É hora de dar voto de confiança para o ensino a distância corporativo

Por Richard Vasconcelos.

Opinião / 17:01 - 22 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Nunca mais voltamos para o presencial”. Essa afirmação veio de gestores de universidades corporativas de grandes empresas, que têm visto no ensino a distância algo muito além do que uma solução emergencial para aplicar treinamentos em tempos de pandemia. Sendo obrigados a migrar totalmente para o online para seguir as orientações de distanciamento social estipuladas pela OMS, muitos gestores que antes tinham ressalvas com relação a educação corporativa a distância agora começam a enxergar os benefícios em seguir investindo nesse modelo de negócio e questionar a real necessidade do ensino presencial, visto que este exige um maior custo com estrutura e também limita o número de participantes.

A maior preocupação, no entanto, está no engajamento e na qualidade dos cursos oferecidos, duas questões facilmente resolvidas com o uso da tecnologia e da criatividade no desenvolvimento de conteúdos. A solução para isso é investir em modelos específicos para o ensino a distância, e isso vai muito além de digitalizar o ensino presencial, no qual o professor fala durante algumas horas com o apoio de uma apresentação e, ao final, aplica uma avaliação no modelo de perguntas e respostas objetivas.

A solução aqui é formatar um roteiro dinâmico com o uso de recursos tecnológicos como a gamificação, a solução baseada em problemas e, principalmente, inserir a cultura da empresa dentro do treinamento. Em vez de aulas tradicionais, é possível a criação de séries com os ensinamentos necessários, divididas em episódios de curta duração e que tragam o conceito de maratonas de episódios, assim como acontece com plataformas de streaming de vídeos de entretenimento.

Com o investimento em ações específicas para o ensino online, com conteúdos relevantes ensinados de maneira adequada, o engajamento e resultados aparecem. Esses indicadores podem ser medidos por meios quantitativos, como a quantidade de horas de treinamento e o número de colaboradores capacitados, bem como por meios qualitativos, identificando o impacto no negócio e fazendo amostras A\B, para identificar como performa quem fez e quem não fez determinado treinamento.

Para quem ainda está em dúvida sobre a eficácia e futuro desse modelo, listo abaixo alguns benefícios da prática e como ela pode ser vantajosa mesmo no período pós pandemia:

Promove a rápida disseminação e aplicação do conhecimento

O treinamento online dispensa os custos e tempo de espera com a confecção e impressão de materiais de suporte para os alunos. Para isso, basta disponibilizar o conteúdo em um ambiente seguro da internet, sendo possível ainda a atualização constante deste material.

Além disso, isso permite que os colaboradores estudem os módulos mais rapidamente, seguindo seu próprio ritmo de aprendizado. Desta forma, eles conseguirão colocar as coisas em prática na empresa em um menor intervalo de tempo.

Potencializa o alcance do treinamento

Em termos de custo-benefício, esta é uma ótima forma de um mesmo treinamento ser aproveitado pelo máximo de pessoas possível. Além de que, quando o treinamento é transmitido dessa maneira, engaja as equipes de todas as unidades da empresa em um mesmo nível de informação e espírito de produtividade.

Quanto às questões de logística, a tecnologia pode ser útil tanto para eliminar custos de deslocamento das equipes a serem treinadas quanto para ampliar o alcance do curso: empresas que contam com múltiplas filiais podem treinar os funcionários da mesma área simultaneamente, independentemente de onde estejam. Em termos de custo-benefício, esta é uma ótima forma de um mesmo treinamento ser aproveitado pelo máximo de pessoas possível. Além de que, quando o treinamento é transmitido dessa maneira, engaja as equipes de todas as unidades da empresa em um mesmo nível de informação e espírito de produtividade.

É reutilizável

Um curso gravado em vídeos pode ser usado diversas vezes ao ano, até surgirem informações mais atualizadas. A vida útil do treinamento corporativo online pode ser estendida por um tempo considerável, o que é particularmente interessante para capacitação de novos funcionários ou mesmo para reforçar o que os anteriores já aprenderam.

Se disponibilizado em um acervo, os colaboradores também poderão consultar o material sempre que houver alguma dúvida ou situação que demande o acesso, ou seja, o investimento feito no curso pode ter um retorno a curto e longo prazo.

Melhora a retenção do conhecimento

Ao investir em um treinamento online de qualidade, com ferramentas interativas, exercícios, desafios, e que envolva situações com as quais o colaborador lida em seu dia a dia, certamente ganhará muito mais atenção do que com uma atividade presencial tradicional.

Além do mais, quando o aprendizado é flexibilizado, dando ao colaborador a chance de estudar em seu ritmo, sem imposições e no momento que ele achar melhor, é possível fazer com que ele tenha mais empatia pelo que está sendo ensinado e também dê mais atenção ao conteúdo.

Aumenta a produtividade

Colaboradores que dominam suas atividades e estão sempre bem informados sobre as melhores formas de executá-las com certeza estarão aptos a produzir mais, em menor tempo, e com riscos menores. É aqui que o gestor mais percebe o retorno de seu treinamento online e tem ganhos tanto financeiros quanto de motivação e confiança.

Flexibiliza o aprendizado

Se antes o treinamento precisava ser realizado apenas na empresa, com um bom treinamento online, isso não existe mais. As lições disponíveis na internet em um ambiente seguro permitem o acesso em qualquer momento. Com isso, o colaborador pode transformar um momento ocioso, como uma viagem de ônibus ou uma espera no aeroporto, em momentos de aprendizado. Cada um estuda quando achar mais conveniente, respeita seus limites e potencializa os resultados do treinamento.

Richard Vasconcelos

CEO da LEO Learning Brasil.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor