Economista afirma que maior risco para este ano é o fiscal

Ano eleitoral torna mercado com referência fraca

Em uma análise dos 13 primeiros dias de 2022, o economista João Beck, sócio da BRA, faz uma análise do momento: “Nos últimos dias, vimos uma recuperação com alta das bolsas e dólar fraco, mas ainda é cedo para ficar otimista. O FED (Banco Central dos EUA) vem elevando cada vez mais o tom em relação a necessidade de ajuste de sua política monetária. A alta da taxa de juros lá fora pode pressionar para cima a nossa taxa de juros daqui”, prevê.

Segundo ele, o maior risco para o ano corrente é o fiscal. “E, mesmo tendo observado melhora em alguns dados, o mercado não reagiu positivamente porque anos eleitorais são perigosos do ponto de vista fiscal”.

Para o economista, a notícia desta quinta-feira que pode dar uma luz do que ainda está por vir é o decreto de Bolsonaro cedendo mais autonomia à Casa Civil na execução do Orçamento. “E colocando Paulo Guedes mais como coadjuvante do que protagonista nessa pauta. Os estados e municípios devem aumentar o seu gasto em ano eleitoral, após 2 anos de algum crescimento da indústria e setor agrícola, além da proibição de reajustes de despesas previstas na lei complementar 173/20”, acredita.

Ele acredita que a tese é que esse movimento seja uma antecipação para gastos eleitorais a frente. “Outro ponto ainda dentro do tema fiscal é que os fatores que ajudaram a melhora da dívida no último ano – primário positivo, crescimento elevado, juros reais baixos, deflator do PIB acima do IPCA e devoluções do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao Tesouro – ou não estarão presentes, ou serão menores à frente”, cita.

Sobre a PMS – Pesquisa Mensal de Serviços realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) -, ele diz que a princípio, o dado é bom e bem acima do esperado, mais que compensou a perda de outubro.

“O mercado não deu tanto peso porque esse dado de serviços tem tido uma volatilidade muito alta sendo consistentemente divulgado bem acima ou bem abaixo do esperado. A alta da taxa de juros ainda não refletiu na sua totalidade na economia e pode atrapalhar na margem a recuperação desse setor pós pandemia”.

O mesmo tema foi analisado por Alexsandro Nishimura, economista, head de conteúdo e sócio da BRA.  “Os dados divulgados pelo IBGE surpreenderam positivamente e mostraram que o setor de serviços cresceu muito acima das expectativas em novembro”, comentou.

Ele salientou que o resultado foi liderado por segmentos voláteis em uma base mensal. Dois segmentos se destacaram, Serviços de Tecnologia da Informação e Serviços de Transporte Aéreo, além da continuidade da recuperação dos serviços prestados às famílias, que acumulam 9 meses seguidos de ganhos.

O economista acredita que os serviços prestados às famílias devem permanecer em tendência ascendente nos próximos meses, entretanto a rápida disseminação da variante ômicron pode desacelerar a taxa de crescimento neste início de 2022.

“O mercado recebeu bem os dados de serviços, por ser um setor importante para a atividade econômica, porém o Ibovespa operou em baixa na parte da manhã desta quinta-feira (recuando 0,64%, aos 106.030 pontos às 9h20 (horário de Brasília) desta vez puxado pelas ações ligadas às commodities. O movimento é contrário ao dos últimos dias, justamente quando estes mesmos papéis sustentaram a recuperação recente”. Às 16 horas e 50 minutos desta quinta-feira, o Ibovespa marcava 106.016,08 pontos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Laboratórios só têm testes de Covid para mais 7 dias

Estoques baixos também na Prefeitura de São Paulo, que limitou testagem a grupos prioritários.

Covid: país tem 23 milhões de casos e 621 mil mortes

Em um ano de vacinação, quase 70% dos brasileiros já tomaram duas doses; receberam a primeira dose 75%, e o reforço, 15%.

Consumidor amplia uso de pagamentos digitais

Relatório mostra que 49% dos consumidores compram via aplicativo e 40% fazem pagamentos sem contato.

Últimas Notícias

Empregos na saúde ultrapassa 4,6 milhões

O número de pessoas empregadas na cadeia produtiva da saúde cresceu 0,6% entre agosto e novembro do ano passado ao atingir 4.652.588 de trabalhadores,...

RJ terá dificuldades de pagar R$ 92 bi à União

O Governo do Estado do Rio de Janeiro poderá encontrar dificuldades para cumprir o pagamento de R$ 92 bilhões devidos à União. Isso porque...

China reduz juros em empréstimo de médio prazo

O banco central da China reduziu nesta segunda-feira (17) as taxas de juros de seus empréstimos de médio prazo (MLF) e repôs reversos em...

Petrobras: recorde de produção no pré-sal em 2021

A Petrobras atingiu recorde anual de produção no pré-sal em 2021, ao alcançar 1,95 milhão de barris de óleo equivalente por dia (boed). Esse...

Médicos de SP mantêm greve na quarta-feira

Após se reunirem com o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, na tarde desta segunda-feira, o Sindicato dos Médicos de São...