26.4 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, janeiro 18, 2021

Duplo efeito negativo

Os milionários brasileiros e russos são os principais compradores de imóveis de luxo mundo afora, afirma a a economista Beatriz David, da Uerj. “Interessante que, dos Brics, Brasil e Rússia são os que estão se especializando na produção de commodities, mostrando que essa regressão ajuda a concentrar ainda mais a renda”, comentou.

Pouco caso
O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) não deixou de espetar as empresas Nokia, Motorola, LG, Samsung e Sony Ericsson, que resistem a “cumprir os direitos dos consumidores previstos no CDC”. Representadas pela Abinee, estas companhias não aceitam a determinação de troca imediata de aparelhos celulares com defeito. Será que estas multinacionais agiriam assim em seus países de origem?

Porto do óleo
Presidente da LLX Logística, do grupo de Eike Batista, Otavio Lazcano falará sobre o Superporto de Açu, em construção em São João da Barra, no Norte Fluminense, a empresários da Câmara Brasil-Alemanha. O terminal, que entra em operação no início de 2012, promete ser tão moderno e eficiente quanto os portos da Ásia e da Europa, de olho na logística e no suprimento das atividades de exploração e produção de óleo e gás na Bacia de Campos. Serão investidos R$ 4,3 bilhões na construção. A palestra, com almoço, será na próxima segunda-feira, às 12h30, na Firjan.

Por dentro da Terra
Diversas atividades gratuitas voltadas para a difusão do conhecimento geológico – a Terra e seus fenômenos – estão programadas pelo Serviço Geológico do Estado do Rio (DRM) para a semana de 18 a 24 de outubro, em comemoração à Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2010, no Jardim Botânico.

Força
A palestra de Luiz Guilherme Nobre Pinto, técnico da Eletros candidato à Diretoria Financeira do fundo de previdência dos empregados da Eletrobrás, foi a que mais impressionou os participantes na sabatina realizada nesta quinta-feira. É a primeira vez que um funcionário da Eletros concorre à diretoria da fundação.

Pirro verde
Cerca de dez dias depois de ser apresentada por certo tipo de imprensa como “a vencedora do primeiro turno”, nem Marina Silva nem o PV sabem o que dizer aos cerca de 19 milhões de eleitores que sufragaram o nome da candidata verde. Apesar da multiplicidade de teses a respeito, o motivo é simples: em sua grande maioria, a maior parte dos votos em Marina era de gente que não queria nem Serra nem Dilma. Fora disso, o que resta são os interesses regionais dos filiados agrupados em torno do gelatinoso PV.

DNA
Para quem subestima o fisiologismo do PV, é bom lembrar que, em 1992, depois de apoiar Benedita da Silva (PT) contra Cesar Maia (PMDB), no segundo turno, realizado em 15 de novembro daquele ano, a seção local do partido, capitaneada por Fernando Gabeira e Alfredo Sirkis, desembarcou, já em janeiro de 1993, no governo de… Maia. O segundo, inclusive assumiu a recém-criada Secretaria de Meio Ambiente, configurada, justamente, para justificar a adesão relâmpago dos ex-apoiadores de Benedita até apenas um mês e meio antes.

Artigo anteriorÚltima hora
Próximo artigoPalpite duplo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.