Dubai tenta recuperar turismo após impacto de pandemia

Resposta dos Emirados Árabes à Covid-19 motivou retomada; cidade volta a ser procurada por brasileiros após abertura para viagens.

Um dos principais destinos turísticos do Oriente Médio, Dubai foi fortemente afetada pela pandemia de Covid-19. Em março de 2020, com a rápida disseminação do novo coronavírus pelo mundo, a cosmopolita cidade árabe de repente teve que se fechar para visitantes.

A maior cidade dos Emirados Árabes Unidos ficou sem receber turistas por alguns meses. O impacto no mercado turístico foi enorme. Antes da pandemia, no primeiro trimestre de 2020, Dubai vinha apresentando números melhores que no ano anterior. Quando o ano se encerrou, no entanto, o destino havia tido uma queda de 67%.

O número de visitantes internacionais caiu de 16,73 milhões em 2019 para 5,51 milhões em 2020. Como tem o turismo como importante motor de sua economia, Dubai não quis demorar para reabrir as portas.

Em maio de 2020, dois meses depois de fechar as fronteiras, reabriu para visitantes de dentro do país. Em julho do mesmo ano, começou a receber viajantes internacionais.

“Enquanto muitos destinos permaneceram fechados em 2020, Dubai avançou com a reabertura dos seus setores de turismo e hotelaria no segundo semestre do ano, tornando-se um ímã para turistas e viajantes de negócios que procuram um escape seguro para as pressões provocadas pela pandemia em seus países de origem. Apesar dos desafios apresentados pela pandemia, o desempenho do turismo em Dubai voltou a superar a média global, seguindo uma tendência que vem desde 2012”, disse o diretor do órgão de promoção de turismo de Dubai, Issam Kazim.

Segundo ele, da reabertura até julho deste ano, 4,1 milhões de pessoas visitaram o emirado. Nos sete primeiros meses deste ano, foram quase 3 milhões de turistas. Kazim explicou que a retomada foi motivada pela resposta dos Emirados Árabes à pandemia, com grande adesão às medidas de isolamento social e a vacinação de mais de 80% da população. Para ele, isso faz com que o turista se sinta seguro para visitar o país.

Há alguns anos, Dubai é um destino popular de brasileiros. A ligação afetiva se consolidou em 2007, quando a companhia aérea local de Dubai, a Emirates, começou a voar entre a maior cidade do país árabe e a capital paulista. Desde então, milhares de turistas do Brasil já conheceram a metrópole localizada às margens do Golfo Pérsico, seja como destino final de viagem, seja como ponto de conexão com outro lugar da Ásia ou Oceania.

O país só reabriu para o turismo internacional em julho de 2020. E a Emirates só retomou seu voo entre São Paulo e Dubai no mês seguinte. Os brasileiros começaram a voltar ao emirado, mas ainda de forma tímida. Em fevereiro de 2021, com o aumento dos casos de Covid-19 no Brasil, o governo de Dubai decidiu impedir a entrada de brasileiros procedentes de São Paulo. Isso gerou uma situação curiosa, os turistas podiam voar até Dubai, mas não podiam sair do aeroporto. Apenas viajantes que tinham outro destino, como as Maldivas, voavam até Dubai a partir de São Paulo. Apenas no voo de volta, brasileiros eram autorizados a entrar nos Emirados Árabes.

Em junho deste ano, Dubai resolveu suspender a medida e voltou a autorizar a entrada de turistas do Brasil.

Com a Expo Dubai 2020, uma feira internacional que começou na semana passada e que apresentará pavilhões com a cultura de mais de 190 países até março de 2022, a expectativa é que ainda mais brasileiros procurem o destino árabe nos próximos meses.

Segundo Issam Kazim, a cidade tem ofertas para todos os perfis de turista e um cardápio de atrações que reúnem cultura, gastronomia, praia, aventuras ao ar livre e entretenimento para as famílias.

“Queremos ser lembrados pelos brasileiros como o destino dos sonhos e que tem uma grande conexão direta de voos. Reabrimos nossas fronteiras há mais de um ano e esse período foi uma oportunidade para aumentar a exposição das ofertas do destino no Brasil, para mostrar que somos um destino confiável e, acima de tudo, seguro”, afirma.

 

Com informações da Agência Brasil

Leia também:

Setor aéreo se recupera, mas Covid gera perda de US$ 201 bi

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

‘Melhores do Seguro e Resseguro’

Na próxima terça-feira (26), às 18 horas, a Revista Insurance Corp irá transmitir em seu canal no Youtube o prêmio "Melhores do Seguro e...

Contas externas têm saldo negativo de US$ 1,7 bi em setembro

Fernando Rocha: 'O déficit aumentou, embora permaneça em patamares baixos'.

Oito em 10 brasileiros não querem usar dinheiro no futuro

Mais de nove em 10 adotariam criptomoedas emitidas por algum BC; já preferência por faturas digitais aumentou 500% desde 2015.

Últimas Notícias

Guedes fica mesmo avaliado com nota baixa

Apesar de abrir a possibilidade de aumentar a crise econômica e do desrespeito ao teto de gastos ou outras regras fiscais para bancar medidas...

Ex-ministro de Temer substituirá Funchal

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago assumirá o comando da Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento da pasta. A nomeação foi confirmada nesta sexta-feira...

Receita Federal abre consulta a lote residual de Imposto de Renda

A Receita Federal abriu nesta última sexta-feira consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês...

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,238 bi em setembro

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,238 bilhão em setembro deste ano. De acordo com os dados do...

81% dos brasileiros têm contas em mais de uma instituição financeira

Oito em cada dez brasileiros têm conta em mais de uma instituição financeira, ou seja, controla suas finanças de força desagregada. É o que...