26 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, janeiro 20, 2021

É o petróleo, estúpido

A petroleira Saudi Aramco arrecadou US$ 25,6 bilhões com o lançamento inicial de ações (IPO), o que projeta um valor de mercado de US$ 1,7 trilhão. Ainda que um valor fictício, pois bolsas de valores têm alta e baixas e estejam no topo neste momento impulsionadas pelo dinheiro a custo zero lançado de helicópteros, o resultado coloca a empresa de petróleo saudita como a maior do mundo neste critério, à frente de Google, Amazon e Apple, que cai para o segundo lugar, valendo cerca de US$ 1,15 trilhão.

A Aramco tem algumas características que incomodam os xiitas de mercado: é estatal, pesquisa, extrai e produz óleo de verdade e incentiva o conteúdo local (meta de 70% do fornecimento). O mais importante é sua razão de ser: é uma empresa de petróleo. Sim, o que diziam ser dinossauros condenados à extinção com o fim da era dos hidrocarbonetos. Pois é um desses monstros pré-históricos que agora lidera o ranking mundial em capitalização nas bolsas de valores, sinônimo do que pensa o mercado financeiro.

Outro ponto: apenas 1,5% do capital da empresa foi vendido. O restante permanece nas mãos do Estado, este monstro ineficiente, perdulário e que não sabe administrar uma empresa. Pelo menos, não na visão dos fundamentalistas brasileiros.

Por aqui, querem destruir a Petrobras à maneira de Jack: por partes. A estatal brasileira produz cerca de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia, pouco menos de um terço dos 10 milhões da Aramco. Só por aí já dá para se ter uma ideia da importância e do tamanho da Petrobras. Abandonar o refino, a petroquímica e áreas correlatas só reduz o valor da empresa. Não basta só o exemplo da Aramco: o caminho pelo qual estão levando a estatal brasileira vai na contramão do setor petrolífero.

 

Confiança e desconfiança

A OAB comemora ter ficado entre as instituições que inspiram maior confiança na sociedade, de acordo com pesquisa sobre a imagem do Judiciário brasileiro realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), por encomenda da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e da Fundação Getúlio Vargas.

A OAB ficou com o maior índice de confiabilidade: 66%. As empresas privadas alcançaram 56%, os movimentos sociais, 49%, os sindicatos, 35%, e os partidos políticos, 14%.

O presidente nacional da Ordem, Felipe Santa Cruz, foi atacado pelo presidente Jair Bolsonaro no início do ano. Na mesma pesquisa, 63% dos entrevistados disseram não confiar na Presidência da República.

 

Suicídio na Geração Z

O suicídio é apontado como a segunda causa de morte entre a Geração Z. O relatório do Centers for Disease Control and Prevention aponta que a taxa entre pessoas de 10 a 24 anos aumentou 56% (de 2007 a 2017). Entre os adolescentes de 15 a 19 anos, a taxa subiu 76%. A geração, também chamada de Millennials, é formada por nascidos a partir de 1997.

O relatório mostrou que, em 2017, 13% dos adolescentes entrevistados relataram ter pelo menos um episódio depressivo no ano anterior, assinala Lu Magalhães, presidente da Primavera Editorial, que acaba de lançar o livro Estresse e Ansiedade: encarando a epidemia nas garotas, de Lisa Damour.

 

Rápidas

O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio recebe no dia 10, às 19h, Fred Luz, ex-CEO do Flamengo, para falar sobre o case de sucesso da marca. Inscrições aqui *** A possibilidade de candidaturas avulsas e independentes será tema de seminário da FGV Ebape, nesta terça-feira, em Botafogo, Rio de Janeiro *** Para celebrar o Natal, o Shopping Jardim Guadalupe realizará a Ação Social no próximo sábado, das 9h às 14h, em parceria com a Prefeitura do Rio. Serão oferecidos serviços como emissão de identidade e carteira de trabalho, vacinação e mamografias *** A Caravana de Natal da Coca-Cola passa no Carioca Shopping nesta segunda-feira, com Papai Noel e urso polar, às 18h30 *** O vice-presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Cid Benjamin, fará palestra sobre “A afirmação dos direitos humanos através do direito à informação” no seminário “Urgência na prática eficaz de direitos humanos no século XXI”, que o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) realizará nesta segunda-feira, das 16h às 19h. Inscrições aqui.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportações de suco de laranja recuam 23% entre julho e dezembro

Safra menor e estoques mais elevados estão entre as principais razões para a baixa.

Os desafios para Joe Biden nos EUA

Avanço da Covid-19 pode fazer com que democrata e equipe tenham que apagar alguns incêndios no começo do mandato.

Mercados sobem em véspera do Copom

Campos Neto, presidente do BC, participa da primeira sessão da reunião do Copom.

Mercados locais sobem seguindo Bolsas mundiais

Dia amanhece com tendência de alta para o mercado interno, seguindo NY na volta do feriado.

Contra tudo temos vacina

Dia promete ser de mais recuperação da Bovespa, dólar fraco e juros em queda.