Dois pesos

Restritas pela Constituição a 50% da receita corrente líquida, as despesas com o funcionalismo nos últimos 12 meses encerrados em julho não ultrapassaram de 35,5%. No ano, batem em 33,5% e em julho se situaram em 31,2%, contra 50,6% em 1995. Os dados foram apresentados pela Associação Nacional dos Servidores da Previdência Social (Anasps) e baseados em pesquisa no Sistema Integrado de Administração (Siafi). O presidente da Anasps, Paulo Cesar de Souza, observa que os números deixam sem qualquer sustentação a cruzada do tucanato contra os servidores, que amargam sete anos sem reajuste: “O discurso do governo é um achincalhe permanente dos servidores, colocando sobre eles o ônus da crise estrutural do Estado, do déficit público, quando a causa é outra, pois já se antevê para 2001 que o governo federal deverá em 31 de dezembro de 2001 R$ 822,1 bilhões, conforme o projeto orçamentário que encaminhou ao Congresso. Desse total, R$ 699,8 bilhões serão em títulos internos e R$ 102,6 bilhões em títulos vendidos ao exterior. O governo deverá ainda R$ 19,7 bilhões no exterior em contratos de empréstimos”, comparou Paulo Cesar.

Ao léu
Moradores de Copacabana esperam que as promessas dos candidatos xifópagos César Maia e Luiz Paulo Conde sobre segurança saíam do discurso e se transformem em ações concretas. Hoje, idosos e turistas são as principais vítimas dos bandidos no bairro. Além disso, a falta de uma ação social, faz com que a população de rua do bairro cresça no mesmo ritmo em que se arrasta a recessão no país. Em poucas palavras, a Princesinha está perto de virar sapo.  

Promessas
Em seu programa eleitoral, o prefeito do Rio de Janeiro, Luiz Paulo Conde, diz que já acertou com o governador Garotinho a transferência de 70% das atribuições da PM para a Guarda Municipal. O Governo do Estado, inclusive, teria se comprometido a equipar a GM. Se essa promessa saísse do papel, seria um ato inconstitucional.

Caçada
O número de trabalhadores assassinados no campo este ano dobrou em relação ao ano passado. Até os dez primeiros meses do ano, segundo o MST, foram mortos dez trabalhadores ligados ao movimento, contra cinco assassinatos no mesmo período do 1999. Para o MST, o aumento do número de mortes no campo é conseqüência direta da impunidade, salientando que após a absolvição dos oficiais da PM acusados de envolvimento nos massacres de Eldorado de Carajás e Corumbiara, cresceu o número de pistoleiros contratados por fazendeiros para matar lideranças dos trabalhadores. Segundo o movimento, os assassinatos foram registrados em sete estados.

Segurança
A Escola de Turismo da UniverCidade e o Durban Convention and Visitors Bureau promovem, no próximo dia 13, em Durban, na África do Sul, o seminário “Marketing e Segurança”. Na ocasião, as instituições assinarão um convênio de cooperação técnica para capacitar as forças de segurança, formatar produtos turísticos e promover campanhas promocionais, neste local. “Consultoria internacional na área de turismo é uma possibilidade ímpar de intercâmbio de experiências”, afirma Bayard Boiteux, diretor da escola. A delegação brasileira será composta, além do professor Bayard, por Jorge Braga, comandante do Batalhão de Policiamento das Áreas Turísticas; George Irmes, presidente do Sindetur; Edialeda Nascimento, ex-subsecretária adjunta da criança; Maurício Werner, diretor de consultoria da Planet Work; a professora Selma Azevedo e Paula Levy, da TV UniverCidade.

Revanchismo
O presidente do PT, deputado federal José Dirceu, enviou carta ao ministro da Justiça, José Gregori, alertando sobre o que classifica de “onda de violência contra militantes do PT”. Na lista de denúncias do presidente do PT constam dois assassinatos – um em Suzano (SP) e outro em Cururipe (PE) – e dois atentados após a realização do primeiro turno das eleições. O documento relata ainda que militantes petistas que venceram as eleições no interior de São Paulo e no Maranhão estão sendo ameaçados de morte. “A violência e a impunidade estão alcançando níveis intoleráveis, que ameaçam tirar o Brasil do mapa das sociedades civilizadas”, finaliza Dirceu.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorElefante sujo
Próximo artigoSafra

Artigos Relacionados

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Últimas Notícias

Electrolux lança desafio para arquitetos e designers de interiores

A Archademy, primeiro Market Network de Arquitetura e Design de Interiores do Brasil, abre inscrições para a edição do seu Archathon Electrolux 2022. O...

Gestão do Hopi Hari ganha na justiça e se mantém no parque

A gestão do Parque Temático Parque Hopi Hari acaba de obter decisão favorável, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para...

Bancos chineses registram compra líquida de divisas em 2021

Os bancos chineses registraram uma compra líquida de divisas em 2021, pois a taxa de câmbio do iuan permaneceu geralmente estável e os fluxos...

RNI: Plano de negócio tem o melhor resultado dos últimos 7 anos

Prévia do 4T21 da construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, indica resultados superiores aos últimos sete anos. A empresa, que completou 30...

Chile quer renacionalizar cobre e bens públicos estratégicos

A campanha pela renacionalização do cobre e dos bens públicos estratégicos entregues às transnacionais durante o governo de Augusto Pinochet (1973-1990) tem sido impulsionada...