Direita fiscal

O ex-secretário da Receita Federal Osiris Lopes Filho acusou o presidente Lula de adotar “uma política de direita” ao tributar os segmentos menos favorecidos da população e isentar os mais ricos: “O presidente da República foi eleito para mudar o país e está fazendo uma política muito contrária ao trabalho e muito benéfica para o capital. Ora, isso é uma política de direita”, criticou Osiris Filho, que coordena a comissão criada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para radiografar a carga tributária do país.

Inferno fiscal
Para Osiris Lopes Filho, “o cidadão no Brasil está sendo extorquido tributariamente” e o trabalhador brasileiro “está no inferno tributário”: “Está-se arrecadando demais no Brasil, principalmente de setores mais desprotegidos. O povo brasileiro tem consciência do imposto direto que lhe é cobrado, como Imposto de Renda de pessoa física, IPVA, IPTU. Mas não tem consciência do tributo que absorve como consumidor, que é embutido no sistema de preços, naquilo que compõe o preço final da mercadoria”, acrescenta.

Aula
No Japão, professores são compulsoriamente transferidos quando o governo considera inconveniente a abordagem política de suas aulas. Em Alagoas, o mesmo acontece quando denunciam irregularidades na utilização dos recursos públicos. Estas e outras denúncias serão discutidas em evento sobre “Direito à educação”, dia 30, no Fórum Social Mundial.

Revoada
Cada vez mais incomodado com os caminhos do governo Lula e do partido, um grupo de petistas articula dois manifestos a serem apresentados no 5º Fórum Social Mundial (FSM), em Porto Alegre. O primeiro, intitulado “Não mais em nosso nome! – O Direito da Dissidência”, propõe a formalização de uma dissidência interna no PT, não mais sujeita às deliberações da cúpula partidária. Menos crédulo sobre as possibilidades ainda existentes de luta interna, outro grupo apresentará o manifesto “Momento “D” Ruptura”, propondo a saída imediata do partido. Por enquanto não está claro qual das duas posições prevalecerá entre os petistas dissidentes.

Jamais
“O Partido dos Trabalhadores não poderá jamais representar os interesses do Capital”. A frase, dita muito antes da fase “paz e amor”, é de Luís Inácio Lula da Silva. Foi há 24 anos, no longínquo 1981. O que mostra que não é somente o vinho que, quando envelhece, vira vinagre.

Deu no “NYT”
Larry Rother, o etnocentrista correspondente do The New York Times, acabou pautando mais uma vez a imprensa nacional. Holmes virou enredo de pelo menos dois blocos de rua cariocas – Imprensa que Eu Gamo, formado por jornalistas, e Bloco de Segunda, que também conta com ativa participação dos profissionais de imprensa. Pelo visto, mais uma vez, a imprensa local segue o NYT.

Espocar
A produtora de vinhos Cereser apresentou um incremento de 15% em vendas no mês de dezembro de 2004, em comparação ao mesmo período do ano anterior. O aumento se deu em função do investimento em publicidade. Este ano as verbas do departamento de marketing serão 25% maiores.

Derrama
Uma rebelião contra a recente medida provisória do governo federal que aumentou a tributação das empresas prestadoras de serviços é o que promete o Sindicato das Empresas de Informática Estado do Estado do Rio de Janeiro, que reúne cerca de 8.500 empresas que empregam mais de 100 mil pessoas. O presidente da entidade, Benito Paret, vai promover um ato de protesto, no Centro Empresarial Rio, em Botafogo, no dia 27, às 9h, com a presença de representantes de entidades não-governamentais, como a OAB. Segundo Paret, mais de 70% das empresas de informática utilizam o Lucro Presumido, já que estão impedidas de optar pelo Simples. “A opção do Lucro Real é totalmente impraticável para estas empresas, pelos custos burocráticos que isto representa”, garante.

Artigo anteriorLoucos pelo Rio
Próximo artigoArrego
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

No exterior, Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.