$ 64, alta de 11,6% na comparação com o ano anterior. "Esses resultados mostram uma recuperação gradual do setor. Quando comparamos a semana de 03 a 09 de agosto com o período equivalente do mês anterior, observamos crescimento 62% nas vendas do setor de shopping centers", afirma Glauco Humai, presidente da Abrasce.

Especificamente no domingo Dia dos Pais (9.08), 93% do total de shopping centers encontravam-se abertos, ou seja, 539 empreendimentos. Na semana de 3 a 9, foram registradas 35 novas reaberturas e nenhum fechamento. Entre o dia 2, período de início da análise semanal, e o dia 9, o setor de shopping center apresentou uma queda acumulada nas vendas de 62,3%, o que também confirma a recuperação do setor, já que no início do levantamento, que abrangia o período de 2 de março a 24 de maio, a queda acumulada era de 68,8%.

O Norte do país, com 100% dos shoppings reabertos desde a semana de 20 a 26 de julho, foi a primeira região a registrar resultado positivo de vendas deste o início da análise. Na semana do Dia dos Pais, houve aumento de 4,3% em relação ao período pré-pandemia, o melhor desempenho entre todas as regiões do Brasil. "Embora as perdas acumuladas no período de 2 de março a 9 de agosto, ainda se situem em um patamar elevado, de 51,4%, a semana do Dia dos Pais trouxe a região de volta aos patamares normais do mercado", afirma Humai.

Quando o setor de shopping centers é comparado com outros segmentos do varejo, nota-se que o único com desempenho positivo foi o de supermercados, com crescimento acumulado de 16,3% no período de 1º de março a 8 de agosto. Nas drogarias, a queda acumulada no mesmo período foi de 2,7%. Os dois segmentos fornecem produtos essenciais e não tiveram de paralisar as atividades por conta da pandemina. O setor de serviços é ainda o que acumula as maiores perdas (77,6%) no turismo e transportes, seguido por bares e restaurantes (59,4%). As vendas de vestuário caíram 55,9% no período, enquanto em móveis, eletros e lojas de departamentos a queda acumulada ficou em 17,5%.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor