Dólar já registrou queda de 3,23% em janeiro

Há cinco dias úteis em baixa, o dólar comercial encerrou a R$ 2,25 (-1,40%) – menor cotação desde 8 de dezembro (R$ 2,224). O resultado ampliou a queda acumulada pelo dólar ante o real este mês/ano para 3,23%. Mais uma vez, o BC voltou a vender a oferta integral de US$ 417 milhões em swap reverso ofertados e pode ter comprado mais cerca de US$ 200 milhões em mercado. Mesmo assim, não conseguiu reverter a trajetória de baixa por causa da continuidade das apostas na queda futura das cotações. O giro financeiro total à vista aumentou 15% para cerca de US$ 1,758 bilhão.
Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os sete vencimentos de dólar negociados projetaram quedas: para 1.º de fevereiro, -1,37% a R$ 2,269; e o contrato mais longo, janeiro/07, -0,99% a R$ 2,504. O volume movimentado manteve-se em US$ 5,63 bilhões, com 112.771 contratos.
Os investidores reafirmam essa expectativa influenciados pelo cenário tranqüilo – com bolsas norte-americanas em alta e risco Brasil estável -, os fundamentos domésticos favoráveis e a previsão de novos fluxos cambiais para o país. As eleições presidenciais deste ano no país, do ponto de vista do mercado, não devem trazer grandes surpresas, já que os candidatos mais cotados – Lula, Serra e Alckmin – não tendem fazer mudanças radicais na política econômica.

Bolsa realiza de lucro após subir 6%
A Bovespa subiu 6% nos cinco pregões da primeira semana de 2006. Nesta segunda-feira, o mercado de ações realizou lucros. Oscilou bastante durante todo o dia, mas ficou a maior parte do tempo em terreno negativo. O volume de negócios diminuiu, reforçando a expectativa de que a tendência da bolsa é de alta neste início de ano.
O Índice Bovespa fechou em baixa de 0,39%, com 35.337 pontos. Operou entre a máxima de 35.601 pontos (0,36%) e a mínima de 35.108 pontos (-1,03%). Com esse resultado, a bolsa passou a acumular alta de 5,62% em janeiro. O movimento financeiro recuou, ficando em R$ 1,835 bilhão.
A bolsa paulista operou descolada de Nova York. Wall Street trabalhou no azul e o Dow Jones chegou a superar a marca psicológica dos 11 mil pontos no período da tarde. Por aqui, no entanto, os investidores reduziram o ritmo de compra de papéis e acabaram realizando lucros. “A bolsa realizou. Mas parece que o fluxo de capital estrangeiro permanece positivo. Por outro lado, se essa fonte minguar, o mercado vai bater e a bolsa vai cair mais”, comentou um operador.

Artigo anteriorOrdem de grandeza
Próximo artigoPintando o sete
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Vacinas vendidas por até 24x o custo de produção

Aliança denuncia altos lucros dos laboratórios.

Energia rara e cara

Modelo equivocado colocou Brasil entre os campeões de tarifas elevadas.

União perde bilhões de dólares no petróleo

Lei isentou campo mais produtivo de pagamento de participações especiais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Petrobras garante que manterá planos de negócios

A Petrobras seguirá os planos de negócios já anunciados, inclusive os desinvestimentos que vem fazendo com a venda de ativos considerados não essenciais pela...

Comunidade Dato garante revolucionar a forma de fazer marketing

Grupo de empresas do Centro-Oeste se une e forma a nova startup para qualificar e oportunizar talentos ocultos ou não que tem um perfil...

Mulheres discutem nova regulação de fundos de investimento

Na próxima quarta-feira (11), às l7 horas, mulheres do mercado de capitais estarão reunidas para falar sobre a nova resolução sobre fundos da Comissão...

Raízen conclui IPO e entra na listagem nível 2 da B3

A Raízen (ticker RAIZ4), empresa de energia, concluiu nesta quinta-feira a sua oferta pública inicial (IPO) na B3. A empresa, criada a partir de...

DHL Express compra 12 aviões de carga elétricos da Eviation

Aeronaves formarão a primeira rede Express elétrica mundial.