É hora de detonar as reformas

Papel do Estado se mostra decisivo no combate ao vírus e à crise econômica.

A crise deflagrada pelo coronavírus desmoralizou a defesa do Estado mínimo. Quem criticava, passou a ardorosamente defender a intervenção estatal para evitar uma quebradeira geral, com os governos assumindo pagamentos de salários e perdas nas bolsas. Os serviços de saúde públicos, esses paquidermes perdulários, são os que seguram a assistência à população.

No Brasil, o SUS mostra sua importância, apesar de todos os cortes de verbas. Hospital privado de Brasília transferiu o paciente no primeiro caso diagnosticado de coronavírus no país para o serviço público; em São Paulo, quatro mortes no estabelecimento privado levaram a prefeitura a questionar a operadora.

Na área financeira, os bancos estatais – Caixa e BB – foram convocados para dar suporte a instituições que passam por dificuldades. É Paulo Guedes fazendo tudo aquilo que ele e sua turma criticaram nos governos passados, especialmente nos petistas.

Esse quadro mostra a importância do Estado e os estragos que as políticas liberais xiitas causaram no país e causarão ainda mais se forem mantidas. Ao contrário do que defendem os executores dessas políticas e seus seguidores na mídia – a criticada Globo entre eles – não é hora de insistir nas reformas. Pelo contrário, é o momento de enterrar essas ideias, a começar pelo Teto dos Gastos não financeiros.

Um país – mais ainda os emergentes – não podem abrir mão de um Estado presente. A crise demonstra isso. Não querer enxergar não significa que não é a realidade.

 

É hora de testes

Ao contrário do que insistem o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais, o teste em massa da população – como feito na Coreia do Sul – salva vidas e reduz os estragos econômicos provocados pela paralisação das atividades, com o confinamento das pessoas em suas casas.

Na pequena cidade de Vò, no norte da Itália, onde ocorreu a primeira morte por coronavírus no país, todos os 3.300 habitantes – incluindo pessoas assintomáticas – foram examinadas. O estudo científico, realizado pela Universidade de Pádua, com a ajuda da região de Veneto e da Cruz Vermelha, visou descobrir a dinâmica de transmissão e as categorias de risco.

Segundo o jornal britânico The Guardian, o estudo demonstra como os cientistas podem neutralizar a propagação da Covid-19. Quando a pesquisa começou, em 6 de março, havia 90 infectados em Vò. Há dias, não há novos casos. Os pesquisadores explicaram que haviam testado os habitantes duas vezes e que o estudo levou à descoberta do papel decisivo na disseminação da epidemia de coronavírus em pessoas assintomáticas.

 

Coletiva

Algumas observações sobre a coletiva de Bolsonaro e cia.: o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil foi afetado no início de 2019, por causa da crise argentina. Na verdade, a economia da Argentina estava com graves problemas mais de um ano antes.

O ministro Mandetta admitiu que o Governo Federal não comprou ambulâncias em 2019.

 

Pneu furado

Há 19 dias, o monotrilho paulista está fora de operação. A construção da Linha 15-Prata do metrô ficou a cargo da canadense Bombardier. A promessa era um sistema mais econômico e de construção mais rápida que os trens subterrâneos, mas não conseguiu ser nem uma coisa, nem outra. A Linha 15-Prata é recordista em falhas no sistema metroviário. A cada quatro horas de operação, uma é atípica.

Imagina o escândalo na mídia tupiniquim se a responsável pelo fiasco fosse alguma estatal brasileira.

 

Marmitão

As medidas adotadas até agora no Brasil visam muito mais a classe média e média/alta. Os trabalhadores de mercados, postos, motoristas de aplicativos, camelôs e tantos outros que não cabem no sistema ‘home office’ continuam expostos.

 

Rápidas

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) adiou a aplicação das provas do Exame de Suficiência 1/2020, previstas para ocorrerem em 19 de abril de 2020. Nova data será informada em consulplan.net ou cfc.org.br *** A Uerj adiou a temporada da peça A Corrida do Ouro, que aconteceria nos dias 19, 20, 21, 26, 27 e 28. As novas datas ainda não foram confirmadas *** Confirmada a segunda edição da Feira Virtual Senac RJ, plataforma online de oferta de empregos e estágios em empresas parceiras do projeto, de 23 a 27 de março. Pré-registo dos candidatos em rj.senac.br/feiravirtual

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Lei determina que estatais respeitem interesse público

Acionistas da Petrobras sabem que ela tem obrigações e bônus por ser de economia mista.

Plano B dos bilionários dos EUA

Fuga dos impostos, de Trump e dos bloqueios levam a dupla cidadania.

É a inflação, estúpido

Preços não dão trégua a Bolsonaro em ano de eleição.

Últimas Notícias

Previdência privada é pouco usada; 92% dependem de recursos do INSS

Mais da metade dos brasileiros gostaria de parar de trabalhar com 60 anos, mas só 28% acham que vão conseguir.

Brilhante comércio de cerejas entre a China e o Chile

Um total de 356.000 toneladas de cerejas foram exportadas do Chile durante a temporada 2021-2022, com 88% do total indo para a China, de acordo com a iQonsulting, uma empresa de consultoria, com sede em Santiago, capital do Chile.

Empresa chinesa construirá parque de ciências agrícolas em Paracatu

A Prefeitura de Paracatu, no estado brasileiro de Minas Gerais, assinou um acordo com uma empresa chinesa para abrigar um parque de ciências agrícolas, visando construir o maior centro sul-americano de pesquisa e desenvolvimento de sementes de soja e milho e da cadeia de suprimentos.

Criação de mais um monopólio privado regional

Recurso de petroleiros contra decisão do Cade sobre venda da Reman

Restrição do Fed pode impulsionar a saída de capital dos países da AL

Sinalizou uma política monetária mais restritiva em meio às expectativas de inflações mais altas