Direitos trabalhistas auxiliaram capitalismo

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) detalhou os dados da Pnad Covid-19 do IBGE sobre o impacto da crise na renda do trabalhador. O rendimento médio da população em maio corresponderam a 82% da renda habitual. Os trabalhadores por conta própria foram os mais atingidos: receberam apenas 60% do rendimento habitual. No setor privado, os empregados com carteira assinada receberam 92% do habitual, enquanto os sem registro ficaram com apenas 76%. Funcionários públicos contratados pela CLT receberam 96% do habitual, e militares e estatutários obtiveram 98%.

A pequena perda de renda para os trabalhadores com carteira tem um significado que vai além do benefício individual: preserva o poder de compra e dá alguma segurança para continuar consumindo. Por outro lado, para os trabalhadores por conta própria, para quem praticamente só restou os R$ 600 da renda emergencial, cria-se insegurança e perde-se capacidade de comprar algo além do mínimo.

Tudo isso mostra quão desastrosos seriam os efeitos da redução de direitos trabalhistas, como deseja o ministro Paulo Guedes, que espera “colocar mais essa granada no bolso” do “lado de lá” sem nem bem esperar terminar a crise humanitária e econômica. A retirada de proteções e benefícios, mostram experiências de “flexibilização” em outros países, não contribui para gerar empregos; por outro lado, gera insegurança e diminuiu o consumo.

O próprio Paulo Guedes se gabou de o Brasil ter se saído melhor que os EUA na questão do desemprego (não é bem assim, como mostrado aqui na quinta-feira). Os números esgrimados pelo ministro foram possíveis pela existência dos direitos trabalhistas. No caso dos informais, houve uma explosão de desemprego aqui. Se todos fossem horistas sem direitos, como nos EUA, como o governo brasileiro bancaria agora o seguro-desemprego? Guedes estaria propondo a estatização dos prejuízos?

 

Democracia e vida

O movimento Brasil pela Democracia e pela Vida, integrado pela ABI, OAB, SBPC, Comissão Arns, todas as centrais sindicais e mais de 50 entidades da sociedade civil, realizará neste fim de semana a Virada da Democracia, com a exibição nas redes sociais de uma série de vídeos e lives, que visam promover um evento virtual a ser realizado no próximo dia 19.

Neste sábado, às 16h, será divulgado o debate “Liberdade de Imprensa, o Projeto Fake News”, coordenado pelo vice-presidente da ABI, Cid Benjamin, com a participação do diretor Arnaldo César, estudioso do tema fake news, e do jornalista e escritor Juca Kfouri.

No domingo, às 18h está confirmada a live “Humor e Imprensa na Resistência Democrática”, com a participação de Chico Caruso, Paulo Caruso, Aroeira, Luiz Fernando Veríssimo e Carol Barbie Cospe Fogo Andrade.

O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), que também participa do movimento, debaterá neste sábado, às 10h30, o tema “Democracia e direito à vida são garantias constitucionais”, no canal TVIAB no YouTube.

 

Inauguração na crise

Mesmo com a crise causada pelo coronavírus, a Megamatte fechou quatro pré-contratos nos últimos 90 dias e acaba de inaugurar uma loja no shopping Light, no Centro Histórico de São Paulo. No período de lojas fechadas, o delivery da rede teve um crescimento de 25%. O CEO, Julio Monteiro, tem feito lives para se comunicar com franqueados, tirar dúvidas, orientar e manter a equipe coesa.

 

Perda no curto prazo

Flamengo desmentiu Bolsonaro e disse que ganhou R$ 900 mil com a transmissão do jogo contra Boavista pela sua TV, menos de 10% do que alardeara o presidente. Se tivesse fechado com a Globo, teria recebido R$ 1,6 milhão. Está visando, como diria Claudio Coutinho, o “ponto futuro”?

 

Rápidas

Os desafios econômicos do Estado do Rio de Janeiro pós-pandemia serão debatidos nesta quarta-feira, às 10h, na Associação Comercial do Rio (ACRJ), com Mauro Osório, presidente do Conselho Diretor da Assessoria Fiscal da Alerj e professor da FND/UFRJ. Pelo Zoom. Informações: (21) 2514-1203 *** O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio promove webinar “Como Gerenciar Conflitos nas Empresas Familiares”, nesta terça, às 19h. Inscrições aqui *** A Câmara de SP lançará nesta segunda-feira a cartilha Todos contras as Fake News, trabalho que teve coordenação do Dr. Luiz Augusto D’Urso.

 

 

 

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Preços se multiplicam com térmicas caras

Desempenho do mercado livre de energia elétrica frustra e leva a medidas não planejadas.

Entrega da Eletrobras representaria 0,05% da dívida

Saída do presidente da estatal deixou mercado financeiro certo de que privatização já era.

Incerteza da população ou dos mercados?

EUA e Reino Unido espalham suas expectativas para os demais países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Congresso encerra recesso e encara votação do orçamento

Eleições das mesas diretoras do Senado e da Câmara serão realizadas dia 1º.

SP e Recife são os destinos mais comprados para o primeiro semestre

Segundo levantamento, o Rio compõe o Top 3 das cidades mais procuradas para o período de janeiro a junho deste ano.

Ajustando o feriado

Ontem, pelo feriado em São Paulo, a Bovespa não funcionou, mas as ações brasileiras mostraram perdas.

Custo da construção sobe 0,93% em janeiro

Segundo a FGV, índice acumula inflação de 9,39% em 12 meses.

Bolsas operam mistas à espera de balanços de grandes empresas

Às 7h25, Bolsa de Paris se valorizava 0,94%.