Ódio e amor às fake news

Aproximadamente oito em cada dez brasileiros têm receio de que seu voto seja influenciado por fake news nas eleições deste ano, mostra pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito. Apenas 60% dizem conferir se o que recebem pelas redes; 22% consultam “algumas vezes”, e 18% dos entrevistados, raramente ou nunca.

Mas a impressão que se fica nessa eleição tão polarizada é que as pessoas não se incomodam se são fake news. Preferem acreditar nelas, ainda que desmentidas. E continuam repassando conteúdos de fontes pouco ou nada confiáveis. Inclusive de algumas revistas e jornalões…

 

Ocasião

Uma das maiores fornecedoras mundiais de munição, a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) inaugurou dia 1º seu novo site. Uma semana antes das eleições em que um dos favoritos é o candidato que defende a liberação da posse de armas.

 

Contratos milionários

O comandante-geral da PM fluminense, coronel Luiz Cláudio Laviano, autorizou a formalização de 39 contratos com diversas empresas comerciais e de prestação de serviços para manutenção de veículos e fornecimentos de peças, no valor total de R$ 133,625 milhões.

 

Instituições filantrópicas

O secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento do Estado do Rio, Gabriell Neves, assinou resolução conjunta com a presidente da Fundação para a Infância e Adolescência, Neuza Maria Jordão, liberando crédito de R$ 16,225 milhões para pagamento a 98 instituições filantrópicas conveniadas, com sede em diversos municípios fluminenses, entre estas o Movimento de Mulheres em São Gonçalo, município da Região Metropolitana.

 

Ausentes

Pode não ser mera coincidência o fato de na divulgação pela Globo e Globonews das mais recentes pesquisas eleitorais feitas pelo Ibope e Datafolha não estarem presentes os executivos do alto escalão de cada um dos institutos. Em apresentações anteriores, os representantes estavam lá; agora, apenas repórteres, comentaristas e apresentadores das emissoras.

 

Desvendando o ‘embromês’

Câmbio flutuante – A moeda é parte da soberania do país. A Inglaterra jamais aceitou que sua moeda (a libra) fosse administrada fora do Reino Unido (como o euro). Os EUA manipulam o dólar para destruir economias concorrentes. É o que ocorre atualmente com a moeda chinesa (iuan, que se fortalece com a expansão econômica da China). Colocar o câmbio sob a ação de especuladores significa que o real pode não valer nada e a inflação disparar. Nos governos militares, para crescer a economia, era fixado o câmbio, de acordo com o interesse do Brasil. A conversão para compra de petróleo não era a mesma de quem ia viajar de férias para o exterior. Isto é controle cambial pelo interesse do país e não a especulação para o interesse do bilionário estrangeiro.

 

Beira mar

As notícias de que Paulo Guedes, homem forte de Bolsonaro, estava recolhido depois das declarações sobre a volta da CPMF foram um tanto exageradas. Ele foi visto andando lépido e fagueiro pela orla do Leblon neste final de semana.

 

Rápidas

O Centro Universitário FEI realiza nesta quinta e sexta a 10ª edição do Concurso Travessia, competição que tem como objetivo principal estimular novas habilidades nos estudantes, ao construírem uma ponte utilizando apenas cola, barbante, palito de sorvete e clipes. Informações: www.fei.edu.br/concursotravessia/ *** Acontece neste sábado o Blue Orla Jazz Fest, a partir das 19h, na cobertura do Prodigy Santos Dumont *** O Rio de Janeiro recebe, terça que vem, evento nacional para tratar da modernização trabalhista. As Jornadas Brasileiras de Relações de Trabalho estão sendo realizados desde junho em 15 capitais e grandes cidades do país. O evento será na sede da Fecomércio RJ, a partir das 14h. Inscrições: www.ibecnet.com.br *** O advogado Felipe Oquendo, do escritório Di Blasi, Parente & Associados, participa nesta quinta do Congresso Internacional da LIDC (Liga Internacional de Direito da Concorrência), em Budapeste (Hungria) como representante do Brasil e relator nacional *** De sexta a domingo, acontece a Oktoberfest Valqueire, no bairro carioca *** O debate sobre a reparação de danos causados por práticas de cartéis, em função da Lei Antitruste, é tema de encontro com especialistas, nesta quinta, na Fiesp.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Campos marítimos do pós-sal estão em decadência

Os campos marítimos do pós-sal já produziram cerca de 16 bilhões de barris de óleo equivalente ao longo de sua história, ou seja, 63%...

Motoboys protestam em São Paulo

Entregadores tomaram ruas de São Paulo contra baixa remuneração e péssimas condições de trabalho

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.