E o respeito aos contratos?

A desenvoltura com que Estados Unidos e Europa – nesta, particularmente França – intervieram na disputa pelo poder na Líbia levou até comentaristas conservadores, como Boris Casoy, a considerarem que “a resolução da ONU foi estuprada”. No entanto, outro aspecto, além da intervenção militar e da corrida ao petróleo líbio iniciada antes mesmo de o novo governo se estabelecer formalmente, tem sido pouco tocado: o sequestro de bens e dinheiro do povo da Líbia mantido em bancos europeus e estadunidenses abre grave precedente para, sob o pretexto da ocasião, outros governos sofrerem confisco semelhante. E, após serem removidos, terem o próprio dinheiro do país transformado em financiamento aos novos governos alinhados.

Caos
Ex-presidente da Associação Internacional de Sociologia, criador da teoria dos Sistema-Mundo, Immanuel Wallerstein, da Universidade de Yale, está com opiniões um tanto ou quanto catastrofistas. Algumas das afirmacões de Wallerstein: “A situação dos Estados Unidos é grave e não é recuperável”; “o desenlace ocorrerá dentro de dois ou três anos, com resultados caóticos para o sistema mundial”; “uma incerteza enorme paralisará o mundo”; “eu vejo guerras civis em múltiplos países do Norte, especialmente Estados Unidos”; e “os bancos chineses estão na mesma situação dos bancos norte-americanos de dois ou três anos atrás”.
De positivo, Wallerstein vê a possibilidade de construção de uma nova arquitetura financeira regional com iniciativas como o Banco do Sul ou de uma moeda regional como o sucre: “A criação eventual de uma moeda verdadeiramente comum será um elemento de força econômica nesta situação”.

O imposto é meu
O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul aceitou os argumentos do Governo do Estado em relação ao direito de tributar as operações de compra e venda pela Internet. Os desembargadores entenderam que sobre as operações de comércio eletrônico incide o ICMS, porque o fator gerador (encomenda, compra e entrega) ocorre dentro do estado. Outros 18 estados também aguardam manifestação da Justiça sobre a questão.

O ex manda?
Assessores do ex-presidente da Eletrobras foram ficando no escritório em Brasília, mesmo após a troca de comando na estatal. Denuncia a Associação de Empregados (Aeel) que foram até criados dois departamentos, denominados PGT e PGI, que acomodam funcionários terceirizados: “A criação desses departamentos levou a empresa a alugar o sétimo andar do Edifício Varig, um dos mais caros e luxuosos prédios comerciais de Brasília, pagando a bagatela de R$ 48 mil mensais, com condomínio, luz etc.”

Novo rumo
Presidente Dilma, já que de Moreira Franco pode se esperar coisa alguma, por que não chamar para a senhora o Plano 2022 e assumir uma agenda positiva, longe da barganha política e da tentativa da mídia hegemônica de tutelar seu governo?
Como disse em 13 de julho o consultor Osvaldo Nobre, no artigo “Urgente: resgatem a nossa presidente”: “Brasileiros responsáveis: resgatem a nossa presidente, que pode ter todos os defeitos, mas foi eleita pelo povo. Preservem a democracia ajudando a nossa presidente a ter em torno de si gente competente. Partidos políticos: parem com o sequestro de uma coalizão de chantagens. (…) Preservem a presidente! Preservem a democracia e os seus empregos! Façam enquanto é tempo!”

Sustentabilidade
Diretor do Centro de Pesquisas do Brasil Contemporâneo na Escola de Altos Estudos de Ciências Sociais em Paris (França), o economista e sociólogo polonês Ignacy Sachs participa, nesta terça-feira, da Oficina sobre Desenvolvimento Sustentável, promovida pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, vinculado à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência (SAE). O evento, que começa às 9h, será realizado na sede do Sesc de São Paulo, na Vila Mariana. Sachs vai tratar da perspectiva do desenvolvimento sustentável no contexto da Conferência Rio + 20.

Livro branco
As medidas necessárias para a redução dos déficits tecnológicos na indústria de defesa brasileira serão debatidas pelo diretor geral da Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica (Protec), Roberto Nicolsky, nesta terça-feira, no 6º Seminário do Livro Branco de Defesa Nacional, em São Paulo. Os interessados podem se inscrever através do site: http://livrobranco.defesa.gov.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPortas abertas
Próximo artigoA culpa é da mãe

Artigos Relacionados

Ainda é a economia

Redução dos preços coloca algum combustível na campanha de Bolsonaro.

Suíça é ponte para exportações à Rússia

Vendas do País que lava mais branco aos russos cresceram mais de 80% desde fevereiro.

Homens pintam melhor que mulheres?

Não, mas recebem 10 vezes mais por obra.

Últimas Notícias

Armazém Cultural: Câmara debate veto do prefeito do Rio

.Comissão de Justiça e Redação recomenda rejeição ao veto

Plataformas da Bacia de Campos tem hotéis flutuantes

Petrobras estuda investir US$ 220 milhões até 2023

Ações do setor de saúde puxam Ibovespa

Destaque também para Petrobras, que celebrou novo aditivo ao contrato de compra de gás natural com a YPFB

Governo de MG conclui leilão de 627,4 km de rodovias

Investimentos de R$ 3,2 bi, sendo R$ 1,4 bi nos oito primeiros anos da concessão

Bancos chineses: mais empréstimos para empresas privadas

No final de junho aumento de 11,4% em relação ao ano anterior