26.4 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 16, 2021

Educação em um novo tempo

O documento preliminar da Base Nacional Curricular Comum (BNCC) recebeu mais de 12,2 milhões de contribuições. A BNCC está prevista no Plano Nacional de Educação (PNE) e vai definir, a partir de 2017, quais são os “objetivos de aprendizagem” a serem considerados pelos professores e coordenadores na hora de elaborar o projeto pedagógico da escola e o currículo das aulas de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. Neste mês, haverá a apresentação da segunda versão básica, e em maio começam os seminários estaduais.

Acima da base curricular, paira a discussão sobre os caminhos da educação. Tal qual na comunicação, em que está em curso uma mudança radical que ninguém sabe aonde vai levar, no setor educacional já não cabe mais o modelo velho, mas ganha uma viagem à Finlândia quem conseguir esboçar qual o sistema novo. Difícil, com certeza, é querer que estudantes que têm na palma da mão mais informações que caberiam em uma biblioteca inteira do século passado mostrem interesse em uma forma de estudar que, ainda que tenha evoluído, essencialmente é a mesma de um século atrás – ou mais.

Este colunista se mete em um terreno que não lhe pertence, mas apenas com objetivo de expressar algumas preocupações. A primeira é que, se não houver participação e atualização dos professores, qualquer mudança levará pelo menos uma geração para começar a ser implementada. Segundo, afastar os alunos do estudo só piora um quadro que já não é bom. Neste aspecto, talvez mais do que uma discussão sobre meios, sobre como se utilizar tecnologias nas salas de aula, se o uso do smartphone deve ser permitido ou até incentivado, talvez caiba o debate sobre dar ao estudante maior protagonismo em criar conteúdo, no lugar de simplesmente consumi-lo.

A única certeza é que, em um momento de transição, não há como não sentir pena dos jovens que estão na escola hoje.

Naufrágio de Hollande

Segundo o mais influente dos grandes jornais franceses, o Le Monde, a disputa presidencial na França será entre a candidata da ultradireita Marine Le Pen e o ex-presidente Nicholas Sarkozy. Tudo indica que François Hollande seria eliminado já no primeiro turno, chegando em quarto lugar na disputa eleitoral, atrás também de Jean-Luc Mélenchon, líder da frente de esquerda.

Vergonha

O Instituto Vladimir Herzog divulgou nota sobre o triste voto proferido pelo deputado Jair Bolsonaro, na votação da continuidade do impeachment de Dilma Rousseff. Defende a entidade que “aos deputados federais – todos eles, de todos os partidos, seja qual for o lado em que estiveram na votação do último domingo – incumbe expulsar de seu convívio, imediatamente, uma figura abjeta como essa, que faz a apologia do crime covarde que é a tortura”.

Nossa Constituição é plena de razões explícitas, desde seus Princípios Fundamentais, para se impedir que Jair Bolsonaro continue a ofender e envergonhar o Brasil com sua apologia à tortura por agentes do Estado e incitação ao crime, em plena Câmara dos Deputados – pelo que deveria inclusive ser responsabilizado criminalmente”, ataca o instituto.

Big brother

Criado para consolidar as informações da área trabalhista em uma única entrega o eSocial passará a ser obrigatório a partir de setembro para empresas que tiveram faturamento superior a R$ 78 milhões no ano exercício de 2014. A aparente praticidade acaba beneficiando apenas o governo e causa preocupações aos usuários. Cada funcionário pode ter até 44 eventos relacionados a sua vida profissional. Isso significa que poderão totalizar mais de 2.300 informações.

Na prática, estar de acordo com todas as mudanças sem utilizar um sistema de gestão é praticamente inviável, o que justifica a importância do investimento neste tipo de ferramenta, já que isto será algo que otimizará o trabalho do setor responsável pelo envio das declarações”, avalia Valmir Colodrão, diretor da BgmRodotec, que tem o software Globus , especializado no setor de transportes.

Hora da forra

Muito tem-se falado a respeito da decisão do Supremo Tribunal Federal em reconhecer a exclusão do ICMS nas bases de cálculo do PIS/Cofins, mas ainda não se tem a real dimensão, em termos tributários, para as empresas. O tema, assim como a possibilidade da exclusão do ISS, integra palestra dia 27 no Ibef-Rio.

Os instrutores Diogo Santesso e José Miguel vão apresentar casos reais sobre a recuperação de até cinco anos de PIS/Cofins. Inscrições ou mais informações: (21) 2217-5566

Rápidas

Um evento dedicado à capacitação de arquitetos-paisagistas sobre o pavimento permeável é a proposta do seminário que acontecerá em 9 de maio, das 14h às 18h, no auditório da ABCP (Av. Torres de Oliveira, 76, Jaguaré, São Paulo). Inscrições, gratuitas e exclusivas para associados da Abap, pelo e-mail: abap@abap.org.br *** Na tentativa das operadoras de cobrar mais caro pelo uso da internet fixa para quem utiliza muito, até agora não se ouviu uma palavra sobre baratear os custos para os clientes que não atingem a (imaginária) franquia.

Artigo anteriorLonge das ruas
Próximo artigoO golpe internacional
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.