Duas Itálias

“Aluga-se casa. Não aceitamos inquilinos do Sul.” O anúncio, exposto em cartaz em Milão, na Itália, desnuda as fortes tensões entre o Norte e o Sul do país, repletas de casos de racismo. Longe de ser uma exceção, a restrição sobre a procedência do interessado em alugar imóveis no Norte é pré-requisito essencial para ser aceito.

Bricastum
Jim O”Neill, criador, dez anos atrás, do acrônimo Bric, acha que os países que compõem o grupo (Brasil, Rússia, Índia e China, e depois a África do Sul) continuarão com notícias positivas na economia, mas acrescenta outros mercados emergentes, como Turquia e México.

Brasil caro
Morador do Texas afirma que, tal qual na Europa, como mostrou nota aqui publicada no final de semana, também nos EUA o custo de vida está menor que no Brasil. A tarifa de energia elétrica em Austin é de US$ 0,09/kwh, ou menos de R$ 0,17/kwh; na Califórnia, o valor sobe para US$ 0,22, ou cerca de R$ 0,40 – o mesmo que se paga em São Paulo, só que sem impostos. Estes, aliás, ajudam a tornar os preços no Brasil superiores aos dos Estados Unidos. No Texas, as taxas estaduais somam 8,25% e na gasolina cobra-se apenas US$ 0,20 por galão
Em serviços em que a concorrência no Brasil é quase uma miragem, o preço também bate com folga o cobrado nos EUA. Uma assinatura de TV via satélite lá varia de US$ 30 (150 canais digitais) a US$ 84 (285 canais, com quatro receptores). Para ter o mesmo produto aqui, um brasileiro gasta o equivalente a US$ 175.

Robusta
A Revista de História da Biblioteca Nacional acaba de fechar nova parceria com o Ministério da Educação para ser distribuída a 120 mil escolas públicas do país. Com a venda mensal em banca mais as assinaturas (totalizando 38 mil exemplares, o que faz dela a líder no segmento no Brasil), a publicação chega a 158 mil exemplares por mês, uma das três de maior tiragem no mundo. As duas primeiras são editadas nos Estados Unidos e na Alemanha. A revista é editada pela Sociedade dos Amigos da Biblioteca Nacional (Sabin) e tem feito grande sucesso, não só entre historiadores e especialistas no assunto, como professores, bibliotecários, estudantes e leitores de bancas.

Centenário
No mês em que completa 100 anos de atividade no Brasil, a ExxonMobil celebra o fato de o escritório de exploração e produção do Rio de Janeiro alcançar a marca de 800 mil horas trabalhadas – equivalentes a 14 anos – “sem incidentes reportáveis”. No terminal da petrolífera na Ilha do Governador a marca é de 31 anos sem incidentes de trabalho com afastamento.

Tragédia no trabalho
Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), ocorrem 1,3 milhão de acidentes de trabalho no Brasil anualmente. As principais causas são o descumprimento de normas básicas de proteção aos trabalhadores e as más condições nos ambientes e processos de trabalho. Ainda de acordo com a OIT, o Brasil é o quarto país em número de mortes por acidentes de trabalho, com 2.503 óbitos. Ele está atrás de China (14.924), Estados Unidos (5.764) e Rússia (3.090). Os quatro estão entre os oito mais populosos do mundo.

O show de Paes
Os inúmeros transtornos causados a motoristas e passageiros com as mal planejadas mudanças nos pontos de ônibus no Centro e na Zona Sul do Rio – batizadas com o colonizado nome de Bus Rapid Service (BRS) – não deixam dúvidas: andar de helicóptero deixa o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), cada vez mais distante da vida real dos cariocas.

Sem teto
Desolada, uma moradora de Nova Friburgo, Região Serrana do Rio de Janeiro, explicava porque, apesar de advertida pela Defesa Civil, não abandonava sua casa, ameaçada pelas chuvas: “E onde vou morar? Debaixo da ponte? Não dá, pois a ponte foi destruída há um ano e não fizeram uma nova…”

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPerda?
Próximo artigoInutilidade cara

Artigos Relacionados

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Últimas Notícias

Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A...

ABBC: Selic deve subir 1,50 ponto percentual

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne na próxima terça-feira (7) para decidir sobre a nova Selic, a taxa básica...

Ibovespa fecha a semana em alta

(alta de 0,013%). O volume representou uma extensão do movimento positivo registrado na quinta-feira (2), quando o índice fechou com forte alta de 3,66%,...

China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A...

Brasileiro teria renda 6 vezes maior com indústria forte

Entre 1950–70, PIB do País foi multiplicado por 10.