Dique rompe e inunda importante autoestrada no centro da China

Internacional / 07:43 - 22 de jul de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Uma importante autoestrada que liga o norte e o sul da China ficou inundada na Província de Hubei (centro) após a represa de um afluente do Rio Yangtze romper. O tráfego foi interditado temporariamente por causa das águas que tomaram a Autoestrada Nacional 107 na altura da Ponte Bayi, informou a autoridade de transporte da cidade de Xiaogan. Por volta do meio-dia, o Rio Fuhuan rompeu um dique perto de uma escola de Xiaogan, o que inundou essa parte da via expressa em Hubei. A escola estava fechada por causa das férias de verão. A 107 liga Pequim a Shenzhen, cidade próspera na Província de Guangdong (sul). Os membros da polícia armada evacuaram os moradores e construíram uma barragem para evitar novas enchentes na autoestrada. Esse foi o segundo dique a romper em Hubei na quinta-feira. Às 9h, foi descoberto que o rio Hanbei tinha aberto uma brecha de 30 metros em uma represa, inundando uma grande área de terra cultivada. Ainda não há registro de mortes Motoristas são premiados por abandonar caminhões para bloquear represa O governo do distrito de Huarong, na Província de Hunan, centro da China, deu uma compensação e prêmios aos motoristas que se voluntariaram a ajudar a bloquear uma represa rompida. O governo local concedeu mais de 2,6 milhões de iuanes (cerca de US$ 400 mil) para cobrir a perda de 17 caminhões e premiar os motoristas por sua coragem. A compensação consiste de três partes: o valor do veículo depreciado, a perda de renda de 40 dias e um prêmio de 10 mil iuanes. A ruptura em uma bacia de impedimento de inundações no distrito de Huarong ocorreu em 10 de julho, forçando mais de 20 mil residentes a evacuar. Os 16 motoristas de caminhão privado dirigiram seus veículos em direção à represa, abriram suas portas e depois saltaram para fora. Os caminhões, carregados com pedras, conseguiram conter a ruptura. Interrompido abastecimento de água urbano em província atingida pela chuva O abastecimento de água na área urbana de Shijiazhuang, capital da Província de Hebei, no norte da China, foi interrompido a partir da noite de quinta-feira, depois que se descobriu que as águas da enchente contaminaram as potáveis da cidade. A empresa responsável pelo abastecimento de água de Shijiazhuang disse nesta sexta-feira que o fornecimento voltaria normal em cerca de cinco dias. A chuva torrencial em Hebei desde a manhã de quarta-feira deixou 35 mortos e 77 desaparecidos, anunciou nesta sexta-feira o departamento provincial dos assuntos civis. Cerca de 211.642 pessoas foram evacuadas graças às preocupações de segurança. A questão do abastecimento foi causada por sedimentos provenientes da enchente em dois reservatórios que fornecem água para seis distritos em Shijiazhuang. A empresa indicou que estava limitando o abastecimento de água para os usuários industriais, bombeando a água subterrânea e despachando tanques de água para fornecer água potável para uso residencial. Desde sexta-feira, a água será entregue três vezes por dia e durante duas horas de cada vez. A cidade foi uma das mais atingidas na província durante o recente mau tempo. Suprimentos de alívio, incluindo tendas, cobertas e roupas, foram distribuídos aos necessitados. A Comissão Estatal de Redução de Desastres e o Ministério dos Assuntos Civis enviou funcionários para ajudar no trabalho de alívio. Chuva continua a atingir nordeste do país Chuva forte desde quarta-feira continua atingindo a Província de Liaoning, nordeste da China, e a estação meteorológica provincial manteve seu alerta de tempestade na sexta-feira. A precipitação média em Liaoning, a partir das 8h da quarta-feira até 8h de hoje, atingiu 89,8 milímetros. A maior precipitação foi registrada no distrito de Suizhong, cidade de Huludao, com 398 mm. Um alerta vermelho, o mais severo em um sistema de alerta de quatro cores, foi divulgado na cidade de Dandong na madrugada da sexta-feira. Chuvas torrenciais varrem a China desde quarta-feira, com as províncias de Henan e Hebei, além da capital Pequim, sendo as mais afetadas. Com informações da Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor