30.5 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

Dívida cresce 4 vezes mais que inflação em 12 meses

A dívida líquida do governo cresceu em 12 meses (até outubro de 2016, último dado disponível) 34,8%, quase quatro vezes o registrado pela inflação no período (8,76%, pelo IPCA), passando de R$ 2,095 trilhões para R$ 2,824 trilhões, um pulo de R$ 729 bilhões. Se a equipe econômica aplicasse à dívida pública o mesmo limite que impôs às despesas não financeiras, o débito líquido teria se limitado a R$ 2,278 bilhões, um valor R$ 546 bilhões, ou meio trilhão de reais, em relação ao aumento efetivo, turbinado pelos mais altos juros reais do planeta.

Mas, diriam, o governo impõe o torniquete nos gastos não financeiros justamente para continuar cevando os rentistas. Sim, o que não quer dizer que isto é justo, ou mesmo legal. Para os economistas da Auditoria Cidadão da Dívida, o que vem sendo feito – aumento das emissões de papéis para pagar juros, disfarçado de rolagem – contraria a Constituição. É o que a entidade, especialmente Maria Lucia Fattorelli, chama de “sistema da dívida”, que classifica de “mega esquema de corrupção institucionalizado”, com a “utilização desse instrumento [dívida pública] como veículo para desviar recursos públicos em direção ao sistema financeiro”, complementou, em entrevista à CartaCapital.

O Brasil é o país que mais gasta no serviço da dívida, enterrando, em 2014, 7,9% do PIB em juros, segundo o FMI. Entre países do G20, o maior percentual foi Portugal (5,1%), seguido da Itália (4,8%), sendo que ambos têm um débito que supera 100% o PIB. O Banco Central brasileiro indica que em 2015 a fatia dos juros subiu para 8,5% do PIB. Na quinta-feira passada (15), o Congresso Nacional aprovou a Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2017 (PLN 18/2016), no valor total de R$ 3,5 trilhões. Esse montante inclui R$ 58,3 bilhões para o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social; R$ 90 bilhões para investimentos das estatais; R$ 306,9 bilhões para pagamento de pessoal na esfera federal; R$ 562,3 bilhões para o Regime Geral da Previdência; e R$ 339,1 bilhões para pagamento de juros e encargos da dívida. Junto com a amortização do débito, será R$ 1,7 trilhão, praticamente metade do Orçamento.

Pressão

A Austrália entrou na mira da tríade do rating – Standard & Poor’s, Moody’s e Fitch. A alegação é que há uma piora nas contas públicas. A previsão do déficit público cresceu US$ 10,3 bilhões, para US$ 36 bilhões no ano-fiscal 2016/2017. Apesar de não falarem em mudanças para já, duas agências (S&P e Moody’s) admitem que a deterioração pode levar a revisão na classificação AAA do país.

Curiosamente, uma das pressões sobre o déficit é o Asset Recycling Initiative, um programa federal para incentivar os estados a privatizarem bens e empresas. Encerrar o plano reduziria a dívida bruta em US$ 10 bilhões até 2019/2020.

Pior são as isenções de impostos para grandes empresas, que vão custar, segundo a oposição, US$ 50 bilhões este ano.

Trégua

Se o texto substitutivo do Projeto de Lei Complementar do Senado 386/2012, sobre o ISS, for sancionado pelo presidente da República, a concessão de benefícios fiscais para atrair o interesse das empresas estará com os dias contados, opina Elvira Carvalho, consultora tributária do Grupo King.

Isso porque o PLC fixa em 2% a alíquota mínima do ISS e proíbe isenções, incentivos e benefícios tributários ou financeiros, inclusive no que diz respeito à redução da base de cálculo. Os municípios terão um ano para adaptar à nova legislação a partir da entrada em vigor da lei.

“Essa regra da alíquota mínima já existia, mas algumas prefeituras arrumavam saídas para isso reduzindo a base de cálculo e concedendo benefícios fiscais. Agora, se o projeto for sancionado, essa prática será considerada improbidade administrativa, o que é um passo importante no combate à guerra fiscal”, afirma Elvira.

Outra mudança importante, segundo a consultora tributária, está no fato do ISS ser devido ao município onde está estabelecido o tomador ou intermediário do serviço. Pela regra atual, é devido o ISS para o município sede do prestador de serviço.

Rápidas

O Hemorio alerta para o baixo número de comparecimentos para doação de sangue desde o início de dezembro, em uma época do ano na qual a demanda aumenta. Estão sendo coletadas diariamente 150 bolsas de sangue, metade do número necessário para manter os estoques. O hemocentro vai abrir normalmente nos dias 24 e 25 *** A ClickSoftware nomeou Wagner Tadeu como gerente-geral para as suas operações na América Latina. O segmento em que a empresa atua – serviços em campo – deve crescer 20% ao ano até 2020, alcançando, segundo a MarketsandMarkets, faturamento de US$ 5,11 bilhões *** O ministro do Turismo, Marx Beltrão, apresenta nesta quarta-feira a previsão de movimentação turística para o verão, com números de viagens estimado e os principais destinos dos brasileiros *** A inauguração do recurso vídeo para auxiliar o árbitro, no Mundial de Clubes, não impediu a velha prática de beneficiar o time mais famoso. O juiz deixou de dar um cartão amarelo ao ser informado que o jogador – do Real Madrid – já tinha um cartão, e teria que ser expulso.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.