É o petróleo, estúpido

Estatal saudita, Aramco é a maior empresa do mundo em valor de mercado.

Fatos e Comentários / 19:41 - 6 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A petroleira Saudi Aramco arrecadou US$ 25,6 bilhões com o lançamento inicial de ações (IPO), o que projeta um valor de mercado de US$ 1,7 trilhão. Ainda que um valor fictício, pois bolsas de valores têm alta e baixas e estejam no topo neste momento impulsionadas pelo dinheiro a custo zero lançado de helicópteros, o resultado coloca a empresa de petróleo saudita como a maior do mundo neste critério, à frente de Google, Amazon e Apple, que cai para o segundo lugar, valendo cerca de US$ 1,15 trilhão.

A Aramco tem algumas características que incomodam os xiitas de mercado: é estatal, pesquisa, extrai e produz óleo de verdade e incentiva o conteúdo local (meta de 70% do fornecimento). O mais importante é sua razão de ser: é uma empresa de petróleo. Sim, o que diziam ser dinossauros condenados à extinção com o fim da era dos hidrocarbonetos. Pois é um desses monstros pré-históricos que agora lidera o ranking mundial em capitalização nas bolsas de valores, sinônimo do que pensa o mercado financeiro.

Outro ponto: apenas 1,5% do capital da empresa foi vendido. O restante permanece nas mãos do Estado, este monstro ineficiente, perdulário e que não sabe administrar uma empresa. Pelo menos, não na visão dos fundamentalistas brasileiros.

Por aqui, querem destruir a Petrobras à maneira de Jack: por partes. A estatal brasileira produz cerca de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia, pouco menos de um terço dos 10 milhões da Aramco. Só por aí já dá para se ter uma ideia da importância e do tamanho da Petrobras. Abandonar o refino, a petroquímica e áreas correlatas só reduz o valor da empresa. Não basta só o exemplo da Aramco: o caminho pelo qual estão levando a estatal brasileira vai na contramão do setor petrolífero.

 

Confiança e desconfiança

A OAB comemora ter ficado entre as instituições que inspiram maior confiança na sociedade, de acordo com pesquisa sobre a imagem do Judiciário brasileiro realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), por encomenda da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e da Fundação Getúlio Vargas.

A OAB ficou com o maior índice de confiabilidade: 66%. As empresas privadas alcançaram 56%, os movimentos sociais, 49%, os sindicatos, 35%, e os partidos políticos, 14%.

O presidente nacional da Ordem, Felipe Santa Cruz, foi atacado pelo presidente Jair Bolsonaro no início do ano. Na mesma pesquisa, 63% dos entrevistados disseram não confiar na Presidência da República.

 

Suicídio na Geração Z

O suicídio é apontado como a segunda causa de morte entre a Geração Z. O relatório do Centers for Disease Control and Prevention aponta que a taxa entre pessoas de 10 a 24 anos aumentou 56% (de 2007 a 2017). Entre os adolescentes de 15 a 19 anos, a taxa subiu 76%. A geração, também chamada de Millennials, é formada por nascidos a partir de 1997.

O relatório mostrou que, em 2017, 13% dos adolescentes entrevistados relataram ter pelo menos um episódio depressivo no ano anterior, assinala Lu Magalhães, presidente da Primavera Editorial, que acaba de lançar o livro Estresse e Ansiedade: encarando a epidemia nas garotas, de Lisa Damour.

 

Rápidas

O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio recebe no dia 10, às 19h, Fred Luz, ex-CEO do Flamengo, para falar sobre o case de sucesso da marca. Inscrições aqui *** A possibilidade de candidaturas avulsas e independentes será tema de seminário da FGV Ebape, nesta terça-feira, em Botafogo, Rio de Janeiro *** Para celebrar o Natal, o Shopping Jardim Guadalupe realizará a Ação Social no próximo sábado, das 9h às 14h, em parceria com a Prefeitura do Rio. Serão oferecidos serviços como emissão de identidade e carteira de trabalho, vacinação e mamografias *** A Caravana de Natal da Coca-Cola passa no Carioca Shopping nesta segunda-feira, com Papai Noel e urso polar, às 18h30 *** O vice-presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Cid Benjamin, fará palestra sobre “A afirmação dos direitos humanos através do direito à informação” no seminário “Urgência na prática eficaz de direitos humanos no século XXI”, que o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) realizará nesta segunda-feira, das 16h às 19h. Inscrições aqui.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor