Dois pesos

Das duas, uma: ou o ministro Guido Mantega desiste de comemorar o crescimento do PIB após a mudança do termômetro, ou fica na obrigação de elevar a meta de crescimento do PAC de 4,5% para, pelo menos, 5,5%. Afinal, a mudança na metodologia do IBGE elevou o PIB do ano passado em 0,8 ponto percentual. Para ser coerente, o PAC deve refazer suas contas.

Segundona
Com a mudança da metodologia de cálculo do produto interno bruto (PIB), o Brasil passou do 18º lugar na América Latina em termos de crescimento para o 15º. Agora, o país não bate apenas o Haiti, ultrapassou El Salvador e Paraguai e ganha da Nicarágua por uma espécie de saldo de gols  – embora ambos tenham crescido apenas 3,7%, em 2006, o Brasil fica na frente pela ordem alfabética. Não é nada, não é nada, o presidente Lula já pode propor um quadrangular. O vencedor leva o Troféu DQP (Devagar Quase Parando).

BENPH
Com o Brasil cada vez mais distante do ritmo de crescimento dos demais países em desenvolvimento, o presidente Lula pode pedir ainda a seus marqueteiros para criarem mais uma sigla internacional para fazer a performance do seu governo. Em lugar do Brics (Brasil, Rússia, China e Índia), entra o BENPH (Brasil, El Salvador, Nicarágua, Paraguai e Haiti).

Negócio de Cingapura
O CEO mundial do Escritório de Comércio de Cingapura (IE Singapore), Lit Cheong Chong, estará em São Paulo a partir desta quinta-feira para uma série de entrevistas com empresários e representantes de governos. O objetivo é contribuir para o aumento dos negócios entre Brasil e Cingapura e divulgar o Global Trader Summit 2007, evento que será realizado entre 24 e 25 de maio no país asiático. O evento vai abordar as principais tendências em áreas como commodities, gerenciamento de riscos e comércio global.

Biruta
Antes que o presidente Lula se veja tentado a improvisar uma solução para a grave crise no sistema aéreo que ameaça inviabilizar o transporte pelos céus do Brasil, é preciso que algum assessor menos dócil o informe que, até o trágico acidente que vitimou o avião da Gol, a aviação nacional era uma das mais seguras do mundo. Acidentes com linhas comerciais, então, eram acontecimentos extraordinários. A lembrança é para que, se for o caso, de retirar dos militares o controle sobre o espaço aéreo nacional, é preciso garantir os meios que permitam manter a excelência oferecida ao país até a crise que se arrasta há seis meses.

Radar
Lula pouparia tempo se fosse buscar os culpados pelo apagão aéreo não na Aeronáutica, mas ali pertinho, também na Esplanada dos Ministérios: na Fazenda.

Sai petróleo, entra água
A campanha “Salve o Planeta”, lançada pela Cedae, companhia de abastecimento do Rio de Janeiro, terá início nesta quinta, às 17h30, na preliminar do jogo Fla-Flu, no Maracanã, válido pelo Campeonato Carioca. Entrarão em campo vários artistas que disputarão um jogo beneficente. O jogo faz parte das comemorações do Dia Mundial das Águas, que busca conscientizar a população sobre o papel de cada um na economia de água.
“A população de um modo geral não tem noção sobre a gravidade da questão. No século passado, o petróleo era o bem a ser disputado. Daqui para frente será a água. Por isso, é preciso que desenvolvamos a consciência sobre o seu uso. E eventos como estes ajudam no despertar da consciência ambiental”, comentou o presidente da Cedae, Wagner Victer, que está escalado para a partida.

Antimensalão
Embora, pelo histórico das relações entre a Justiça Eleitoral e o mundo político nacional, não se possa prever vida longa para a decisão do Tribunal Superior Eleitoral de que o mandato é do partido e não do parlamentar, sua adoção seria o primeiro passo para uma verdadeira reforma política. Ou seja, parlamentar que, fraudando a vontade do eleitor, trocar de partido, perde o mandato. Difícil é crer que, de uma só tacada, cerca de 50 deputados trânsfugas perderão os mandatos por trocarem de partido. Isso sem contabilizar, as baixas nos estados e nos municípios entre deputados estaduais e vereadores.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMão invertida
Próximo artigoRecheio

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.

Evergrande, Fed e Copom

Bovespa encerrou o segundo dia de alta com +1,84% e índice em 112.282 pontos, mas na máxima chegou a atingir 113.321 pontos.