Dívida antiga

A boa recuperação dos índices de emprego formal ainda não se refletiu no déficit financeiro acumulado dos consumidores. O desemprego (33,6%) ao lado do descontrole de gastos (17,6%) são as principais causas da inadimplência no comércio, seguidas por fiança e aval (13,6%) e doença em família (13,6). De 500 consumidores ouvidos pelo Clube dos Diretores Lojistas (CDL-RJ) para montar o “Perfil do Inadimplente”, 43,2% disseram que a sua situação financeira melhorou em relação ano passado, 40% que está igual, 16% responderam que piorou e 0,8% não responderam. Após quitar a dívida 46,4% dos entrevistados disseram que pretendem voltar a fazer compras nos próximos meses.

Vôo cego
A pesquisa do CDL-RJ mostra que 8% dos inadimplentes têm prestações atrasadas no valor de até R$ 100; 11,2%, até R$ 200; 8%, até R$ 350; 3%, até R$ 600; 2,4%, até R$ 1,5 mil; 4,8%, até R$ 2,3 mil; 2,4%, até R$ 3 mil; e 1,6% têm prestações acumuladas acima de R$ 5 mil. O mais impressionante é que 58,4% declararam que não sabem quanto devem.
Dos entrevistados 43,2% pretendem quitar o débito usando recursos do próprio salário, 38,4% com acordo, 8% com recursos das férias e outros recursos.

SUS internacional
Pacientes internacionais que buscam serviços de excelência na área médica – o (mal) chamado turismo médico – já representam 18% dos hóspedes dos hotéis paulistanos. Eles permanecem, em média, 3,3 dias na capital, segundo a São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB). A cada US$ 1 gasto em medicina, US$ 8 são gastos em outras depesas. O mercado em alta motivou a realização, em 28 de agosto, no Grand Hyatt São Paulo (SP), do Medical Travel Meeting – Brazil (www.medicaltravelmeetingbrazil.com)

Ponto
A TV Cultura iniciou um programa novo, o “caça-fantasmas”. Não se trata de um novo programa para a ótima grade da emissora paulista, mas sim a obrigação de seus funcionários mostrar que existem. Estima-se que a TV tenha 2 mil funcionários, mais que a Globo em São Paulo. Se a moda pega na Rede Brasil, emissora educativa federal, vai sobrar lençol.

Sem justiça
A Federação do Comércio de São Paulo (Fecomercio-SP) pediu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que vete integralmente o Projeto de Lei 46/2010, de autoria do deputado Régis de Oliveira (PSC-SP), que altera os artigos 897 e 899 da CLT, instituindo um novo depósito recursal para os empregadores, 50% acima do valor vigente, em recursos de agravo de instrumento nas ações trabalhistas.
O presidente da Fecomercio-SP, Abram Szajman, lembra que as empresas já enfrentam cerceamento de defesa ao serem obrigadas a recolher R$ 5.621,90 para a interposição de recurso ordinário e R$ 11.243,81 para recurso de revista, embargos e outros, “valores que fogem da realidade da imensa maioria das empresas brasileiras, 95% delas constituídas por micro ou pequenas organizações”.

Representação
O Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) e a Comissão de Legislação Participativa (CLP) realizam, nesta quarta-feira,  o seminário A Subrepresentação da Sociedade no Parlamento Brasileiro. O objetivo é debater as razões pelas quais o Congresso Nacional não reflete a diversidade de grupos sociais (negros, mulheres e indígenas) que compõem a sociedade. Uma boa pista poderia ser investigar o modelo econômico que mantém o país como um dos mais desiguais do mundo.

Crise? Que crise?
A soma das fortunas dos latino-americanos que têm mais de US$ 1 milhão em aplicações financeiras (excluídos imóvel de moradia e obras de arte) cresceu 15% ano passado. Desde o princípio da crise de 2008, os investimentos dos latinos milionários cresceram 8%, mais que em qualquer outra região do mundo, segundo o “Informe sobre a Riqueza Mundial 2010” publicado por Merrill Lynch e Capgemini. O número de ricos na região passou de 400 mil, em 2007, para 500 mil, em 2009.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPara europeu ver
Próximo artigoRemédio antigo

Artigos Relacionados

Commodities voltam a subir e ameaçam inflação

Brasil dependerá, mais que nunca, do comportamento do real frente ao dólar.

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Últimas Notícias

Valor da internet em Portugal está mais barato

Dados recentes do Eurostat, Serviço de Estatística da União Europeia, referentes a dezembro de 2021, mostra que Portugal lidera na descida de preços dos...

Modal finaliza aquisição da integralidade do banco digital LiveOn

O Modal, banco de investimento, fechou a aquisição de 100% da infratech LiveOn, operação divulgada em outubro de 2021, e só agora aprovada pelo...

Fitch afirma IDRs BB’ e rating nacional ‘AAA do Itaú Unibanco

A Fitch Ratings afirmou nesta segunda-feira os IDRs (Issuer Default Ratings - Ratings de Inadimplência do Emissor) de Longo Prazo em Moedas Estrangeira e...

Balança comercial registra déficit de US$ 117 milhões

A corrente de comércio (soma de exportações e importações) brasileira cresceu 28% e fechou a terceira semana de janeiro em US$ 28,91 bilhões. Os...

Subida de juros assusta investidores

A segunda-feira (24) foi marcada como um dia de aversão a risco com fortes quedas nas bolsas internacionais, observou Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial...